Um Projeto: Fundação Estudar
Felipe Mendes

‘Foi importante pensar sobre o que fazer para ser meu máximo’, diz bolsista da Fundação Estudar sobre o processo seletivo

Por Redação, do Na Prática

Felipe Mendes conseguiu uma das bolsas de estudos da organização em sua segunda tentativa e compartilha o que aprendeu após ser reprovado; processo seletivo de 2017 está aberto até 24/3

As inscrições para o Programa de Bolsas 2017 da Fundação Estudar já começaram  e se estendem até 24 de março. O processo seletivo oferece a estudantes brasileiros não só a chance de conseguir apoio financeiro para os estudos, mas também acesso a uma rede de contatos: a Comunidade Estudar.

Engenheiro formado pelo IME (Instituto Militar de Engenharia) em Fortificação e Construção, Felipe Mendes é hoje primeiro-tenente no Exército Brasileiro e passou pelo processo seletivo da Fundação duas vezes.

Na Fundação Estudar

Vindo de um colégio militar, Felipe só teve contato com a Fundação quando chegou à graduação. Antes disso, já ouvira falar sobre as bolsas oferecidas, mas considerava tudo “muito distante”. Quando decidiu, finalmente, se candidatar às bolsas nacionais, parou na segunda etapa, logo na dinâmica de grupo. “Ter feito o processo e não ter passado de primeira foi um ponto de virada, e um ponto muito positivo”, diz ele.

Leia também: O dia a dia de uma engenheira no Exército Brasileiro

Atualmente, o processo seletivo para as bolsas se divide em sete etapas. A primeira delas é a inscrição online, feita no portal da Fundação. Para se candidatar às bolsas, é necessário ter até 34 anos e estar matriculado ou em processo de aceitação de curso de graduação no Brasil ou no exterior (completo, intercâmbio acadêmico ou duplo-diploma) ou pós-graduação no exterior (mestrado, MBA, doutorado e pós-doutorado).

A seguir, Felipe conta como foi o processo de seleção, o que aprendeu nas duas tentativas e quais as vantagens de integrar a Comunidade Estudar:

O processo de seleção

“O autoconhecimento foi o ponto muito forte do processo, porque eu tive que parar, entender a minha história. Quando eu a entendi melhor, também passei a me entender melhor. Acho que foi engrandecedor e muito difícil. […] É um processo que não coloca ninguém contra ninguém, mas você contra você mesmo. Ele avalia o quanto você está tentando fazer para chegar ao seu máximo.”

A segunda tentativa

“Não ser aprovado significa que você ainda tem um potencial muito grande para crescer. Vi muito isso em mim. Não significa que você não é capaz ou que não está em um certo nível, mas que tem um potencial grande para desenvolver até chegar na aprovação. Obviamente é difícil, mas para mim foi importante parar e pensar sobre o que eu poderia fazer para ser meu máximo.”

Os benefícios de ser bolsista da Fundação Estudar

“A questão financeira não foi o ponto que me fez procurar a Estudar porque eu já tinha a bolsa da minha universidade. Eu quis porque sabia que tinha muita gente boa ali, gente que tinha vontade de fazer a diferença no Brasil – e eu queria fazer parte dessa rede. Quando eu penso no que a Fundação trouxe pra mim, foi isso: conhecer tanta gente boa e ter acesso a todos. Atualmente estou fazendo mentoria, que tem me trazido várias ideias sobre vida e carreira. Os eventos que a Estudar proporciona são atividades que vão exponencializando o potencial dos jovens. Se, lá atrás, eu entrei com um potencial legal, porque fui selecionado hoje posso dizer que estou ainda melhor.”

Inscreva-se no processo seletivo do programa de bolsas da Fundação Estudar até 24/3

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo