A lição de um grande mestre de xadrez para resolver problemas

O que um dos maiores campeões do xadrez pode te ensinar sobre estratégia e resolução de problemas complexos? Conheça a técnica da análise retrógrada, do jamaicano Maurice Ashley

Época Negócios Online, para , em 29.06.2016
Rei de Xadrez [Public Domain]

Maurice Ashley é um grande mestre do xadrez. Ele foi o primeiro americano negro a conseguir esse título e foi incluído neste ano no Hall da Fama do xadrez dos Estados Unidos. Ashley não só é um excelente jogador como faz questão de promover o jogo, especialmente entre crianças e jovens.

No vídeo abaixo, gravado recentemente para o site Mashable, ele afirmou que o xadrez “pode mudar vidas”. “Eu vejo isso nos alunos que eu ensino. Já treinei crianças no Harlem, no Brooklyn, em circunstâncias difíceis… E assisti a essas crianças sentirem os efeitos de jogar xadrez: mais facilidade em resolver problemas, pensamento crítico, mais concentração e foco”.

Em um artigo para a Inc., o empreendedor Justin Bariso explica uma valiosa lição de Ashley e como ela pode ser aplicada na vida.

Olhar para trás para ver à frente
O xadrez é uma metáfora da vida e dos negócios no sentido de que há um número enorme de caminhos para seguir. Só nas primeira quatro jogadas de xadrez, há 318 bilhões de combinações possíveis. Segundo Ashley, é um mito que um grande mestre pode enxergar até 20 movimentos à frente. Em uma palestra no TED em 2012, Ashley fala de algumas técnicas que podem ajudar a “ver o futuro”. Sua estratégia preferida é a análise retrógrada, que supõe que para ver à frente vale a pena olhar para trás.

No xadrez, depois das primeiras quarto ou cinco jogadas, a posição das peças começa a ficar mais simples e elas começam a desaparecer. Em algum momento, restarão poucas opções. Para avaliar seus movimentos, os jogadores podem pensar nos movimentos anteriores que precisam fazer para chegar a uma situação desejada. Olhar dessa maneira pode não só resolver problemas, mas evitar que eles apareçam.

A análise retrógrada é usada em áreas como Direito, ciência e mercado financeiro. Mas como usar isso no seu trabalho?

1. Planeje seu projeto do fim para o começo
Muitas pessoas planejam um projeto a partir do primeiro passo. Mas isso pode levar a desperdiçar mais tempo do que o necessário para as ações iniciais. O resultado? Você pode se ver obrigado a acelerar os passos seguintes, geralmente mais importantes. Tente pensar ao contrário, considerando quais serão os últimos passos. Pode te ajudar a colocar tempo, energia e dinheiro na medida certa para cada fase e conseguir um resultado melhor.

2. Simplifique
Aprendemos que mais é melhor. Mas, nos negócios, isso nem sempre é verdade. Ter muitas escolhas pode nos paralisar. Reduza as possibilidades. É possível vender milhares de produtos, mas quais interessam seus clientes?

3. Direcione suas ações para que você esteja em vantagem
Toda organização e indivíduo têm pontos fortes e fracos. Ao identificá-los, você coloca as circunstâncias a seu favor. Por exemplo, se você é bom para fazer apresentações e costuma contagiar o ambiente, mostre isso para o mundo para que as oportunidades de exercer seus pontos fortes apareçam. Da mesma maneira, evite situações em que suas fraquezas possam ser exploradas.

4. Tornando o impossível possível
A análise retrógrada é como qualquer habilidade. Você não fica especialista da noite para o dia. Então, pratique. No fim, você pode acabar vendo o futuro com mais clareza.

Gostou? No vídeo a seguir você pode assistir a palestra completa de Maurice Ashley no TED:

 

Este artigo foi originalmente publicado em Época Negócios