Inicio Blog

Sem planos para o fim de semana? Aproveite esta lista de filmes, séries e vídeos indicados por Líderes Estudar

netflix na televisão

Desde 1991, a Fundação Estudar – ONG da qual o Na Prática é uma das iniciativas – fomenta o crescimento de uma rede de pessoas de alto potencial, inseridas nos mais diversos setores, por meio do Programa Líderes Estudar.

Perguntamos para os membros dessa comunidade sobre conteúdos que gostam de acompanhar e o que indicam para quem quer se desenvolver. A primeira parte do resultado, trouxemos uma lista que contempla livros e podcasts. A segunda parte das recomendações – filmes, séries e vídeos -, você confere abaixo!

O Programa Líderes Estudar oferece bolsa de estudo para a melhores universidades, mentoria, orientação de carreira, além do acesso à rede. As inscrições para a edição 2021 estão abertas. Faça parte da rede de Líderes você também!

Filmes

“A Educação Proibida”, de German Doin

“Quando Sinto que Já Sei”, de Antonio Sagrado, Raul Perez e Anderson Lima

As indicações são de Alan Carvalho

“Ford vs Ferrari”, de James Mangold

“Perdido em Marte”, de Ridley Scott

As indicações são de Felipe Meneses.

“A Vida É Bela”, de Roberto Benigni

“Cinema Paradiso”, de Giuseppe Tornatore

As indicações são de Clara Carvalho.

“Beleza Americana”, de Sam Mendes

“A Outra História Americana”, de Tony Kaye

“O Grande Truque”, de Christopher Nolan

“Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças”, de Michel Gondry

As indicações são de Mario Minor Murakami Junior.

“A Corrente do Bem”, de Mimi Leder

“Coach Carter – Treino para a Vida”, de Thomas Carter

“12 Homens e uma Sentença”, de Sidney Lumet

“Dersu Uzala”, de Akira Kurosawa

As indicações são de Valeria Freundt.

“Glória Feita de Sangue”, de Stanley Kubrick

“Uma Ponte Longe Demais”, de Richard Attenborough

“Tora! Tora! Tora!”, de Richard Fleischer, Kinji Fukasaku e Toshio Masuda

As indicações são de Fábio Alexandre Jung.

“A Grande Beleza”, de Paolo Sorrentino

“A Doce Vida”, de Federico Fellini

“Oito e meio”, de Federico Fellini

“Noivo Neurótico, Noiva Nervosa”, de Woody Allen

“Manhattan”, de Woody Allen

“Meia-Noite em Paris”, de Woody Allen

As indicações são de Cristóvão Borba.

“Boys State”, de Amanda McBaine e Jesse Moss

A indicação é de Luis Fonseca.

“Corra!”, de Jordan Peele

A indicação é de João Sigora.

“Emicida: Amarelo – É Tudo Pra Ontem”, de Fred Ouro Preto

A indicação é de Beatriz Silveira de Arruda.

“Search for the Super Battery”, de Daniel McCabe

A indicação é de Ricardo Silva Buarque.

“Faça a Coisa Certa”, de Spike Lee

A indicação é de Giovani Rocha.

“Uma Mente Brilhante”, de Ron Roward

A indicação é de Isabella Almeida Guilherme.

Inscreva-se para o processo seletivo Líderes Estudar 2021!

“Williams”, de Morgan Matthews

A indicação é de Raul Dagir.

“O Abraço da Serpente”, de Ciro Guerra

A indicação é de Andre Medeiros Sztutman.

“Nixon: A Presidency Revealed”, de David C. Taylor

A indicação é de Maria Clara Rodrigues da Silva.

“Girl”, de Lukas Dhont

A indicação é de Jaquelina Tortora Dias.

“A vida dos Outros”, de Florian Henckel von Donnersmarck

A indicação é de Paulo Rotband Marchtein Fisch.

“Gigantes da Indústria”, de Campbell Scott

A indicação é de Luisa Hamra.

“Bohemian Rapsody”, de Bryan Singer

A indicação é de Gustavo Torres da Silva.

“Felicidade Por Um Fio”, de Haifaa al-Mansour

A indicação é de Lorenna Santos Vilas Boas.

“A Inventora – À Procura de Sangue no Vale do Silício”, de Alex Gibney

A indicação é de Eduarda Rebelo Bardavid.

“A Separação”, de Asghar Farhadi

“Roma”, de Alfonso Cuarón

“Trabalho Interno”, de Charles Ferguson

“Que Raio de Saúde”, de Kip Andersen e Keegan Kuhn

“Cowspiracy: O Segredo da Sustentabilidade”, de Kip Andersen e Keegan Kuhn

As indicações são de Diego Alves Rodrigues de Souza.

“A Juíza”, de Betsy West e Julie Cohen

A indicação é de Caroline Magalhães de Toledo.

“O Primeiro Homem”, de Damien Chazelle

A indicação é de Felipe Pires.

 

Séries

“Sucession”(HBO)

A indicação é de Lucas A.

“Programa Destino: Educação” (Futura)

A indicação é de Alan Carvalho.

“Mad Men” (Prime Video)

A indicação é de Cristóvão Borba.

“The Man in the High Castle” (Prime Video)

A indicação é de João Sigora.

“The Get Down” (Netflix)

A indicação é de  Jefferson Vianna.

“O Começo da Vida” (Netflix)

A indicação é de Vinicius Gaby Vieira Rego.

“Designated Survivor” (Netflix)

“Dirty Money” (Netflix)

“Black Mirror” (Netflix)

“BoJack Horseman” (Netflix)

As indicações são de Diego Alves Rodrigues de Souza.

“Lucifer” (Netflix)

A indicação é de Carolina Lima Guimarães.

Saiba mais sobre a rede Líderes Estudar e como participar do programa

Vídeos

A indicação (canal do Youtube) é de Camila Zattar.

 

A indicação é de Samuel Corrêa Lima Costa Carvalho.

 

A indicação é de André Garcia de Oliveira.

 

A indicação é de Giovani Rocha.

 

A indicação é de Isabella Almeida Guilherme.

 

A indicação é de Maria Clara Rodrigues da Silva.

 

A indicação é de Paulo Rotband Marchtein Fisch.

 

Beatriz Silveira de Arruda

A indicação é de Beatriz Silveira de Arruda.

 

A indicação é de Daniel Gustavo Schlindwein Silva.

 

A indicação é de Ricardo Silva Buarque.

 

“Dentro das periferias, a maior parte das pessoas já empreendem, mas não se identificam com o empreendedorismo como é colocado”

Karine Oliveira, fundadora da Wakanda Educação Empreendedora

Por Tamiris Gomes

“Como é que você poderia criar uma metodologia de negócio se não tem MBA?” ou “Como sua empresa vai crescer estando em Salvador (BA)?”. Foi o que a empreendedora baiana Karine Oliveira, de 27 anos, CEO da Wakanda Educação Empreendedora, chegou a escutar das pessoas. Enxergar suas próprias potências, “ver essa divindade que existe em nós”, como ela mesma explicou, é o que a impulsionou a seguir seus objetivos. 

Formanda em Serviço Social e técnica em viabilidade econômica, Karine tem 10 anos de experiência com empreendedorismo de impacto social. E foi em 2018, ano de estreia do filme “Pantera Negra” (de Ryan Coogler), que surgiu a empresa. Wakanda, no longa, é a nação da tecnologia e símbolo da representatividade. Inspirada e motivada, a jovem construiu ainda na faculdade uma metodologia para potencializar negócios locais, mostrando que pode existir uma Wakanda em cada periferia do Brasil.  

“Eu estava tão empolgada com esse mundo do empreendedorismo, o filme ‘Pantera Negra’, que escrevi pela primeira vez a minha metodologia para auxiliar empreendedores e empreendedoras por necessidade, com três imersões de 8h, voltadas à gestão financeira, planejamento estratégico e vendas”, disse ela em entrevista ao Na Prática.  

De lá para cá, o projeto já impactou mais 600 empreendimentos periféricos, sobretudo iniciativas direcionadas às mulheres negras e comunidade LGBTQIA+. Entre algumas das ações realizadas, estão o “Pitch de Buzu”, competição para valorizar os trabalhadores que ganham a vida vendendo produtos nos transportes públicos de Salvador, e o “Deusas do Empreendedorismo”, que enaltece os negócios feitos por mulheres através da metodologia desenvolvida pela empresa.

Uma ponte entre o empreendedorismo da rua e os negócios tradicionais

O que diferencia a Wakanda Educação Empreendedora é justamente a aproximação, ao falar de empreendedorismo com uma linguagem informal e regional. Esse mundo de palavras em inglês que giram em torno do que é empreender sempre incomodou Karine. 

“Fora as referências de empresas multinacionais, ao invés da gente validar as empresas daqui. Entrando nesse universo, pegando essa experiência de impacto social, conhecendo empreendimentos incríveis, foi que eu comecei a perceber o quanto a gente aqui no Brasil tem uma grandiosidade de iniciativas e por que não construir uma ponte entre esse empreendedorismo da rua, do corre, e o mundo dos negócios tradicionais como a gente conhece?”, pensou.  

Leia também: Conheça 8 iniciativas de empreendedorismo negro para você apoiar

Segundo a empresária, não é que há uma linguagem boa e outra ruim, mas evidenciar a  existência de outras maneiras de falar sobre empreendedorismo. “Queremos mostrar para as pessoas que esse método Wakanda, esse jeito de utilizar a linguagem informal como transformação, como uma tecnologia para traduzir os conteúdos do meio de negócio, é possível. Esperamos chegar a outros estados em 2021, fixar essa referência em educação empreendedora focada em empreendimentos periféricos”, projetou a CEO. 

A jornada empreendedora de Karine, inclusive, começou em casa, quando via a sua mãe sair para trabalhar fora. “Minha mãe começou a fazer esses corres de estar na rua, de fazer esses trâmites, e foi vendo ela empreender e fazer essa atividades que eu também me inspirei. Lembrando que minha mãe nunca se identificou como empreendedora, assim como várias outras mulheres negras, porque essa figura do empreendedor está muito distante”. 

Dentro das comunidades periféricas, onde os maiores empregos são negados, a maior parte das pessoas já empreendem. O que acontece é que chamam isso de bico, de corre e por isso não se identificam com o empreendedorismo como ele é colocado”, pontuou. 

Wakanda Educação Empreendedora
Reunião Wakanda Educação Empreendedora / Acervo Karine Oliveira

A educação empreendedora para a população negra e periférica 

Historicamente a população negra empreende há um bom tempo. “Por conta de questões estruturais e por conta da falta de empregos disponibilizados para a população negra, a gente sempre buscou através dessas atividade uma forma de sustentar nossas famílias e nossa comunidade, como foram as baianas de acarajé, as negras ganhadeiras [mulheres negras livres que lutavam para garantir o seu sustento e o de seus filhos, trabalhando com a prestação de diversos serviços na cidade, nos séculos 18 e 19], dentre tantas outras pessoas”, explicou. 

“Por isso que o mais legal é quando a gente ressignifica o empreendedorismo e mostra que existem outros olhares. Por exemplo, a figura do empreendedor fica muito ligada ao “Lobo de Wall Street” [Jordan Belfort, que trabalhou por muitos anos no mercado financeiro em Nova York e que teve a vida retratada no livro e no filme ‘O Lobo de Wall Street’], mas quando você lembra que as mulheres negras ganhadeiras em 1800 já faziam essas atividades e também atividades ancestrais, ressignificar o empreendedorismo é importante, traz a grandiosidade da população negra e ressalta o que a gente já faz.” 

reunião da wakanda educação empreendedora
Reunião Wakanda Educação Empreendedora / Acervo Karine Oliveira

Leia também: 10 ebooks gratuitos sobre empreendedorismo e inovação

Destaque na Forbes Under 30 2020 

Um dos grandes reconhecimentos que Karine teve de seu trabalho foi estar entre os nomes da Forbes Under 30 2020 – que destaca os jovens brasileiros mais influentes, empreendedores e inovadores do ano -, na categoria “Ciência e Educação”. 

Eu ainda estou nas nuvens com essa lista. Eu sonhava muito estar na Forbes e nunca achei que pudesse conseguir. Está sendo extremamente importante para a minha família e para mim, principalmente em um ano como foi 2020. Nenhuma conquista é sozinha, foram vários empreendimentos e mulheres que acreditaram e abriram caminhos para que isso acontecesse. É um reconhecimento de todo um trabalho coletivo”, comemorou ela. 

“É também uma validação que outras pessoas precisavam para poder entender que a linguagem informal, regional, as gírias, são ferramentas importantes. É o que chamamos de nosso vibranium, disse ela, fazendo referência ao metal poderoso da fictícia Wakanda. E finaliza: “que isso não somente inspire outras Karines, mas que a galera entenda que o seu tipo de linguagem está tudo bem, a sua história está tudo bem, que são essas especificidades que fazem toda a diferença para as nossas conquistas”.

 

4 iniciativas e concursos internacionais abertos para brasileiros

concursos internacionais

Mesmo em meio ao contexto atual da crise da pandemia do novo coronavírus, diversas organizações promovem concursos internacionais que aceitam a candidatura de brasileiros. 

Confira a seleção do Na Prática de concursos internacionais que estão em vigência – e participe! Eles são oportunidades de se desafiar, se desenvolver e até ganhar prêmios que podem enriquecer seu currículo.

Leia também: Plano de ação para realizar seus objetivos!

Iniciativas e concursos internacionais abertos para brasileiros:

#1 Desafio Cisco Problem Solver para Empreendedores em Estágio Inicial

Aberto mundialmente, o Desafio Cisco Problem Solver é voltado para empreendedores com negócios em estágio inicial que alavanquem a tecnologia para resolução de problemas sociais e ambientais.

Nesta edição, a organização disponibiliza 1 milhão de dólares para a premiação e os participantes têm a chance de ganhar em diversas categorias.

Podem participar indivíduos (com idade igual ou superior a 18 anos), equipes de até cinco indivíduos (com idade igual ou superior a 18 anos) e entidades legais de negócio (com ou sem fins lucrativos). Saiba mais e inscreva-se pelo site até 29 de janeiro de 2021.

#2 Competição de Redação do Banco Mundial e Financial Times

Para quem tem 16 a 19 anos, está matriculado no Ensino Médio e pode escrever em inglês, as inscrições estão abertas para a Competição de Redação do Banco Mundial e Financial Times.

Os estudantes deverão redigir textos curtos (até 500 palavras) sobre como sua experiência de aprendizado foi afetada pelo covid-19.

O trabalho vencedor será publicado no Financial Times, assim como no blog do Banco Mundial. Além disso, o autor participa de diversos eventos em sua homenagem (virtuais, por conta das restrições da pandemia).

A iniciativa aceita inscrições até 15 de fevereiro pelo seu site.

#3 Desafio Ciência Sem Fronteiras

Competição internacional que engaja estudantes e professores, o Desafio Ciência Sem Fronteiras está com inscrições abertas até 1 de março de 2021. O tema deste ano é “A mágica dos mangues” e os participantes devem produzir um trabalho artístico que ajude a disseminar a importância da conservação da água.

Podem participar estudantes de 11 a 19 anos, que estejam no Ensino Fundamental ou Médio. O primeiro lugar levará 500 dólares, o segundo, 350 dólares e o terceiro, 200 dólares.

#4 Desafio da Tommy Hilfiger Fronteira da Moda

O Desafio da marca Tommy Hilfiger é um programa global que busca ideias que tentam fazer o cenário deste mercado mais inclusivo. Nesta edição, a iniciativa visa amplificar o apoio a pretos, indígenas e “pessoas de cor” (people of color em inglês, língua em que o termo é mais utilizado).

O desafio é aberto para negócios em nível de startup ou scale-up que estejam trabalhando para promover mudanças positivas no mundo da moda.

Entre os prêmios, até 215 mil euros, mentoria e participação em um programa de empreendedorismo do INSEAD. Inscrições podem ser feitas pelo site YouNoodle até 8 de março.

 

O que colocar em habilidades no currículo?

mulher escrevendo

Saber como descrever as suas habilidades no currículo é essencial para passar da primeira peneira feita pelos recrutadores. 

Errar nessa fase inicial é crucial e, muitas vezes, pode acabar fazendo com que você não seja selecionado(a) para as próximas etapas.

Tenha em mente que o seu currículo é o seu cartão de visitas. Ele é o seu primeiro contato com novas oportunidades e precisa te representar muito bem.

O primeiro passo é entender que o currículo serve, acima de tudo, para definir se você tem ou não tem alinhamento com a vaga aberta. 

Pensando nisso, quais são as habilidades mais importantes para você mostrar que seria a pessoa ideal para executar as atividades descritas pela empresa e conseguir chegar até a próxima fase do processo seletivo? 

Acima de tudo, é preciso agir estrategicamente e transmitir credibilidade, se comunicando com clareza e objetividade. 

Para você conseguir chegar lá, separamos algumas dicas.

O que colocar em habilidades no currículo em 3 dicas

#1 Edite o seu currículo de acordo com a vaga pretendida

Enviar o mesmo currículo para todas as vagas é um erro que costuma resultar em uma reprovação logo de cara. 

Na hora de se aplicar para qualquer processo seletivo, o mais importante é prestar muita atenção na descrição da vaga. Analisando essas informações você consegue saber exatamente quais são as necessidades e prioridades da empresa.

A partir disso, você deve escolher quais são as informações mais relevantes que devem ser apresentadas no seu currículo. Quais habilidades, experiências e resultados te deixam mais próximo do perfil desejado para aquela oportunidade específica de emprego? 

Leia também: Inscreva-se em programas de trainee e estágio abertos!

Também é importante saber que, muitas vezes, a triagem é feita com a ajuda de softwares que identificam palavras-chave que fazem com que o seu currículo ganhe destaque.

Por isso, faça um currículo para cada candidatura, pensando estrategicamente em quais serão as habilidades mais valorizadas pelos recrutadores para a vaga em questão. 

#2 Escolha apenas as habilidades essenciais

Depois de entender mais sobre a vaga, pense nos seus pontos fortes e escolha falar sobre os que mais se encaixam dentro do perfil desejado. 

Não adianta fazer uma lista gigante com 10 habilidades diferentes só para deixar o currículo mais “bonito”. Isso não vai torná-lo mais atrativo… pelo contrário: só irá mostrar que você é pouco objetivo.

Priorize e dê destaque para as habilidades que realmente fazem sentido. Você pode apresentá-las em formato de lista e descrever brevemente os resultados que já conquistou por meio de cada uma delas.   

#3 Não faça um currículo “enrolação”

Continuando a falar sobre objetividade, pense que ao olhar para um currículo, os recrutadores querem encontrar só informações que realmente os ajudem a tomar uma decisão. 

Tudo o que não for essencial e estiver lá só para “encher linguiça” deve ser eliminado. 

Você acha que o profissional que está te analisando prefere um currículo simples e objetivo ou um super prolixo e com várias informações que não servem para mostrar nada?

#4 Evite ser genérico demais

Ao descrever as suas habilidades e experiências, faça isso da maneira mais específica e breve possível. 

Ao falar sobre o seu objetivo, por exemplo, pense em como o seu plano pessoal de carreira está vinculado com a oportunidade pretendida. As empresas valorizam o profissional que sabe aonde quer chegar.

Se você apenas copia e cola uma meta genérica, a impressão que dá é que você enviou ou poderia ter enviado o mesmo currículo para várias empresas diferentes. 

Ser específico ajuda quem está te avaliando e também é a melhor opção para você transmitir uma ideia realmente clara do seu perfil logo de cara. 

#5 Busque ressaltar o seu diferencial

Sempre que possível, tente encontrar e evidenciar as suas habilidades que provavelmente não são tão comuns em outros candidatos.

Por exemplo, você sabe que um ponto fraco entre os profissionais da sua área costuma ser a inovação e tem resultados concretos que surgiram a partir de alguma iniciativa inovadora liderada por você? 

Apresente as suas credenciais e destaque-se!  

Ter um bom currículo é só o primeiro passo na hora de garantir a contratação. No curso online Processos Seletivos Na Prática, você vai aprender o que fazer em todas as etapas para ficar mais perto do sim. 

Usando as técnicas certas, é possível se destacar mesmo nos processos seletivos mais disputados. E quem vai te ensinar tudo isso são os maiores especialistas em recrutamento e mercado de trabalho do Brasil.

Quer começar 2021 se capacitando para passar em um Processo Seletivo? Para saber mais sobre e garantir a sua vaga, é só clicar aqui!

 

Está tendo problemas para manter o foco? 2 técnicas de mindfulness para treinar a concentração

Mulher olha para o lado com o rosto apoiado na mão.

Algumas atividades podem ser feitas no “modo automático”, mas, muitas outras, principalmente ligadas a estudo e trabalho, precisam de concentração. Se parece que está cada vez mais difícil se concentrar com toda a disponibilidade de distração que o mundo moderno traz, é porque é verdade.

Uma pesquisa recente mostrou que no ano de 2000 as pessoas se concentravam completamente por 12 segundos. Em 2015, esse tempo caiu para 8.25 segundos. Para comparação, o estudo constata que um peixe dourado se concentra por cerca de 9 segundos.

Não ajuda o fato de que, com mais acontecimentos demandando atenção ao mesmo tempo, é fácil cair na tentação do multitasking (realizar várias tarefas ao mesmo tempo). O aumento de produtividade que o multitasking traz é apenas aparente. Na realidade, as pessoas têm pouco poder de dividir a atenção, segundo o médico e pesquisador da área, Marcelo Demarzo.

Trabalhando no modo multitask, o que acontece é a “mudança rápida do foco de atenção”, diz ele. Para a eficiência, isso é ruim: “a mente tem um tempo de latência para estarmos completamente imersos em uma atividade. Quando é interrompido, demoramos até 10 vezes mais para focar novamente”, esclarece Marcelo. O multitasking, além disso, provoca mais cansaço, o que também pode afetar a produtividade.

Leia mais: Sentindo-se sobrecarregado? Veja 13 dicas de mindfulness para pessoas ocupadas

Como mindfulness pode ajudar a concentração

Marcelo é especialista na prática mindfulness (atenção plena), coordenador do curso de especialização no tema da UNIFESP e fundador do Centro Brasileiro de Mindfulness e Promoção da Saúde. Ele defende que a prática de atenção plena, que tem resultados comprovados em desempenho e bem-estar, pode aumentar a facilidade com que se concentra.

Os exercícios de mindfulness “treinam a consciência para, quando estamos desatentos, perceber e conseguir redirecionar a atenção”, conta o médico. A frequência do treino de atenção plena, que são tipos de meditação, provoca a neuroplasticidade – adaptação do cérebro – e faz com que voltar ao foco se torne uma habilidade.

De acordo com o especialista, quando se trata de diminuir a tendência pessoal à divagação, a prática do mindfulness pode provocar uma melhora. No entanto, Marcelo reitera que a capacidade de redirecionamento da atenção, que é estimulada ao treinar a concentração, é o mais importante. Isso porque as distrações sempre vão depender de várias circunstâncias, algumas delas externas – como o ambiente em que se está.

Exercícios para treinar a concentração

As formas mais simples de praticar a atenção plena de mindfulness são baseadas em criar um ponto de atenção – chamado de âncora. Para treinar a concentração, os exercícios devem ser feitos com regularidade, em ambientes silenciosos e posições confortáveis. Quando as distrações tiram o foco durante uma atividade, eles também podem ser feitos para reajustar a atenção.

  • 3 minutos (ou 3 passos) de mindfulness

De olhos fechados, levar a atenção para o corpo – pode ser para as sensações físicas ou até pensamentos e sentimentos. Em seguida, se concentrar em movimentos ou sensações da respiração. E, o terceiro passo, voltar a atenção para o corpo, incluindo as percepções do local.

  • Mindfulness da respiração

Também consiste em levar a atenção para o corpo – que serve como a âncora. Mas, nesse caso, deixar que a mente divague naturalmente. Então, ao perceber a distração, levá-la de volta para o corpo. O ideal é fazer isso quantas vezes forem necessárias durante o tempo em que pratica o exercício.

Como escrever uma carta de apresentação para o currículo? Confira 7 modelos prontos para copiar e baixar

carta de apresentação

Quer saber tudo sobre a carta de apresentação e baixar um modelo para preencher?  Confira nesta matéria!

Índice:

A mensagem de apresentação que acompanha um currículo, também conhecida como carta de apresentação, é uma exigência do mercado cada vez mais frequente para quem procura uma vaga de emprego.

O documento costuma ter entre 150 e 500 palavras e é onde você apresenta principalmente quem é, o que é capaz de fazer e qual é sua motivação para buscar aquela vaga…

Inscreva-se nas Conferências Na Prática e conecte-se com recrutadores!

42 sites para você encontrar trabalho remoto

Trabalhar remotamente é o mesmo que trabalhar à distância. Ou seja, o profissional tem liberdade para estar onde deseja (ou precisa), e ainda assim consegue cumprir suas funções. A premissa, não surpreendentemente, agrada a muitos.

De outro lado, em tempos de crise derivada da disseminação do coronavírus (covid-19), a prática torna-se uma necessidade. Isso porque uma das alternativas a se adotar, se possível, é o home office, que ajuda na medida de distanciamento social, recomendada pelas autoridades.

Para isso, o Na Prática compilou uma lista de sites para encontrar trabalho remoto – ou que possa ser levado em esquema home office. Sejam voltados para algum campo do conhecimento específico, ou generalistas, a seleção tem de tudo.

Leia também: Plano de ação para realizar seus objetivos!

Sites para encontrar trabalho remoto

#1 Weworkremotely.com

Oportunidades de trabalho remoto em diversos setores – desde negócios a copywriting.

#2 Remoteok.io

Trabalhos em várias áreas e uma comunidade de mais de um milhão de trabalhadores remotos.

#3 Napratica.org.br

É isso mesmo! Temos uma seleção de vagas remotas abertas, que atualizamos mensalmente. É só acompanhar!

#4 Crypto.jobs

Trabalhos ligados a blockchain e criptomoedas.

#5 Arc.dev

Site que ajuda desenvolvedores a encontrar trabalho remoto e acelera o processo seletivo, levando seus usuários direto para a fase de entrevistas.

#6 Allcryptojobs.io

Plataforma que compila trabalhos remotos com criptomoeda.

#7 Remotar

Atualmente, a Remotar é a maior plataforma de curadoria de vagas 100% remotas do Brasil.

Confira nossa seleção mensal de vagas para trabalho home office ou remoto!

#8 Gitcoin.co

Site para desenvolvedores trabalharem remotamente em projetos de código aberto.

#9 Angel.co

Oportunidades de trabalho remoto com startups e tecnologia.

#10 Stackoverflow.com

Para encontrar trabalho remoto em áreas de desenvolvimento e programação.

#11 Jobs.github.com

Oportunidades de atuar com tecnologia.

#12 Freela.io

Oportunidades freelancer para desenvolvedores de software.

#13 Github.com

Oportunidades para desenvolvedores de software.

#14 Rockcontent.com

Conecta produtores de conteúdo a trabalhos remotos na área.

#15 Remote.com

De vagas full time a freelancer, com foco na possibilidade de trabalhar remotamente.

#16 Remoteindex.io

Oportunidades remotas na área de tecnologia, que podem ser encontradas.

#17 Remote.co

Trabalhos em diversos setores e FAQ sobre trabalho remoto.

#18 Gun.io

Para desenvolvedores de software.

#19 Auth0.com

Oferta de empregos em geral; para trabalho remoto basta selecionar “remote” na seção “location”.

#20 Crossover.com

Oportunidades para os setores de vendas, marketing, finanças, produto, serviços, executivo, engenharia e suporte.

#21 Skillhire.com

Para desenvolvedores e designers.

#22 Profes.com.br

Para professores.

#23 Torre.jobs

Vagas em várias áreas e possibilidade de filtrar até por salário.

#24 Landing.jobs

Conecta profissionais que querem encontrar trabalho remoto a empresas de tecnologia da Europa.

#25 Workana.com

Oportunidades para freelancers de áreas, principalmente, criativas, como desenvolvimento de sites e edição de vídeo.

Leia também: Effectuation: a ferramenta para tirar qualquer projeto do papel

#26 Trampos.co

Vagas de emprego regulares para diversos ramos; para encontrar trabalho remoto, é só digitar “home-office” na seção “onde quero trabalhar”.

#27 Italki.com

Possibilita ensinar idiomas remotamente.

#28 Codementor.io

Oportunidades de trabalhos freelancer e de mentorar para desenvolvedores.

#29 Toptal.com

Seleção diferenciada de freelancers para atuar em diversas áreas.

#30 Upwork.com

Opções de trabalho remoto em diversas áreas, em setores de desenvolvimento, design, suporte administrativo, escrita, tecnologia da informação, vendas e marketing, ciência de dados, tradução, contabilidade, direito, engenharia e arquitetura.

#31 Akop.com.br

Site que agrega oportunidades de trabalho remoto internacionais e no Brasil.

Veja vagas home office ou remotas abertas atualmente

#32 Crowd.br.com

A Crowd é uma plataforma que oferece freelancers e serviços, sob demanda, especializados em comunicação e tecnologia.

#33 Virtualvocations.com

O Virtual Vocations disponibiliza vagas pré-avaliadas por funcionários do site e atualizadas de segunda a sábado.

#34 Authenticjobs.com

Um dos mais antigos portais do tipo, foi fundado em 2005 e já conectou milhares de profissionais criativos com empresas de diversos lugares do mundo.

#35 Skipthedrive.com

Totalmente gratuito, o Skip The Drive fortalece o caso do home office ao oferecer uma “calculadora” especial que contabiliza quanto tempo e dinheiro é possível economizar ao escolher a modalidade.

#36 Prolancer.com.br

Fundada em 2012 por uma equipe multinacional de espanhois, argentinos e brasileiros, a plataforma segue a estratégia de job matching de talento digital e já teve sucesso em mais de 30 países. Voltada especialmente para freelancers.

#37 Clickworker.com

Site que busca pessoas para trabalhos pontuais que só precisam de acesso à internet, como escrever ou corrigir textos, responder pesquisas, organizar dados, etc. O profissional controla seus horários e trabalhos num esquema de freelancer.

#38

Vagas em muitas áreas e possibilidade de programar alertas para oportunidades específicas.

#39 Satoshicareers.com

Plataforma que compila trabalhos remotos com criptomoeda.

#40 Gamedev.jobs

Para quem trabalha com desenvolvimento de games.

#41 Fiverr

Fiverr conecta freelancers com negócios e oferece diversos tipos de serviços, nas áreas: Design Gráfico, Marketing Digital, Tradução, Vídeo e Animação, Música e Áudio, Programação e Tecnologia, Negócios e Lifestyle.

#42 Home Agent

Startup de atendimento ao cliente em modelo 100% home office, que permite que o profissional se cadastre como “agente”. Para os clientes, a plataforma oferece diversas opções de serviço, como Vendas, SAC, Redes Sociais, Cobrança, Helpdesk e Chatbot.

Conhece mais sites para encontrar trabalho remoto? Deixe suas sugestões nos comentários!

 

 

Quer uma experiência prática de desenvolvimento e impacto? Seja Voluntário de Vendas da Fundação Estudar

capa programa de voluntários de vendas Fundação Estudar 2021

Está buscando uma oportunidade de atuação que cause impacto social? Seja um Voluntário de Vendas da Fundação Estudar em um programa completamente remoto. Com duração aproximada de três meses, oferece desenvolvimento de habilidades valiosas para o mercado e benefícios exclusivos para quem participa.

Os voluntários de vendas cuidam, em times de três a quatro pessoas, das vendas e da divulgação dos cursos Em Casa. Até hoje, o programa já levou as iniciativas da organização para mais de 240 cidades. Mas, com a modalidade ao vivo dos Cursos Em Casa, é possível levar desenvolvimento pessoal também para moradores de cidades que ainda não recebiam as formações presenciais.

Ficou interessado? As inscrições podem ser realizadas até 28 de janeiro pelo Na Prática.

Como funciona o Programa de Voluntariado da Fundação Estudar

Voluntários de vendas são parte essencial da iniciativa da Fundação Estudar de levar cursos de desenvolvimento pessoal e para a carreira para todos os estados brasileiros. Para exercer tais atividades, é essencial que o candidato tenha mais de 18 anos e disponibilidade para participar de um ciclo de voluntariado de no mínimo três meses, com dedicação de, no mínimo, uma hora diária.

Também são competências buscadas conexão com os valores da Fundação Estudar, senso de urgência, comunicação verbal e escrita, comprometimento, interpretação de texto e resiliência.

Entre os diferenciais para exercer a unção, estão: conhecimento em técnicas de vendas e sobre os cursos da Fundação Estudar, ter ideias criativas e saber dar e receber feedbacks.

Leia também: 5 benefícios do trabalho voluntário para a carreira

Por que ser um Voluntário de Vendas

Além de ajudar a espalhar o impacto dos cursos pelo Brasil, quem participa do Programa de Voluntariado da Fundação Estudar se desenvolve pessoal e profissionalmente, aprendendo na prática habilidades valiosas para o mercado e para a vida. Não só por conta das atividades rotineiras que exercerá, mas porque receberá treinamento especializado para bater suas metas e evoluir constantemente na função.

Entre as principais competências desenvolvidas: clareza e assertividade na comunicação verbal e escrita, autogestão, criatividade para lidar com imprevistos, negociação e persuasão, capacidade de execução, de marketing, de trabalho em equipe e de organização.

Os voluntários também têm muitas possibilidades de networking por ter acesso a uma rede de gente boa de alto potencial: além de outros voluntários, bolsistas da Fundação Estudar e lideranças inspiradoras.

Por fim, há outros benefícios exclusivos para quem entra para o programa, como participação em eventos da organização, isenção em curso da organização e kits personalizados, por exemplo.

Inscreva-se até 28/01!

 

“Como fazer amigos e influenciar pessoas”: 4 aprendizados do livro

livro Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas

O clássico “Como fazer amigos e influenciar pessoas” foi escrito por Dale Carnegie há mais de 80 anos e ainda continua figurando entre os livros mais lidos do mundo. 

Publicado pela primeira vez na década de 1930, milhões de cópias já foram vendidas e os seus ensinamentos parecem estar mais atuais do que nunca. 

Segundo o próprio autor, o livro exige máxima atenção e deve ser lido por várias vezes. Ele também aconselha que você mantenha um lápis por perto durante a leitura, para fazer anotações e realmente estudar cada capítulo.

Assim, será possível aprender lições valiosas sobre como aplicar estratégias de comunicação para conseguir melhorar as suas relações interpessoais e crescer profissionalmente. 

O livro é dividido em 4 partes principais e, a partir de cada uma delas, separamos alguns aprendizados valiosos para você.

4 aprendizados de “Como fazer amigos e influenciar pessoas”

#1 Técnicas fundamentais para lidar com pessoas

Durante todo o livro, Dale Carnegie destaca a importância da empatia nos nossos relacionamentos. 

Muitas das práticas sugeridas buscam mostrar a relevância de se colocar no lugar do outro, com o objetivo de compreender diferentes formas de pensar.

Com isso, passamos a entender o racional por trás das opiniões e argumentos utilizados por outras pessoas.

Entre as técnicas mencionadas pelo autor na hora de conseguir criar bons relacionamentos, as principais são:

  • Não criticar ninguém diretamente e de maneira rude;
  • Fazer elogios sinceros, quando puder;
  • Buscar entender o objetivo das pessoas antes de tentar convencê-las de algo.

#2 Como fazer com que gostem de você

Se você quer ser uma pessoa querida, o mais importante é criar conexões genuínas.

Com foco neste objetivo, o autor lista uma série de comportamentos que podem te ajudar. São eles:  

  • Mostrar real interesse pela vida das pessoas com as quais você se relaciona;
  • Sorrir;
  • Saber (e usar) o nome das pessoas;
  • Encorajar as pessoas a falarem sobre elas ao invés de sair falando sobre você;
  • Entender quais são os maiores interesses da outra pessoa e buscar maneiras de interagir dentro disso; 
  • Fazer com que todos ao seu redor se sintam importantes e únicos.

#3 Como convencer pessoas 

Você sabia que existem estratégias certas para conseguir persuadir outras pessoas a concordarem com o seu ponto de vista?

Por vezes, queremos que nossas ideias sejam aceitas a qualquer custo e o que encontramos, é ainda mais resistência. 

Para evitar que isso aconteça, algumas dicas de Dale são: 

  • Aprenda que você dificilmente vai convencer ninguém durante uma discussão. Tente ver os pontos de conciliação e exponha as suas ideias de maneira educada. Mesmo assim, não espere uma mudança de ponto de vista do seu “oponente” naquele momento;
  • Nunca diga diretamente que a outra pessoa está errada. Isso só serve para deixá-la na defensiva;
  • Se você errou, admita! E sempre comece qualquer conversa sendo amigável e elogiando a outra pessoa (caso tenha algo verdadeiro a dizer).

Leia também: 15 livros de negócios que todo profissional precisa conhecer

  • Divida seus argumentos em pequenas partes e preste atenção para começar com perguntas e afirmações que você sabe que crenças gerais;
  • Deixe todos falarem sobre as suas ideias;
  • Busque ver a situação sobre outros pontos de vista, levando em consideração diferentes  ideias, sentimentos e objetivos.
  • Nunca use o que você quer ou deseja como argumento principal. Tente colocar em primeiro plano um motivo mais forte, como a visão do cliente ou um objetivo em comum para a equipe.
  • Se nada parece funcionar, desafie a outra pessoa. 

#4 Como gerar mudanças significativas em outras pessoas

Talvez a tarefa mais difícil em uma liderança seja conseguir desenvolver outras pessoas.

Durante a última parte do livro, Dale foca bastante em princípios que devem ser aplicados por líderes que desejam ter um alto poder de influência dentro das organizações. Entre eles, estão:

  • Use o elogio a seu favor: sempre comece com um e reconheça cada pequena coisa que for feita da forma como você quer;
  • Fale sobre os seus próprios erros para mostrar vulnerabilidade e se conectar com as pessoas;
  • Ao invés de dar ordens diretas, escolha fazer sugestões ou perguntas;
  • Nunca reforce a culpa sobre ninguém, principalmente em público;
  • Encoraje as pessoas a encarar novos desafios e faça com que elas entendam quais são os pequenos passos necessários para terem sucesso. 

Leia também: 5 dicas para desenvolver o hábito de leitura e ler mais em 2021

Caso você comece essa leitura, já se prepare para um livro denso e até “cansativo”. 

O próprio autor reconhece isso e explica que os vários exemplos de explicações técnicas são propositais para que quem está lendo consiga extrair o máximo de conhecimento possível. 

Apesar de cansativas, são essas exemplificações que tornam o livro tão especial porque facilitam o entendimento de cada um dos princípios e fazem pensar em como aplicar cada um deles no dia a dia. 

Durante a leitura, é possível entender a importância da linguagem que utilizamos em situações de debate e fica fácil perceber o quanto a  escolha errada de palavras pode trazer agressividade ao discurso. E é exatamente isso que vai fazer com que o seu interlocutor dificilmente aceite uma nova ideia.

Entre tantas lições valiosas, “Como fazer amigos e influenciar pessoas” é um clássico atemporal que deve ser lido por qualquer pessoa que deseja melhorar os seus relacionamentos para crescer na carreira. 

Que tal colocar na sua lista de leituras de 2021?

 

Como fazer um bom currículo? Aprenda a fazer um currículo excelente e se destacar

currículo e livros empilhados

Não pode ler agora nossa matéria sobre O Que É e Como Fazer Um Bom Currículo? Ouça este conteúdo clicando no player:

Sete segundos. É o tempo que um empregador médio leva para ler um currículo, de acordo com a Harvard Business Review. Em mercados de trabalho cada vez mais disputados, um currículo bem feito, além de agregar valor à sua candidatura, pode se tornar também uma vantagem competitiva.

Dicas para ir bem no processo seletivo do programa de bolsas Líderes Estudar

líderes estudar

O programa de bolsas da Fundação Estudar existe desde 1991 e reúne jovens talentos do Brasil inteiro. Como parte do processo de seleção, há seis etapas, que incluem testes de lógica, vídeo sobre a trajetória do candidato e entrevistas. Mas como é possível selecionar os melhores entre as milhares de candidaturas, todos os anos? Esse é o desafio para conseguir uma bolsa do programa de Líderes Estudar.

Coordenador da equipe de seleção da Fundação Estudar, Leonardo Gomes aponta que algumas características se destacam, como a curiosidade intelectual. “Outro exemplo é quando o candidato tem a capacidade e o interesse de se aprofundar em alguma temática e obter aprendizados relevantes”, resume ele. O perfil do estudante deve se alinhar aos valores da Fundação Estudar, que procura traços como foco e capacidade de execução.

Leia mais: “Cada etapa do processo servia de motivação”, diz bolsista da Fundação Estudar

Não é necessário ter uma formação acadêmica específica, nem ter chegado a cargos altos em uma empresa – mas sim demonstrar excelência, dentro do perfil do candidato. Uma boa application para o programa de Líderes Estudar, portanto, é a que consegue contar bem essa história. “É preciso ter a capacidade de refletir sobre as próprias experiências, extrair aprendizados delas e aplicá-los”, explica Leonardo Gomes.

Esse é um dos pontos cruciais, segundo o bolsista Diego Rodrigues, que integra o time selecionados para o programa Líderes Estudar de 2017. Natural de São Paulo, ele embarcou para o duplo-diploma em engenharia na França e explica que deve haver “lógica” na história contada pelo candidato. Em outras palavras, “dar ênfase na ligação, no que uma coisa tem a ver com a outra”. “Eu colocava em um papel os pontos que achava mais relevantes, como o motivo de ter escolhido a engenharia elétrica e o meu curso técnico, e aí fazia as ligações”, conta ele.

Passo a passo do processo seletivo 

Em um primeiro momento, cada candidato faz um teste online sobre seu perfil e, também, testes de lógica. Para Diego Rodrigues, que fazia engenharia elétrica na Universidade de São Paulo, se sair mal na prova inicial não era opção. “Não dá para ter uma nota ruim em algo básico”, diz ele. “Eu fui em alguns sites de concurso, baixei os testes do tipo e treinei”.

Também é necessário responder a um questionário, além de enviar um vídeo curto sobre a própria trajetória. “O vídeo é uma das ferramentas mais práticas para darmos escala aos processos seletivos, por exigir menos investimento de tempo dos candidatos, sem perder a qualidade da avaliação”, explica Leonardo Gomes, que trabalha na seleção de Líderes Estudar.

Para o brasileiro André Sztutman, que cursa o PhD no MIT (Massachusetts Institute of Technology), é importante dedicar tempo ao vídeo, uma das etapas iniciais do processo. “Achei impressionante quantas horas podem ser gastas para a produção de um minuto de vídeo”, conta ele, que elaborou um roteiro sobre sua trajetória e gravou vários takes durante o processo. “Desde então, minha admiração por atores e atrizes duplicou de tamanho”, brinca ele.

A partir daí, o processo se desdobra em entrevistas, ora presenciais, ora por plataformas como Hangouts e Skype. Depois da entrevista de competências, o candidato recebe o convite para o painel com ex-bolsistas, mais uma rodada de perguntas sobre suas conquistas e planos. Nas palavras do estudante Diego Rodrigues, essa etapa significa um “divisor de águas”. “Você tem que responder as perguntas em tempo real, não pode hesitar”, descreve o bolsista, que hoje estuda em Grenoble, na França. Entre as perguntas feitas, estão questões sobre planos a curto, médio e longo prazo. “Tinha que ter tudo muito fresco na cabeça e explicar como isso vai ajudar e contribuir com o país”.

Leia mais: “Não passar de primeira me fez pensar que ainda podia ser melhor”, diz bolsista

Para Bruno Guidi Marcolini, que hoje faz seu MBA em Harvard, essa etapa é a mais desafiadora, já que o perfil dos ex-bolsistas é variado. “Esteja preparado para explorar os aspectos econômicos, sociais, políticos e técnicos de suas ideias”, aconselha ele.

Para Diego, as perguntas sobre o passado do candidato parecem mais fáceis, em comparação com as questões sobre seus planos. “Para falar de algo passado, basta recontar as histórias, fica muito mais simples”, explica ele. Já quando o assunto se volta aos planos, a tarefa muda de figura. “É preciso pensar diversos aspectos, entender como os planos se encaixam em um contexto nacional, em como você pode ajudar o seu país”.

A última etapa, realizada junto aos membros do conselho da Fundação Estudar, exige também preparação para perguntas – e coerência com a trajetória narrada até então. Em meio às etapas para contar uma boa história, há um erro comum que precisa ser evitado. “Para mim, o erro mais comum é se vender mais do que é ou do que entregou”, sintetiza Leonardo Gomes.

Valores dos Líderes Estudar

Mais do que selecionar candidatos que apresentem um mega currículo, a Fundação Estudar busca gente que compartilhe ideais e valores. Em outras palavras, profissionais e estudantes dispostos a melhorar o Brasil e que apresentem características como foco e conhecimento aplicado.

O brasileiro Bruno Guidi Marcolini, selecionado pelo programa de Líderes Estudar e que hoje estuda em Harvard, dá dicas para demonstrar um dos valores-chave no processo seletivo: o conhecimento aplicado. “Lembre-se que milhares de pessoas vão participar desse processo e suas chances de se destacar aumentam quando tem sua história associada a algo único e concreto”, sintetiza ele, que recomenda aos candidatos buscar pontos em que vão ancorar sua trajetória.

Para demonstrar foco e contar uma história que faça sentido aos avaliadores, portanto, o caminho é refletir sobre os pontos principais a destacar. “O candidato precisa estar pronto para contar os detalhes de cada uma de suas conquistas, como estão conectadas e como ajudaram o candidato a se desenvolver”, destaca André Mendes, que faz o PhD na New York University, nos Estados Unidos. Em outras palavras, nada de se “perder” ao contar todos os detalhes de todas as conquistas, sem traçar os pontos-comuns. Afinal, o que vale como regra é contar uma boa história.

 

 

Esta matéria foi originalmente publicada pelo portal Estudar Fora, outra iniciativa da Fundação Estudar.

Como gerenciar suas emoções no trabalho para lidar melhor com a rotina

mulher com expressão de satisfação segurando caderno e sentada em frente ao notebook

A irritação depois de uma reunião improdutiva, o feedback cheio de pontos de melhoria levado para o lado pessoal, a insatisfação depois de ouvir algum comentário negativo sobre o seu trabalho… 

Essas são só algumas situações em que pode ser difícil manter a calma no trabalho. E se já teve que lidar com emoções mais intensas que fizeram você agir por impulso, saiba que não está sozinho(a).  

A boa notícia é que segundo uma pesquisa feita pela Universidade de Stanford, manter o controle pode ser muito mais fácil do que parece. 

Tudo indica que as nossas motivações desempenham um papel maior na regulação de nossas emoções do que se acreditava anteriormente. Além disso, parece que também temos maior controle sobre como os outros influenciam nossas emoções. 

O estudo publicado no Journal of Experimental Psychology, mostrou que a maneira como nós queremos nos sentir pode impactar a forma como realmente nos sentimos.

Por exemplo: os participantes do estudo que queriam ficar calmos permaneceram relativamente relaxados mesmo diante de pessoas com raiva. Enquanto isso, aqueles que queriam ficar com raiva foram altamente influenciados por indivíduos irados.

“O nível em que as pessoas afirmaram estar motivadas para sentir ou não certas emoções previu o quanto elas seriam influenciadas quando fossem expostas aos sentimentos dos outros membros do grupo”, explica Amit Goldenberg, o principal autor do estudo e candidato ao doutorado em Stanford em psicologia.

A partir dessa conclusão, será possível experimentar maior estabilidade emocional no trabalho? Usando algumas estratégias para reduzir os níveis de estresse da sua rotina, pode ser que sim.

Conheça 4 práticas para gerenciar melhor suas emoções no trabalho

#1 Avalie regularmente o seu ambiente

Uma maneira simples de controlar proativamente as suas emoções – e estresse – no trabalho é pensar sobre o tipo de ambiente que você quer ou precisa estar e, a partir daí, se posicionar de acordo com isso. 

“A melhor forma de regular suas emoções é começar pela seleção do seu ambiente. Se você não quer ficar com raiva hoje, uma maneira de fazer isso é evitar pessoas com raiva ”, diz Goldenberg. 

Embora você obviamente não possa evitar um colega que é pessimista o tempo todo, você pode encontrar um lugar tranquilo para responder seus e-mails se observar que essa atitude está começando a ter um impacto negativo sobre a sua. 

Ao perceber que você precisa trabalhar com alguém que influencia negativamente as suas emoções, use a empatia e a franqueza para lidar com a situação. 

Quando observar que uma pessoa está chateada com algo, experimente dizer: “Sei que você não está tendo um bom dia, mas vamos trabalhar juntos para deixar isso de lado por enquanto e nos concentrar em nossa reunião”.

Teste e se surpreenda com o resultado!

Leia também: O que é Inteligência Emocional e como ela pode te ajudar a crescer na carreira

#2 Faça perguntas a si mesmo

Para lidar melhor com as suas emoções de maneira intencional, você precisa adquirir maior consciência sobre a relação entre seus pensamentos, sentimentos e comportamento. 

Com esse objetivo em mente, as doutoras do Programa de Pesquisa em Auto-Lesão e Recuperação Cornell, Abigail Rolston e Elizabeth Lloyd-Richardson, recomendam fazer uma autoreflexão com uma série de perguntas: 

  • Quais emoções são mais difíceis de tolerar? 
  • Que comportamentos costumo usar para acalmar esses sentimentos? 
  • Essas estratégias funcionam bem? 
  • Eu quero ter esses comportamentos? 

Ao ficar mais sintonizado com suas respostas emocionais, você pode reconhecer padrões e se preparar melhor para lidar com situações estressantes específicas.

#3 Defina uma intenção para o dia

Definir uma intenção emocional para o dia também é uma excelente maneira para enfrentar situações estressantes no trabalho. 

Para Goldberg, você tem o poder de se motivar para se sentir de uma maneira específica – calma, por exemplo – mesmo quando as pessoas ao seu redor se sentem diferentes. 

Ao acordar de manhã, tente estabelecer essa intenção. Escolher que você quer se sentir grato, contente ou calmo, irá te ajudar a se manter motivado diante das emoções negativas.

#4 Tenha uma rotina de hábitos saudáveis

Boa alimentação, exercícios e um sono de qualidade também podem desempenhar um papel na sua capacidade de regular as emoções. 

Rolston e Lloyd-Richardson recomendam dormir o suficiente todas as noites, fazer uma dieta saudável e se exercitar regularmente para refinar ainda mais as habilidades de regulação emocional

“É como se você tivesse uma perspectiva totalmente nova na vida ao fazer escolhas simples e mais saudáveis. É muito mais fácil ignorar as pequenas coisas que poderiam tê-lo incomodado ou chateado!”, explicam.

Como você viu, todas as dicas são super simples e fáceis de serem executadas no dia a dia. Que tal começar hoje mesmo?

 

Leia