Um Projeto: Fundação Estudar
Desenho de mão segurando pesos com um cérebro e um coração

Como aumentar sua inteligência emocional

Por Suria Barbosa

A inteligência emocional consiste em uma combinação de traços de personalidade valiosa para alcançar sucesso na carreira. Psicólogo sugere práticas para desenvolver sua IE e mudar a forma com que os outros o veem.

Ter habilidade de identificar e gerenciar as emoções próprias e dos outros, o que caracteriza a chamada inteligência emocional (IE), são atributos valiosos para alcançar sucesso profissional. Segundo diversos estudos científicos, pessoas com altos níveis de IE são melhores empreendedores, líderes mais eficientes e têm desempenho superior no trabalho, por exemplo.

Estes resultados positivos (e muitos outros) fazem com que os especialistas recomendem que os contratantes deem mais valor à IE de um candidato, do que ao seu QI (Quociente de Inteligência). Inclusive, o best-seller de uma das maiores autoridades no assunto, Daniel Goleman, tem como título original: “Emotional Intelligence – Why It Can Matter More Than IQ?” Traduzindo para o português, “Inteligência Emocional: Por que ela pode importar mais que o QI?”

Ainda que a IE consista, basicamente, em uma combinação “fixa” de traços de personalidade – fruto da herança genética e de experiências passadas – ela pode ser desenvolvida. Isso significa que, para melhorar a logo prazo, será necessário ter bastante disciplina e dedicação.

Os 12 elementos da inteligência emocional

Daniel divide a IE em 12 domínios e competências principais:

  • Autoconhecimento emocional
  • Autocontrole emocional
  • Adaptabilidade
  • Orientação para realização
  • Perspectiva positiva
  • Empatia
  • Consciência organizacional
  • Influência
  • Coach e mentoria
  • Administração de conflitos
  • Trabalho em equipe
  • Liderança inspiradora

O primeiro passo para aumentar a inteligência emocional é, segundo ele, revisar mentalmente estas habilidades e perceber em quais precisa trabalhar. Se, ainda assim, não ficar claro, Daniel recomenda buscar feedback externo.

Leia mais: O que são soft skills e como desenvolvê-las para crescer na carreira

Práticas para aumentar a inteligência emocional

Em um artigo para o Harvard Business Review, o psicólogo Tomas Chamorro-Premuzic, professor de psicologia empresarial na University College London e na Columbia University, além de associado do Laboratório de Finanças Empresariais de Harvard, recomendou cinco passos  fundamentais para aumentar a inteligência emocional. Após a revisão proposta por Daniel, estas práticas podem servir para substituir comportamentos contrários à IE e, por consequência, mudar como os outros o veem. 

 

#1 Transformar o autoengano em autoconsciência

A personalidade, e consequentemente a IE, se molda, principalmente, com base na identidade e na reputação, explica Tomas. Para muitas pessoas existe uma disparidade entre os dois, o que pode fazer com que eles ignorem qualquer feedback negativo.

No entanto, a verdadeira autoconsciência consiste em conseguir ter uma visão realista dos próprios pontos fortes e fracos. Isso não vai acontecer sem feedback preciso, diz o psicólogo. Investir em avaliações baseadas em dados, como testes de personalidade e pesquisas de feedback é uma boa.

 

#2 Transformar o foco em si próprio em foco nos outros

Segundo Tomas, para quem tem níveis mais baixos de IE, é difícil visualizar as coisas pela perspectiva dos outros. Especialmente quando não há escolha certa ou errada. Desenvolver uma abordagem centrada nos outros começa com reconhecimento das forças, fraquezas e valores de cada um.

Em um contexto de trabalho, conversas frequentes com os membros da equipe levarão a um entendimento melhor de como motivar e influenciá-los.

 

#3 Agir de forma que torne a convivência gratificante

A convivência com pessoas que têm mais altos níveis de IE tende a ser vista como mais recompensadora. De acordo com o psicólogo, os mais “recompensadores” tendem a ser mais cooperativos, amigáveis, confiantes e altruístas.

Tomas diz que é importante garantir, sempre, um nível apropriado de contato antes de pedir ajuda ou passar uma tarefa a alguém. Além disso, procurar compartilhar conhecimento e recursos sem expectativa de reciprocidade.

Leia mais: Como lidar com suas emoções no trabalho? Especialista explica

 

#4 Controlar “explosões”

No mundo dos negócios, não é bom mostrar frustração sempre que surge um problema inesperado, explica o psicólogo. Então, se você é uma pessoa que tem o que ele chama de “muita transparência emocional”, é melhor se moderar.

Para fazer isso, é preciso perceber que situações tendem a desencadear sentimentos negativos. Detectando seus gatilhos, “você consegue evitar situações estressantes e inibir suas reações”, diz ele.

Procure trabalhar táticas que o ajudem a se tornar consciente sobre suas emoções, em tempo real. Não só sobre a forma que as sente, também em termos de como elas estão sendo vistas pelos outros.

 

#5 Mostrar humildade

Em questão de carreira, a autoconfiança, em certo grau, é vista como um traço inspiracional. Porém, o psicólogo afirma que os melhores líderes são os que parecem ser humildes. Estes transmitem segurança para a equipe.

“Encontrar um equilíbrio saudável entre assertividade e modéstia, demonstrando receptividade ao feedback e capacidade de admitir os erros, é uma das tarefas mais difíceis de dominar.”

Tomas explica que, no contexto profissional, é importante esconder a arrogância – caso ela exista – e mostrar humildade. Mesmo que ela tenha de ser fingida. Algumas atitudes a se considerar: acabar com o orgulho, escolher bem as brigas e procurar oportunidades para reconhecer os outros.


O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo