Planos de carreira a longo prazo são úteis por melhor direcionar os profissionais durante a sua trajetória. Contudo, é preciso ficar atento para não pecar pelo excesso e enrijecer o planejamento – a pandemia está há mais de um ano mostrando que imprevistos acontecem e podem perdurar.

Pensando nisso, Benjamin Todd, CEO e cofundador da 80.000 Hours, organização que pesquisa sobre carreiras de impacto social, pontua que sempre vale a pena apostar em um sonho grande, mas até lá não há problemas em aproveitar boas oportunidades que estejam disponíveis no presente.

Leia também: Plano de ação: como fazer um mapa para conquistar seus objetivos

Inclusive, ele salienta que é muito comum que, ao estabelecer uma meta para o futuro, muitas pessoas se percam no planejamento. E, por isso, não são eficientes em tirem os projetos do papel. “O ideal seria buscar por um plano de carreira a longo prazo equilibrado – que não desfavoreça nenhum aspecto da trajetória profissional”, pontua Todd.

 

 

E para quem está em busca desse equilíbrio, seja por temer o excesso de detalhes ou por acreditar que eles não são necessários (e quer ter uma segunda opinião), o executivo apresentou tanto argumentos favoráveis quanto contrários aos planos de carreira a longo prazo. O artigo original foi publicado em inglês e pode ser conferido aqui.

Argumentos contrários

Muitas pessoas costumam ficar paralisadas quando pensam nas opções a longo prazo. Afinal, existe a ideia de que se trata de uma decisão única e que seja necessário “acertar” imediatamente.

“No entanto, na maioria das vezes, embora o profissional possa se comprometer durante alguns anos a um emprego, a verdade é que ele não deixará de ter oportunidades de mudar de rumo futuramente.”

Além disso, é necessário considerar que preferências e habilidades podem se transformar em algo novo e guiar o profissional a outros caminhos. “Outro fato que deve ser considerado é que o próprio mundo mudará – incluindo quais problemas são mais urgentes e quais são os principais gargalos”, explica o executivo.

Isso não significa que seja inútil fazer planos de longo prazo. Contudo, ter um planejamento excessivamente detalhado pode fazer com que o foco seja dado unicamente na direção daquele caminho. Para quem está no início da carreira, e muitas vezes ainda experienciando qual rotina mais agrada, o ideal é ter um plano e simultaneamente abertura para aproveitar as oportunidades disponíveis.

Aproveite também o agora

Outra opção, segundo ele, seria trabalhar separadamente ou adaptar um plano de carreira a partir das oportunidades que surgem por si mesmas. Ainda segundo Todd, uma das estratégias mais úteis é simplesmente buscar por diferentes empregos específicos e se candidatar nas que mais interessam.

“O objetivo pode ser adotar medidas que o coloquem o indivíduo em uma posição geralmente melhor [seja em relação a cargo, remuneração e/ou benefícios].”

Argumentos favoráveis

Dito tudo isso, é importante relembrar que os planos de carreira a longo prazo têm, sim, utilidade e impacto nas trajetórias profissionais. Conforme fora mencionado, o ideal é que o planejamento seja adaptável e aberto às oportunidades.

Além disso, em geral, em vários âmbitos da vida, parece mais útil ter um plano – mesmo que o futuro seja muito incerto. “Isso ocorre porque ter planos específicos de longo prazo em mente pode ajudá-lo a identificar as melhores maneiras de direcionar seus próximos passos em uma direção melhor.”

Ele ainda aponta a importância de se aplicar o autoconhecimento e aproveitar o planejamento ou primeiros passos para sentir se realmente é aquele o futuro esperado. “Às vezes, você pode evitar o desperdício do seu tempo trilhando um caminho que, talvez, teria descartado se pensasse mais a respeito”, explica Todd.

Leia também: PDI: saiba o que é o Plano de Desenvolvimento Individual e como fazer o seu

Outra razão importante de se adotar planos longínquos é também por conta de custos que podem estar atrelados. A depender de qual seja o objetivo a ser alcançado, pode ser necessário investir em algum tipo de especialização ou cursos acadêmicos.

“Funções de maior impacto frequentemente podem também requerer outras formas de capital de carreira especializado. Sendo, por exemplo, experiência em áreas específicas, hard e softs skills ou mesmo conexões com pessoas que trabalham nessas áreas.”

Não perca o topo de vista

Chegar ao topo tende a ser algo muito subjetivo – mais uma vez, o autoconhecimento sempre pode ajudar. Apesar disso, os louros da glória justamente estão nesse lugar e é muito provável que, ao chegar lá, o indivíduo passe mais tempo aprimorando suas habilidades.

“Isso sugere que às vezes vale a pena apostar cedo em um caminho de longo prazo que pode decolar”, provoca.

Todd ainda pontua que não caminhos certo para o planejamento da própria carreira, sendo que o erro é justamente não tê-lo. No entanto, ele reforça que, no início da carreira, é sempre válido e importante testar diferentes opções – contando que seja possível fazer um “backup”.

Os melhores conteúdos para impulsionar seu desenvolvimento pessoal e na carreira.

Junte-se a mais de 1 milhão de jovens!
Casdastro realizado, fique ligado para os conteúdos exclusivos!
Seu cadastro não foi realizado, tente novamente!

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: