Inicio Vagas Prepare-se Entrevista de emprego: guia completo para você conquistar a vaga dos seus...

Entrevista de emprego: guia completo para você conquistar a vaga dos seus sonhos

Não pode ler este texto sobre entrevista de emprego? Ouça o conteúdo no player abaixo!

A entrevista de emprego é um dos momentos mais temidos dos processos seletivos. Não por acaso: o candidato fica frente a frente com o recrutador e tem pouco tempo para impressionar. Além disso, precisa controlar o nervosismo, se atentar à forma com que fala, à postura, e responder as perguntas objetivamente.

Dar atenção a esses aspectos, no entanto, pode não ser o bastante para cativar. Destacar-se em uma entrevista de emprego também requer que o perfil, objetivo e habilidades do profissional estejam alinhadas ao que empresa busca.

Com tantas preocupações, se você quer a oportunidade, não vale a pena ir sem se preparar. Siga esse guia completo da entrevista de emprego do Na Prática para não só dominar os pontos básicos como mostrar seu valor e conquistar o entrevistador. Não tem erro!

Índice

  1. Como se sair bem em uma entrevista de emprego
  2. Como se preparar
  3. Como escapar de “saias justas”
  4. Vídeo de entrevista
  5. Como se comportar
  6. Perguntas e respostas das entrevistas
  7. Redação para entrevista de emprego
  8. Como saber se fui bem?

Como se sair bem em uma entrevista de emprego

Para mandar bem nessa etapa, o candidato precisa se preparar. São muitos detalhes e pontos a desenvolver – deixar tudo para a última hora, ou “improvisar”, é arriscado.

Essa preparação não deve começar na véspera. Na realidade, ela começa com o currículo, que guiará a conversa com o recrutador. Nele, procure apresentar resultados, além das habilidades e conhecimentos. Treine contar e explicar cada um dos pontos que você descreve no documento.

E também saiba resumir a sua trajetória em poucos minutos, sem esquecer de passar pelos momentos ou fatos mais relevantes.

Quer saber como conquistar a vaga dos seus sonhos?  Faça o curso Processos Seletivos Na Prática!

Não deixe de pesquisar a empresa. Além de, na maior parte das entrevistas, os recrutadores perguntarem sobre o que o profissional sabe, aprender sobre a companhia ajuda a entender de quem ela precisa em seu quadro de funcionários. É de alguém que lida bem com autonomia e rapidez? Ou de quem trabalha muito bem em equipe?

Outra coisa a ser trabalhada é a confiança. Tudo bem estar nervoso, mas controle os sinais e os substitua com sinais de segurança e autoconfiança (o que é diferente de arrogância, cuidado!).

A seguir, confira tudo o que é preciso – desde à preparação, até o que fazer depois da entrevista de emprego.

Como se preparar para uma entrevista de emprego

autoconhecimento é um dos pontos mais relevantes, porque influencia diretamente em como a pessoa conta a sua história. Segundo Leonardo Gomes, coordenador de seleção da Fundação Estudar, é importante ter clareza sobre a trajetória, experiências anteriores relevantes, pontos a desenvolver, erros do passado, limitações e ter um plano, pelo menos de curto prazo, para a carreira.

Também é possível treinar para os testes online, como os de capacidade analítica, inteligência espacial, análise crítica de texto e até resolução de cases. Busque referências na internet! O Na Prática já destrinchou os testes de lógica, os de inglês e os desafios de cases, entre outros.

Não basta só se conhecer, você precisa saber contar a sua história. Afine sua habilidade de storytelling. Se tem uma frase que com certeza será dita durante a entrevista de emprego é: “Me fale sobre você”. Por isso, saiba narrar sua trajetória de forma “curta”, tenha uma versão de 5 minutos, e “longa”, com cerca de 8 minutos.

Utilize o método STAR, um jeito de estruturar que ajuda na hora de narrar suas conquistas. STAR é um acrônimo para Situação, Tarefa, Ações e Resultado. Basicamente, é só seguir essa ordem ao narrar seus feitos. Assim, garante que nenhum ponto importante ficará de fora.

Em busca de emprego? Baixe 10 templates de currículo para preencher!

Atualmente, as companhias buscam candidatos que se adequem à sua cultura – o famoso “fit cultural” -, por isso é muito importante estudar sobre a organização para a qual se aplica. Além disso, é bom saber sobre o contexto da indústria, em específico. Estude os seguintes pontos:

# Macroeconomia

Você não precisa ser um expert, mas é bom saber como anda a situação política e econômica do Brasil. Qual a situação mundial? Qual é a aposta para ser a nova superpotência mundial?

# Indústria

Quem são os principais clientes no setor da empresa? E os principais concorrentes? Quem domina o mercado?

# Empresa

Como é a cultura da empresa? Sua missão, visão e valores? Como ela se comporta nas redes sociais? Como sua marca se posiciona? Quais seus principais produtos?

# Área/função:

O que a área para qual você está se candidatando faz? Como se encaixa na empresa como um todo? Qual é o perfil dos profissionais? Como você pode contribuir para essa área?

Por fim – e, definitivamente, não menos importante – estude as perguntas mais básicas, sem se esquecer de se preparar para as mais difíceis. Não dá para prever as questões mais originais que o recrutador fará. Mas, tendo pesquisado sobre a empresa, você pode tentar se preparar para responder pontos que surjam.

Por exemplo, se autonomia é um foco da organização, pense em como explicaria como você lida com esse valor durante o dia a dia. E assim por diante. Confira essa lista de perguntas mais difíceis para se inspirar!

Como escapar de “saias justas”

Algumas “saias justas” podem ser evitadas. Por exemplo: atrasos. Quem mora em lugares que têm trânsito diariamente, precisa sair mais cedo. Mas se acontecer, ligue para o recrutador quando perceber que não vai conseguir cumprir o horário e explique honestamente a situação. Dê espaço para ele decidir se espera você chegar, ou se remarca a entrevista de emprego.

Quando o entrevistador pergunta algo com que você não está confortável em responder, como sobre sua idade, avalie o contexto e responde com sinceridade.

“Se for muito mais velho do que a média dos profissionais da empresa, diga que isso não interfere na sua disposição para aprender. Se for muito mais jovem, deixe claro que tem maturidade suficiente para assumir a posição”, explica Isis Borge, gerente de divisão da consultoria Robert Half, à revista EXAME.

Já no começo da conversa, você pode perceber que o entrevistador está sendo meio “frio”, ou mal-humorado. Lembre-se que ter dias ruins é comum e pode acontecer com todo mundo. Não encare como uma questão pessoal, relacionada a você, nem deixe que seu nervosismo aumente por conta disso.

Avalie o clima: tente “quebrar o gelo” com assuntos amenos no início da conversa e, se o interlocutor se mostrar fechado, foque em ser objetivo e dar respostas diretas.

Como fazer um vídeo de entrevista de emprego

Se nas etapas previstas no processo seletivo, um dos requisitos é que o candidato grave um vídeo, o ideal é seguir as normas previstas. Preste atenção em quantos minutos o vídeo precisa ter e até sobre seu formato.

Essa etapa está se tornando mais comum, e, na realidade, trata-se de mais uma forma que os recrutadores têm de conhecer você. Utilize a oportunidade para despertar interesse sobre você e sua trajetória.

Aspectos técnicos

Primeiro, separe o equipamento em que irá gravar e o prepare. Pode ser uma câmera, um celular, ou até uma webcam. O importante é que ele seja feito no formato horizontal e gravado durante o dia, para aproveitar a luz natural.

Em câmeras ou smartphones, tente estabilizar a imagem utilizando apoios ou tripés. Lembre-se também de verificar (antes!) como está a captação do áudio.

Ambiente

Escolha um lugar silencioso e organizado para gravar sua apresentação. Qualquer barulho exterior pode dificultar a captação do som. Certifique-se de que não haja distrações ao seu redor – tanto para você, quanto para o espectador.

Aparência

Vista-se como se você fosse a uma entrevista presencial. Baseado na sua pesquisa sobre a empresa e a vaga, escolha entre uma roupa mais formal ou mais casual. É importante que o traje não fuja do contexto ou se destaque mais do que o conteúdo.

Conteúdo

Por mais que seja um vídeo curto, na maioria das vezes, serve para instigar o recrutador. Por isso, aparecer lendo não é uma boa ideia. Escreva um roteiro simples e objetivo, que resuma bem quem você é, ao menos profissionalmente. Leia várias vezes até que consiga falar para a câmera com segurança.

Não decore palavra por palavra, porque pode não parecer sincero no relato. Também evite tocar nos pontos exatos do seu currículo, porque o recrutador já tem acesso a ele. Foque em explicar os movimentos da trajetória.

Modelo de currículo criativo para baixar e preencher!

Por exemplo, por que escolheu migrar para outra área? Que habilidades desenvolveu em tal etapa da carreira? O que fez para se desenvolver nos meses em que esteve desempregado?

Contar por ordem cronológica, nesse caso, é sempre uma boa ideia. Mas se você quer se diferenciar ainda mais, trace a história de uma forma criativa, que faça sentido e tenha coerência.

Tome cuidado para não deixar o vídeo relaxado ou descontraído demais. Guie-se pela formalidade exigida pela vaga.

Como se comportar em uma entrevista de emprego

Alguns comportamentos podem ajudar a cativar o recrutador no momento da entrevista (Imagem: Pexels/Tima Miroshnichenko).

O candidato pode cativar o entrevistador, de início, com alguns comportamentos:

# Cuide do visual

Escolha seu vestuário com atenção e tente adequar ao tipo de empresa a que se aplica. Na dúvida, aposte em roupas sóbrias e clássicas.

# Seja gentil

A cordialidade é uma das formas de conquistar. Seja gentil com todos que encontrar na empresa, desde a hora em que entrar. “Já liguei várias vezes para a recepcionista para saber como o profissional tinha se comportado diante dela, quando chegou ao prédio”, explica Raphael Falcão, diretor da consultoria Hays, ao Na Prática. “Se é grosseiro com ela, não adianta nada ser extremamente educado depois.”

# Identifique o estilo do entrevistador 

ciência já provou, diversas vezes, que a similaridade tem papel forte no quanto “agradamos” alguém. Não é diferente nos processos seletivos. Dessa forma, é indicado ao candidato avaliar a forma com o outro se porta e “imitar”. Isso não é o mesmo que mentir ou mudar sua personalidade. Há um tempo, Felipe Brunieri, na consultoria Talenses, deu a dica ao Na Prática:

“Cada recrutador tem uma personalidade diferente: alguns são mais sisudos e formais, enquanto outros preferem uma abordagem mais coloquial e descontraída. Identificar rapidamente esse estilo, e se adaptar a ele, conta muitos pontos ao seu favor.”

O que responder em uma entrevista de emprego: 30 perguntas e respostas

Para quem ainda tá na dúvida sobre como responder as principais perguntas feitas em uma entrevista de emprego, o Na Prática conta com uma minissérie especial. Confira a seguir 30 perguntas e respostas mais comuns em um processo seletivo e como mandar bem!

#1 “Me fale sobre você…”

#2 “Quais são seus pontos fortes e fracos?”

#3 “Como você se vê daqui a 10 anos?”

#4 “Por que devo te contratar?”

5. “Por que não devo te contratar?”

#6 Como você soube desta vaga?

Outra pergunta de entrevista aparentemente inocente, esta é na verdade uma oportunidade perfeita para se destacar e mostrar sua paixão e conexão com a empresa. Por exemplo, se você soube do trabalho por meio de um amigo ou contato profissional.

Neste caso, diga o nome dessa pessoa e, a seguir, conte por que você estava tão entusiasmado com o trabalho. Mesmo que você tenha encontrado a vaga por meio de uma divulgação de empregos aleatória, compartilhe o que, especificamente, chamou sua atenção sobre a função.

#7 Por que você deseja trabalhar nesta empresa?

Cuidado com as respostas genéricas! O indicado é que antes da entrevista você pesquise a empresa e aponte o que a torna única para a sua escolha. Fale, por exemplo, sobre como você viu a empresa crescer e mudar desde a primeira vez que ouviu falar dela ou compartilhe o que o empolgou com suas interações com os funcionários até agora. Seja qual for a rota que você escolher, certifique-se de ser específico.

#8 Quais contribuições você pode trazer para a empresa?

Quando os recrutadores fazem essa pergunta, eles não querem apenas ouvir sobre sua experiência. Na verdade, eles querem ver que você entende quais problemas e desafios estão enfrentando como empresa ou departamento, bem como como você se encaixará na organização existente.

Por isso, leia atentamente a descrição do cargo, faça sua pesquisa sobre a empresa e certifique-se de prestar atenção nas entrevistas iniciais para entender quaisquer desafios que serão parte da sua rotina. Em seguida, a chave é conectar suas habilidades e experiências às necessidades da empresa e compartilhar um exemplo que mostra como você fez um trabalho semelhante ou transferível no passado.

#9 Conte sobre um desafio ou conflito que você enfrentou no trabalho e como você lidou com ele

É bastante provável que falar de conflitos não seja exatamente o tipo de assunto que você gostaria de abordar numa entrevista de emprego. Mas, caso você seja perguntado diretamente sobre o assunto, não finja que nunca teve um. Seja honesto sobre uma situação difícil que você enfrentou (porém sem entrar no tipo de detalhe que você compartilharia com um amigo).

Mantenha a calma e seja profissional ao contar a história – respondendo a quaisquer perguntas subsequentes. Uma dica é despender mais tempo falando sobre a resolução do que sobre o conflito. Além disso, caso haja abertura, mencione o que você faria de diferente na próxima vez para mostrar que você está aberto para aprender com experiências difíceis.

#10 Conte a sua maior (ou uma) conquista profissional

Poucas coisas são mais eficientes durante uma entrevista de emprego do que demostrar um histórico de resultados. Assim, não precisa ser tímido na hora de revelar conquistas e seja bastante claro.

Uma diga é usar o método STAR, o qual o Na Prática explicou em detalhes neste post. Resumidamente, para usá-lo é necessário definir a situação e tarefa que serão contados. Além disso, em seguida, descreva o que você fez (ação) e o que você alcançou (resultado).

#11 Conte sobre uma ocasião em que você demonstrou habilidades de liderança

Você não precisa ter um título sofisticado para agir como líder ou demonstrar habilidades de liderança. Pense em uma ocasião em que você liderou um projeto, tomou a iniciativa de propor um processo alternativo ou ajudou a motivar sua equipe a fazer algo. Mais uma vez, use o método STAR para contar uma história ao recrutador, dando detalhes suficientes para contextualizá-lo e certifique-se de contar o resultado obtido.

#12 Por que você está deixando seu emprego atual?

Essa é difícil, mas pode ter certeza de que muito provavelmente será perguntado caso você ainda esteja vinculado a uma empresa. Para começar, seja positivo em relação a posição, equipe e organização da qual você pretende deixar – afinal, você não tem nada a ganhar sendo negativo em relação ao seu empregador atual.

Em vez disso, demonstre que você está ansioso para aceitar novas oportunidades e que a função para a qual está sendo entrevistado se encaixa melhor. Por exemplo: “Gosto muito do meu trabalho e tenho aprendido muito nesses últimos dois anos. Apesar disso, eu realmente adoraria fazer parte do desenvolvimento de produtos do início ao fim e sei que teria essa oportunidade aqui”.

#13 Por que você foi despedido?

Faz parte do mundo profissional as demissões e a razão para a dispensa pode ser questionada numa entrevista de emprego. Se houve cortes na empresa ou algum tipo de reestruturação, conte sobre o momento vivido. Por outro lado, caso você tenha sido despedido por conta do desempenho, seja honeste e demonstre como a experiencia serviu de aprendizado.

Compartilhe como você cresceu e como encara seu trabalho e sua vida agora como resultado. Aliás, se você conseguir retratar o seu crescimento como uma vantagem para este próximo trabalho, melhor ainda.

#14 Como seu chefe e colegas de trabalho o descreveriam?

Em primeiro lugar, seja honesto (lembre-se, o recrutador poderá entrar em contato com seus ex-chefes e colegas de trabalho para obter referências!). Em seguida, tente extrair pontos fortes e características que você não discutiu em outros aspectos da entrevista, como, por exemplo, uma forte ética de trabalho ou sua vontade de contribuir em outros projetos quando necessário.

#15 O que você menos gosta no seu trabalho?

Tenha cuidado com essa resposta! A última coisa que você quer fazer é demonstrar sobre o quão terrível é a sua empresa atual ou o quanto você odeia seu chefe ou aquele colega de trabalho. A maneira mais fácil de lidar com essa questão com equilíbrio é se concentrar em uma oportunidade para a função que você está entrevistando, mas que seu emprego atual não tem. Você pode manter a conversa positiva e enfatizar por que está tão entusiasmado com o trabalho.

#16 Qual é o seu estilo de trabalho?

Quando um entrevistador lhe pergunta sobre o seu estilo de trabalho, provavelmente está tentando imaginá-lo no papel. Como você desempenhará o seu trabalho? Como será trabalhar com você? Você vai se entrosar bem com a equipe existente?

A questão é ampla, o que significa que você tem muita flexibilidade em como responder: é possível falar sobre como se comunica e colabora em projetos multifuncionais, que tipo de configuração de trabalho remoto permite que você seja mais produtivo ou como você lidera uma equipe e gerenciando reportes diretos. Apenas tente ser positivo. E lembre-se de que contar uma história quase sempre tornará sua resposta mais memorável.

#17 Como você lida com a pressão ou situações estressantes?

Aqui está outra pergunta que você pode querer evitar na tentativa de provar que é o candidato perfeito e pode lidar com qualquer situação. Entretanto, é importante não fugir da resposta (ou seja, não diga: “eu apenas abaixei minha cabeça e deixei as coisas acontecerem” ou “eu não fico estressado”).

Em vez disso, fale sobre suas estratégias para lidar com o estresse – por exemplo, meditando por 10 minutos todos os dias ou mantendo uma lista de tarefas detalhada – e como você se comunica e tenta proativamente mitigar a pressão. Se você puder dar um exemplo real de uma situação estressante pela qual lidou com sucesso, melhor.

#18 Como você gosta de ser liderado?

Esta é mais uma daquelas perguntas sobre como encontrar o ajuste certo – tanto da perspectiva da empresa quanto da sua. Pense no que funcionou bem para você no passado e no que não funcionou. O que seus chefes anteriores fizeram que o motivou e ajudou a ter sucesso e crescer?

Deste modo, escolha uma ou duas coisas para focar e sempre as articule com um enquadramento positivo (mesmo que sua preferência venha de uma experiência em que seu gerente se comportou de maneira oposta, expresse como o que você gostaria que um gerente fizesse). Se você puder dar um exemplo positivo de um grande chefe, sua resposta ficará ainda mais forte.

#19 Por que houve uma lacuna no seu emprego?

Talvez você estivesse cuidando de crianças ou pais idosos, lidando com questões de saúde ou viajando pelo mundo. Ou mesmo talvez você tenha demorado muito para conseguir o emprego certo. Seja qual for o motivo, você deve estar preparado para discutir a lacuna (ou lacunas) em seu currículo.

A chave é ser honesto, embora isso não signifique que você precise compartilhar mais detalhes do que se sentir confortável. Se houver habilidades ou qualidades que você aprimorou ou adquiriu no tempo longe do mercado de trabalho – seja por meio de trabalho voluntário, administrando uma casa ou respondendo a uma crise pessoal – você também pode falar sobre como isso o ajudaria a se destacar nesta função.

#20 Como você planeja atingir seus objetivos de carreira?

Ter metas mostra aos entrevistadores que você se preocupa, é ambicioso e pode pensar no futuro. Ter um plano de como você alcançará seus objetivos demonstra sua automotivação, bem como habilidades organizacionais e de gerenciamento de tempo. Finalmente, o fato de você ter cumprido as metas anteriores que estabeleceu para si mesmo é uma prova de sua capacidade de seguir adiante.

Juntos, esses são indicadores de que você pode não apenas definir e atingir seus próprios objetivos, mas também ajudar seu futuro chefe, equipe e empresa a fazer o mesmo. Para elaborar sua resposta, certifique-se de focar em um ou dois objetivos detalhadamente, explicar por que os objetivos são significativos, comunicar quais marcos estão surgindo, destacar sucessos anteriores e conectar-se novamente a este trabalho.

#21 Você pode explicar por que mudou seus planos de carreira?

Não se surpreenda com essa pergunta – apenas respire fundo e explique ao recrutador por que você tomou as decisões de carreira que tomou. Mais importante, dê alguns exemplos de como sua experiência anterior pode ser transferida para a nova função.

#22 Qual é o trabalho dos seus sonhos?

Mais uma vez, o entrevistador deseja descobrir se posição da qual você está se candidatando está realmente de acordo com seus objetivos de carreira. Uma dica importante é falar sobre seus objetivos e ambições – e por que esse trabalho o deixará mais perto deles.

#23 Se você fosse um animal, qual você gostaria de ser?

Perguntas aparentemente aleatórias como essas surgem nas entrevistas porque os recrutadores querem ver como você pode pensar por si mesmo. Não há uma resposta errada aqui, mas você ganhará pontos imediatamente se sua resposta o ajudar a compartilhar seus pontos fortes ou personalidade. Por isso, não pense apenas no animal que você mais gosta, mais qual mais combina com você.

#24 Quais são as suas expectativas salariais?

A regra número um para responder a essa pergunta é: descubra com antecedência os requisitos de seu salário. Faça uma pesquisa para saber o quanto o mercado tem remunerado a sua função. Além disso, para responder, certifique-se de levar em consideração sua experiência, formação, habilidades e necessidades pessoais também.

#25 Como seriam seus primeiros 30, 60 ou 90 dias nesta função?

Seu futuro chefe em potencial (ou qualquer outra pessoa que lhe tenha feito essa pergunta) quer saber se você pesquisou ou pensou um pouco sobre como começaria e seria capaz de tomar a iniciativa se contratado. Portanto, pense em quais informações e aspectos da empresa e da equipe você precisará para se familiarizar.

Além disso, outro caminho é sugerir um possível projeto inicial para mostrar que está pronto para começar a trabalhar e contribuir desde o início. Se conseguir o emprego, essa não será necessariamente a coisa que você fará primeiro, mas uma boa resposta mostra que você é atencioso e se importa.

#26 O que devo saber que não está no seu currículo?

É um bom sinal se um recrutador estiver interessado em mais do que apenas o que está em seu currículo. Provavelmente significa que eles olharam seu currículo, acham que você se encaixa bem para o cargo e querem saber mais sobre você.

Neste caso, tente falar sobre um traço positivo, uma história ou detalhe que revele um pouco mais sobre você e sua experiência ou um objetivo que o deixa animado com esta função ou empresa.

#27 Você está se candidatando para outras vagas e/ou empresas?

As empresas podem perguntar com quem mais você está em processo seletivo por alguns motivos. Talvez eles queiram ver se você leva a sério essa função e essa equipe (ou mesmo esse campo) ou estão tentando descobrir com quem estão competindo para contratá-lo. Não tem problema nenhum ser honesto quanto a isso – inclusive, é possível usar o fato a favor. Por exemplo, comente o que há de comum nas funções e/ou empresas pretendidas.

#28 Quando você pode começar?

Seu objetivo aqui deve ser definir expectativas realistas que funcionarão para você e para a empresa. Se você estiver pronto para começar imediatamente – se estiver desempregado, por exemplo –, você pode se oferecer para começar na mesma semana.

Mas se você precisar avisar ao seu empregador atual, não tenha medo de dizê-lo. O recrutador irá entender e respeitar que você planeja encerrar as coisas da maneira certa. Também é legítimo querer fazer uma pausa entre os trabalhos, embora você possa dizer que tem “compromissos previamente agendados para cumprir”, porém tentando ser flexível se eles realmente precisarem de alguém para começar um pouco mais cedo.

#29 Há algo mais que você gostaria que soubéssemos?

Quando você pensou que tinha acabado, o entrevistador lhe faz essa pergunta – porém não entre em pânico. Primeiro, se realmente houver algo relevante que você não teve a chance de mencionar, faça-o agora. Caso contrário, aproveite o momento para resumir brevemente suas qualificações e o porquê elas serem importantes para a função pretendida.

#30 Você tem alguma pergunta?

Você provavelmente já sabe que uma entrevista não é apenas uma chance para o recrutador interrogá-lo – é uma oportunidade para descobrir se um emprego se encaixa na sua perspectiva. O que você quer saber sobre o cargo? Sobre empresa? Sobre o departamento e time? Portanto, tenha algumas perguntas menos comuns prontas para fazer.

Perguntas que você pode fazer

Toda entrevista de emprego tem aquele momento em que o entrevistador pergunta se o candidato tem alguma questão. Esse é o momento ideal para tirar dúvidas que tenham ficado. Como quão flexíveis são os horários, como se dá a interação entre as equipes, qual seria sua principal responsabilidade se conseguisse o cargo.

Porém, se não tenha nenhuma dúvida na cabeça e, mesmo assim, queira aproveitar a oportunidade para se destacar ainda mais, tenha algumas perguntas na manga. A seguir, alguns exemplos:

1. Como a empresa vai estar daqui a um ano? De todas e quaisquer perspectivas – produto, pessoas, equipes, receita.

2. O que significa sucesso para funcionários em posições iniciais nessa empresa?

3. Como você descreveria a equipe e o gerente do time em que eu trabalharia?

4. Se você me oferecesse o emprego, o que recomendaria que eu fizesse para começar com o pé direito?

5. O que preciso realizar nos primeiros 90 a 120 dias para ser um sucesso e causar impacto?

Redação para entrevista de emprego

É bastante comum que as empresas e recrutadores incluam as redações em seus processo seletivos (Imagem: Pexels/Andrea Piacquadio).

Em algumas entrevistas, o recrutador pede uma redação. O tema pode variar, mas em geral é sobre a empresa ou o candidato, sua trajetória. Para o primeiro assunto, o objetivo é entender o que o profissional sabe sobre a companhia, se pesquisou, se preparou, e se compreende o negócio. No segundo, ele busca sinais de que o candidato tem noção sobre seus objetivos e se suas ações mostram autoconhecimento, vontade de se desenvolver e alinhamento com suas metas.

Não importa o tema, alguns pontos de atenção são indispensáveis. Por exemplo, gramática correta, já que os recrutadores avaliam isso também. Evite gírias, abreviações e, se conseguir, varie o vocabulário. A repetição de palavras, principalmente próximas, pode deixar o texto cansativo.

Porém, tenha cuidado ao usar com frequência palavras muito complexas: o material pode se tornar confuso e perder a coesão, que é um dos quesitos mais valiosos para quem avalia nesse contexto.

Estruture o texto em uma linha de pensamento que faça sentido. Por exemplo, introdução, desenvolvimento do tema e conclusão. Não se esqueça de um título relacionado, que não exponha todo o conteúdo da redação, mas que deixe claro seu teor.

Mas como saber se fui bem na entrevista?

O que fazer depois da entrevista de emprego é uma dúvida entre muitos candidatos. Se você sentir que a conversa fluiu bem e a oportunidade te interessar bastante, pode mandar um e-mail de agradecimento pela disposição do recrutador.

Durante a conversa, se o entrevistador pediu que você solucionasse um problema, envie um e-mail aprofundando sua proposta. Ou envie os trabalhos que mencionou.

Mostrar interesse é importante para conseguir a vaga, no entanto, tenha cuidado e perceba se ele deixou espaço ou não para um novo contato.

No caso de ter sido recomendado por alguém, mesmo que não seja de dentro da empresa, é importante ressaltar isso no e-mail de agradecimento. Converse com a pessoa que te recomendou e demonstre interesse na vaga, o feedback positivo pode acabar chegando aos ouvidos do recrutador.

Não tem como ter certeza de ter ido bem ou mal depois de uma entrevista. Existem sinais, mas eles são subjetivos e, ao mesmo tempo, pode ser difícil percebê-los. Ainda que o ideal não seja focar nisso durante a entrevista, se o entrevistador parecer estar gostando da conversa, pode ser que você tenha impressionado.

Se as próximas etapas foram discutidas, ou se o tempo da entrevista foi maior do que o previsto, também podem ser bons sinais. Outro é se o recrutador tentou “vender” a empresa e a vaga para você.

De qualquer forma, a “falta” desses sinais não é decisiva, por isso não se desanime se não lembrar de nenhum deles.

Entrevista por videochamada

Com o isolamento social e a alta busca por emprego, os profissionais precisam estar preparados para realizar entrevistas por chamada ou videoconferência. Especialista em recrutamento do Grupo Boticário dá dicas ao Na Prática de como se sair bem nessa modalidade.

Suas principais recomendações são:

1. Ter uma boa conectividade de internet:

“Isso faz com que o processo ocorra sem grandes interrupções e desentendimentos, evitando falhas de comunicação.”

2. Estar atento ao próprio visual:

“O contexto de entrevista nem sempre exige que o candidato vista-se de maneira formal, com um dress code estabelecido. Aqui no Grupo Boticário não temos essa exigência, no entanto, esperamos que esse momento de troca seja valorizado com um cuidado na sua escolha.”

3. Escolher um lugar apropriado:

“O espaço ideal precisa ser silencioso e adequadamente iluminado. Algumas ferramentas de comunicação permitem, por exemplo, ‘embaçar’ o que está atrás do entrevistado, que pode ser um recurso interessante quando não se tem um ambiente mais adequado em casa para realizar a conversa. O importante é que o candidato se sinta à vontade e tenha poucas possibilidades de interrupção.

4. Cuidar do seu marketing pessoal:

Assim como na entrevista presencial, o recrutador espera que o candidato fale sobre suas competências e principais resultados. Nathalia recomenda que os profissionais façam essas reflexões anteriormente e estejam prontos para falar sobre.

Os melhores conteúdos para impulsionar seu desenvolvimento pessoal e na carreira.

Junte-se a mais de 1 milhão de jovens!
Casdastro realizado, fique ligado para os conteúdos exclusivos!
Seu cadastro não foi realizado, tente novamente!

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: