três mulheres em uma mesa olhando a tela do notebook

Alinhar os propósitos pessoais aos profissionais é o desejo de muitas pessoas. Afinal, quando funcionários entendem e abraçam os valores de uma organização, a probabilidade de haver mais satisfação de ambos os lados é maior. Para isso acontecer, porém, é necessário um fator muito importante: o autoconhecimento.

É pensando nisso que o Na Prática, da Fundação Estudar, em parceria com a Exame.com, tem realizado uma websérie sobre o assunto. O último episódio, inclusive, tem como tema o propósito e significado na carreira – e o que isso tem a ver com autoconhecimento.

Confira o 1° episódio: Entenda o que é e como desenvolver o autoconhecimento profissional

Além disso, o episódio desta semana também apresenta três lições do filme Soul (Disney+), que tem alguns desses tópicos como temáticas centrais e podem ser aplicados neste contexto. Assista ao vídeo a seguir!

 

 

4 reflexões + dica para trabalhar o autoconhecimento e propósito profissional

É muito difícil falar em autoconhecimento e propósito profissional sem propor que cada um faça reflexões. Pensando nisso, Lorena Bernardes, da Fundação Estudar, propõe cinco pontos que podem ajudar quem deseja entender os seus próprios valores.

#1 Pense em suas motivações

A sugestão de um dos mais importantes investidores, Warren Buffett, é se perguntar o que você faria se não precisasse de dinheiro? A ideia é pensar em áreas e carreiras cuja atuação ou propósitos realmente motivem o profissional.

#2 Siga sua curiosidade

Adam Steltzner, engenheiro da NASA que liderou a equipe responsável pelo pouso do veículo Curiosity em Marte, é um defensor ferrenho da curiosidade. Foi movido por ela que, quando ainda era músico, sem formação superior e nem por exatas, interessou-se pelas estrelas e se inscreveu em um curso amador de astronomia.

No vídeo, Lorena ainda cita uma cena do filme Soul, que faz relação com a temática, e explica: “devemos sempre ter em mente que explorar, tentar e às vezes até errar, já são grandes passos”.

Leia também: Como escolher uma empresa que tenha propósito e valores similares aos seus (e por quê)?

#3 Que marca quero deixar?

Ter um legado é importante, porém é sempre preciso fazê-lo dando voz à nossa essência – sendo quem realmente somos. Portanto, não é necessário ser um Albert Einstein para também deixar uma marca – em diferentes aspectos da vida.

Deste modo, a dica é ter equilíbrio. O ideal é que todos busquem deixar sua marca de uma forma saudável e sem se esquecer de quem é para fazer isso. Para exemplificar, mais uma cena do filme da Pixar é citada por Lorena no vídeo.

#4 Foque em quem você admira e no porquê

Liste ídolos ou pessoas que você admira – seja um professor, familiar ou amigo. Em seguida, pense no que causa esse sentimento e também quais características ou ações essas pessoas remetem.

Ao analisar o que eles têm em comum, será possível entender o causa a admiração. “Leia, assista, pesquise e, se possível, até conviva mais com essas pessoas”, recomenda Lorena. Para quem quer saber qual o paralelo dessa reflexão no filme Soul, ela explica acima.

#Dica: anote tudo sobre essas reflexões

Por fim, é importante colocar no papel – aplicativo ou qualquer outra ferramenta de anotações – todas essas reflexões. É interessante, pois, além de não correr o risco de perder algum insight, é possível acompanhar a evolução e até possíveis mudanças de ideias, o que é absolutamente comum e saudável.

Os melhores conteúdos para impulsionar seu desenvolvimento pessoal e na carreira.

Junte-se a mais de 1 milhão de jovens!
Casdastro realizado, fique ligado para os conteúdos exclusivos!
Seu cadastro não foi realizado, tente novamente!

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: