Um Projeto: Fundação Estudar
opções de carreira na psicologia

Conheça opções de carreira na psicologia para além do consultório

Por Tatyane Mendes

Os psicólogos têm um papel importante no bem-estar da sociedade. Por isso, no Dia do Psicólogo, o Na Prática separou algumas opções de carreira na psicologia que fogem do tradicional atendimento clínico em consultório

Em agosto, é celebrado o mês da Psicologia. O mês foi escolhido para promover atividades do exercícios profissional precedendo o Dia do (a) Psicólogo (a), comemorado em 27 de agosto. No Brasil, a profissão comemora 57 anos, após ser assegurada na Lei n. 4.119/1962. Em homenagem aos profissionais de psicologia, o Na Prática separou algumas opções de carreira na psicologia, que fogem do tradicional atendimento em consultório.

Pesquisadora em psicologia da saúde da Universidade Metodista de São Paulo e diretora da Associação Brasileira de Psicologia da Saúde, Miria Benincasa afirma que onde houver pessoas, há a possibilidade de inserir a psicologia. “A psicologia trata tanto de questões emocionais como cognitivas, relacionais e de competências. Então isso pode ser inserida em qualquer área humana”, relata.

Assim como Miria, o psicólogo Vitor Barros aponta que, apesar da psicologia ser muito conhecida pelo atendimento clínico, a área de estudo possibilita várias formas de atuação. Abaixo, a dupla explica algumas opções de carreira na psicologia. Confira!

Leia também:
Segurança psicológica: por que é importante para os profissionais e empresas?

#1 Psicologia organizacional e do trabalho

Dentro de empresas e organizações, os profissionais da psicologia podem atuar em frentes como recrutamento, seleção, treinamento, avaliação de desempenho, construir planos de carreira, selecionar benefícios para os colaboradores, criar programas de qualidade de vida e auxiliar no planejamento estratégico. Segundo Miria, é uma área de atuação bastante rentável para quem quer seguir carreira na psicologia. e que apresenta muitas oportunidades de trabalho.

O profissional também atua para preservar a saúde mental e integridade dos funcionários no ambiente organizacional. “Ele vai mapear os riscos que o contexto e volume de trabalho podem causar e avaliar se práticas de gestão estão levando a algum tipo de adoecimento”, explica Vitor.

#2 Psicologia comunitária

Esse profissional vai atuar mais voltado para a atenção básica de saúde, promovendo rodas de conversa e atividades terapêuticas como uma forma de prevenção a maus psicológicos. Eles também podem desenvolver programas de atenção para minimizar problemas sociais, como violência em uma comunidade, por exemplo, depois de uma avaliação de quais são os maiores riscos enfrentados por aquele grupo.

#3 Psicólogo de políticas de saúde mental

Entre as opções de carreira na psicologia, também é possível desenvolver políticas públicas de atenção à saúde mental. Esses profissionais atuam tanto nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) cuidando da atenção básica de saúde mental como também em internação de clínicas psiquiátricas e residências terapêuticas. Para atuar na área, é preciso prestar concurso público.

#4 Psicólogo de orientação vocacional / escolar

É responsável por preservar a saúde mental dos estudantes, da relação saudável com a instituição, propiciando melhorias no processo ensino-aprendizagem. O psicólogo escolar também vai cuidar das relações sociais como um todo, evitando problemas como bullying e dificuldades de aprender ou se relacionar. Também pode orientar na escolha de carreira.

#5 Psicólogo de medidas socioeducativas

Este profissional vai atuar junto a menores infratores ou adolescentes em conflito com a lei para entender melhor sua realidade e o meio em que ele vive, além de ajudar a propor medidas socioeducativas e implementá-las para que esses jovens não voltem a rescindir em crimes. Atua com políticas públicas em parceira com profissionais da área de assistência social e pedagogia. Para atuar na área, é preciso prestar concurso público.

#6 Psicólogo do esporte

O ramo esportivo também oferece opções de carreira na psicologia. Atuação com bastante evidência, o profissional ajuda times e atletas acompanhando a motivação em competições e jogo mental necessário para enfrentar adversários, dificuldades e pressões externas durante grandes campeonatos ou disputas.

#7 Psicólogo policial/criminal

Pode atuar dentro de delegacias, policiais ou tribunais, acompanhando casos como de violência contra a mulher ou que necessitem de habilidades forenses ou criminais, realizando avaliações psicossociais em situações como compartilhamento de guarda ou de crimes hediondos, fazendo perfil tipológico de assassinos e possíveis criminosos, predições de comportamento de indivíduos possivelmente perigosos, além de acompanhar e treinar policiais.

#8 Psicólogo econômico

A área de consumo e economia também abre possibilidades para opções de carreira na psicologia. O psicólogo pode verificar o comportamento do consumidor, seja em relação a compra de um produto ou no comportamento em um site, buscando eficiência em vendas e retenção de clientes.

Leia também: Como a psicologia positiva pode ajudar no autoconhecimento

#9 Psicologia da saúde/hospitalar

Mesmo fora dos consultórios, os psicólogos podem atuar em hospitais, postos, centros e unidades básicas de saúde prestando atendimento em enfermarias, alas oncológicas, prontos-socorros, internação e centro cirúrgicos. “Essa área é muito ampla e também utiliza recursos do atendimento clínico, seja em consultas individuais ou grupos preventivos, para pensar e discutir sobre doenças, alternativas de melhor qualidade de vida, prevenção e intervenções na saúde”, explica Miria. Ela acrescenta que prefeituras, em geral, possuem demandas para esse tipo de profissional.

#10 Psicologia acadêmica

O profissional também pode optar por pesquisar sobre a área de atuação, com um enfoque em umas das diversas subáreas, e gerar conhecimento e dados para a área, buscando sempre melhorar a atuação dos profissionais.

De forma geral, Vitor aponta que o psicólogo precisa de domínio técnico sobre a vertente na qual ele vai atuar, assertividade, boas habilidades de comunicação, empatia, mas que o profissional seja capaz também de lidar com suas próprias emoções, sendo calmo e imparcial no atendimento.

Miria recomenda que o profissional se especialize na área que mais o interesse, uma vez que ela avalia que não é possível dominar alguma especialidade apenas com a graduação. “Cada uma dessas áreas exige um perfil ou habilidades específicas, mas todas elas exigem principalmente o investimento na formação e na carreira”, aponta. Ela sugere integrar grupos de estudos na área desejada para se aproximar mais da temática.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo