A mentoria é importante em diferentes estágios e aspectos da vida. Por exemplo, se você já passou por alguma situação crítica, em que tentou pensar em todas as saídas, e acabou no mesmo lugar? Ouvir conselhos e opiniões diferentes pode ser a melhor opção para solucionar alguns problemas. Em partes, é nisso que consiste a mentoria.

Quando buscar mentoria? Essa e outras 4 perguntas sobre a prática respondidas!

O objetivo dela, basicamente, é que você consiga os conselhos certos e um feedback honesto e imparcial. Já que muitas situações podem ser difíceis de discutir com o seu gestor (porque você não quer que ele saiba), com seus pais (porque eles não entenderiam) ou com seu melhor amigo (porque vocês têm assuntos mais importantes para falar).

Nesses casos a pessoa certa para te dar o “caminho das pedras” pode ser um mentor. Ele dá suporte e encorajamento para que a outra pessoa gerencie seu próprio aprendizado, maximize seu potencial, desenvolva suas habilidades, aprimore sua performance e torne-se melhor pessoal e profissionalmente.   

Em outras palavras, um verdadeiro mentor ajuda você a ser melhor e a encontrar um sentido para a sua vida e para a sua carreira. São pessoas que nos passam visões, sonhos, ideais, princípios, valores, atitudes, conhecimentos e sabedoria. Um mentor pode ser um professor, um chefe, um colega, um avô, um poeta, um filósofo ou até um autor de um livro que inspirou você.

De onde surgiu a prática de mentoria? 

Conquanto, a palavra “mentor” tem origem na Odisseia, de Homero, escrita no século VIII a.C. Ulisses, rei de Ítaca, quando foi lutar na Guerra de Tróia deixou sua família sob os cuidados de Mentor, que acabou servindo de professor para seu filho. 

Não existe uma data específica para a invenção do termo no mundo dos negócios, mas as primeiras escolas de negócios começam a florescer apenas na segunda metade do século XX, após a Segunda Guerra Mundial. Desde então, mentor passou a ser sinônimo de alguém que compartilha sua sabedoria, experiência e conhecimento com colegas menos experientes.

Além disso, a própria história é recheada de casos de mentoria. O mentor de ‘Alexandre, o Grande’, foi Aristóteles, o de Martin Luther King foi Gandhi, o de Jim Collins foi Peter Drucker, dentre tantos outros.

Para que serve a mentoria? 

Vale mencionar, ainda, que a mentoria pode ter várias finalidades. Desde, por exemplo, resolver um problema específico em questões técnicas ou de gestão até aconselhar sobre a condução geral da carreira.

Por isso, listamos abaixo algumas utilidades da mentoria.

#1 Ajudar a analisar implicações, consequências ou relações de causa e efeito nas situações mais críticas

#2 Identificar e discutir questões éticas

#3 Discutir formas de fazer melhor as coisas certas

#4 Aumentar a autoestima e a autoconfiança do mentorado

#5 Discutir rumo da carreira e melhor estratégia para alcançá-lo

#6 Auxiliar na formação do networking

Como funciona a mentoria? 

Mas buscar um mentor não significa assinar um contrato com alguém que te aconselhará nas horas difíceis. Basta que você esteja próximo dessa pessoa e crie um vínculo que te possibilite absorver o que ela tem para passar.

Pode ser na orientação de um bom professor durante os anos de faculdade, papos com os membros mais experientes de sua família ou contato com pessoas bem-sucedidas em sua área (as redes sociais, como LinkedIn e Facebook ajudam e muito nesse sentido).

Muitas pessoas se surpreenderiam com a boa-vontade que os mais experientes têm para mentorar jovens profissionais. Assim, se você se inspira em alguém e gostaria que essa pessoa te mentorasse, não deixe de enviar um e-mail manifestando essa vontade.

Leia também: Entenda a diferença entre ‘coach’ e ‘mentor’ e como cada um pode acelerar sua carreira

O resultado, aliás, pode ser surpreendente! Conversar com colegas para descobrir quem são os bons mentores na sua empresa ou na sua faculdade também é um bom jeito de encontrar gente experiente disposta a ajudar. Portanto, depois de arrumar um mentor, é importante que vocês marquem encontros periódicos para discutir sobre a sua vida e sua carreira.

Você, aliás, deve ser completamente aberto e sincero nessas conversas. Para o primeiro diálogo, é interessante mostrar quais são seus objetivos com a mentoria: mudar de carreira, desenvolver habilidades de liderança, melhorar a performance, ser mais eficiente, melhorar a comunicação, etc.

Como criar conexão e lidar bem com seu mentor? 

Por fim, veja nesse artigo dicas para ter uma boa relação com o seu mentor. Além disso, assista ao Ted Talk a seguir, em que o valor da mentoria é ainda mais dissecado. 

Os melhores conteúdos para impulsionar seu desenvolvimento pessoal e na carreira.

Junte-se a mais de 1 milhão de jovens!
Casdastro realizado, fique ligado para os conteúdos exclusivos!
Seu cadastro não foi realizado, tente novamente!

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: