Um Projeto: Fundação Estudar
teste vocacional da Fundação Estudar

Teste vocacional do Na Prática: nosso robô analisa seu perfil profissional!

Por Suria Barbosa

Faça o teste vocacional profissional grátis do Na Prática conversando com o Fê, o robô assistente virtual da Fundação Estudar, e descubra profissões que fazem sentido de acordo com seu perfil e interesses.

Você entrou aqui à procura de orientação vocacional online? Faça nosso Teste Vocacional!

 

 

O Teste Vocacional do Na Prática é diferente de todos os outros: nele, você conversa com nosso robô – ou bot, ou assistente virtual: o Fê, que analisa o seu perfil para te contar mais sobre suas características profissionais e carreiras que fazem sentido de acordo com seus resultados! Ah, também é um teste vocacional rápido, bem mais do que você encontra por aí. 

teste vocacional do Na Prática
Teste Vocacional do Na Prática

O que é teste vocacional profissional

O teste vocacional, ou exame vocacional, é uma avaliação aplicada por diversos tipos de profissionais – como psicólogos, coachs, orientadores –  a fim de trazer mais clareza para quem está em busca de definir uma carreira a seguir. Eles podem se basear em várias teorias criadas por especialistas que mapearam perfis e agruparam em tipos.

Basicamente, a ideia de cada teste vocacional é, a partir da análise de um conjunto de características específicas da personalidade e traçando um paralelo com o que dizem um ou mais desses especialistas, conseguir apontar áreas ou profissões em que você pode se adequar melhor.

Teste de vocação X teste de aptidão

Embora tenha possibilidade de ajudar no autoconhecimento necessário para uma decisão de carreira, o teste de aptidão, ou exame vocacional, não serve para o mesmo fim que o teste vocacional. Na prática, o teste de aptidão avalia se a pessoa possui a capacidade exigida para um trabalho ou função. Por conta disso, muitas vezes é aplicado pelas organizações durante processos seletivos.

Na contramão, existem opções de testes de aptidão que buscam mapear as habilidades do profissional para, então, sugerir funções que combinem com seu ramo de competências. Então, da mesma forma que os testes vocacionais funcionam melhor como complemento, os de aptidão podem ser utilizados em conjunto com outras ferramentas – e reflexões – para ajudar na decisão de carreira. 

Por que os testes vocacionais não são o bastante (sozinhos!)

Não tem nada de errado em fazer um teste vocacional, nem em acreditar em seu resultado. O problema é: ele não é nem de longe o suficiente para você fazer uma escolha acertada de carreira. Infelizmente, é impossível que, com algumas perguntas, qualquer avaliação do tipo consiga contemplar toda a complexidade do seu perfil – incluindo sonhos, medos, valores, ambições e propósito.

Além disso, os testes vocacionais não medem todo seu potencial nem conseguem refletir o quanto você muda com cada escolha. Tem também outro ponto: o mercado de trabalho é grande demais e está em constante transformação. Muitas das profissões que existem hoje não existiam há cerca de 10 anos. Para você ter ideia, muitas pesquisas indicam que 50% das profissões que existem hoje desaparecerão ou mudarão radicalmente nos próximos 20 anos. Ou seja: as profissões do futuro ainda nem foram criadas – como um teste vocacional pode prevê-las?

Então, eles no máximo conseguem te dar um norte ao calcular o que está num círculo de possibilidades que podem fazer sentido de acordo com características superficiais da sua personalidade. O processo de escolha profissional, para ser completo e satisfatório, precisa envolver outros fatores – como seus interesses, influências e habilidades, além da sua curiosidade como ferramenta. Só assim você conseguirá sair do retrato do seu momento e passar a atuar como protagonista da sua vida.

 

Então, como descobrir minha vocação? (e como aproveitar o teste vocacional)

O processo de decisão profissional, para ser completo e satisfatório, precisa envolver outros fatores – como seus interesses, influências, valores, missão e habilidades. Há diversas formas de mapear alguns desses pontos importantes da sua personalidade. Uma delas, por exemplo, é a mandala Ikigai, um exercício que, basicamente, aborda diversas áreas e intercessões da vida pessoal e profissional e te dá clareza como levar em conta todos esses aspectos na hora de decidir a carreira.

 

Mandala Ikigai
Mandala Ikigai

 

Veja mais sobre a mandala Ikigai aqui!

Se preferir, coloque tudo que te importa e te move no papel da forma que achar melhor. Assim, visualiza o que deve ser levado em conta. A partir disso, faz sentido listar áreas, setores e profissões que se encaixem com tudo que você busca e tem a oferecer (ou quer ter a oferecer). Para se guiar por entre profissões existentes, vale fazer um teste vocacional e incrementar sua lista de possibilidades com os resultados.

Mesmo com essas dicas, descobrir que caminho profissional seguir é um processo complexo – por envolver várias facetas, como explicamos – e que pode ser diferente para todo mundo. A fim de auxiliar com ferramentas e teorias sobre caminhos profissionais e processos de decisão, a Fundação Estudar lançou o curso Decisão de Carreira Na Prática.

Viu como o teste vocacional deixa de fora muitos fatores importantes? Agora que você já sabe que a decisão de carreira está longe de parar por aí, entenda o que você pode fazer a partir dos resultados sobre as profissões que combinam com seu perfil, que você tira do Teste Vocacional do Na Prática, para se encaminhar profissionalmente. 

Depois de decidir no que quer atuar com nosso teste de orientação vocacional, como montar um plano de carreira

O plano de carreira serve para levá-lo do seu estado atual (como você está hoje profissionalmente) ao estado desejado (como gostaria de estar dentro de um período determinado de tempo). Assim, é interessante que ele seja trabalhado quando você escolher de fato qual trajetória quer seguir, após o processo de investigação complexo que envolve uma decisão tão grande quanto a de carreira.

O objetivo pode ser de médio ou longo prazo, adaptado e remodelado com o passar do tempo. Para começar, basta ter papel e caneta.

Passo 1: Defina seu estado desejado

Você já parou para pensar quem deseja ser profissionalmente daqui a dois, cinco ou dez anos? Essa reflexão é importante para alcançar a felicidade e plenitude nesse setor da sua vida, e nenhum teste vocacional vai te dar essa resposta. Quando você define seu objetivo, é capaz de guiar melhor sua carreira e aproveitar as oportunidades. Por fim, toma as rédeas da sua vida profissional e não fica à mercê dos acontecimentos.

Passo 2: Valide seu estado desejado

Mas não adianta apenas definir qual é seu estado desejado. Para se sentir efetivamente motivado e chegar até ele, você precisará compreender o que está por trás dessa vontade. Algumas questões podem ajudá-lo nessa reflexão:

  • Por que valerá a pena alcançar tal objetivo?
  • Por que isso é importante para você?

As respostas devem estar totalmente alinhadas aos seus valores e ao que você quer para sua vida. Somente assim será possível manter o foco durante toda a execução do seu plano de carreira.

Passo 3: Trace metas

Agora você já tem seu ponto de largada e o de chegada: só faltam os degraus que ligarão um ao outro. Para defini-los, faça o seguinte:

  • Identifique a distância que o separa do seu estado desejado
  • Divida essa distância em espaços menores
  • Mapeie o que você precisa aprender, adquirir ou mudar para chegar lá

Passo 4: Invista em autoconhecimento e conhecimento de mercado

Identificar o que precisa aprender, adquirir ou mudar fica muito mais fácil quando você investe em autoconhecimento – algo que vai muito além do teste vocacional. É muito importante descobrir quem você é, quais são seus pontos fortes e fracos, o que você que faz bem e o que precisa melhorar para desenvolver as habilidades e competências que permitirão que seu objetivo seja alcançado.

Também é importante conhecer de fato sua área de interesse e aquilo que você precisa saber para atuar naquele mercado. Para tanto, você pode:

  • Fazer uma pesquisa aprofundada sobre o setor e entender quem são as grandes empresas e grandes modelos, quais são as tendências, desafios e oportunidades
  • Conversar com profissionais da área que podem lhe oferecer conselhos úteis e atualizados
  • Conectar-se com o meio através de cursos, projetos e eventos

Passo 5: Estipule prazos para cumprir cada meta

Agora que você partiu do seu teste vocacional e criou metas, elas devem ser organizadas no plano de carreira de modo a permitir que você alcance determinado objetivo em um período bem definido. Isso exige que cada etapa seja cumprida dentro de um prazo. Ao estipular tais datas, você deve considerar realisticamente as dificuldades e os obstáculos que enfrentará. 

 

Infográfico feito pela parceira Venngage.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo