Um Projeto: Fundação Estudar
primeiro emprego

Primeiro emprego: o que você precisa saber para conquistar uma vaga

Por Redação, do Na Prática

Concorrência acirrada e falta de experiência são os principais obstáculos na conquista do primeiro emprego. Alguns cuidados, no entanto, garantem que o candidato drible os desafios clássicos e consiga uma vaga.

Conhece aquele ciclo “não tenho oportunidade porque preciso de experiência, não tenho experiência, por isso, não consigo oportunidade”? Quando se trata do primeiro emprego, com frequência esse é o principal desafio. Mas a realidade é que há formas de contorná-lo e tornar-se um forte candidato, mesmo ao iniciar a carreira.

De forma geral, esse “despreparo” não está somente relacionado ao conhecimento técnico, mas também à desenvoltura para demonstrar ser o perfil adequado desde o currículo até a entrevista de emprego. Por isso, destacamos algumas dicas que vão te ajudar a conseguir o primeiro emprego.

Vagas para primeiro emprego

Existem vagas em que a experiência profissional relacionada é, de fato, imprescindível – nessas, isso costuma estar destacado nos requisitos.

Porém, nem sempre a falta de experiência profissional é uma barreira na conquista do primeiro emprego. Muitas empresas preferem jovens que nunca tenham trabalhado. Isso oferece, para a companhia, vantagens como a oportunidade de moldá-los de acordo com seus interesses e perfil da vaga.

Para quem ainda está no Ensino Médio, o ideal são as oportunidades de Jovem Aprendiz, destinadas para esse público. Depois da faculdade, no entanto, procure por vagas de “analista”, que costumam ser destinadas a quem é recém-formado ou tem pouco tempo de formação.

Programa de trainee

Os programas de trainee são exemplos disso – tanto que a maioria tem previsto ações de desenvolvimento, como treinamentos e job rotation (rotação pelas áreas). Porém, neles, a concorrência pode ser bem acirrada por conta das condições frequentemente atrativas desses programas, como salário e oportunidades de aprendizado. Profissionais com atitude, comprometimento e habilidades técnicas e sociais desenvolvidas costumam ter vantagem.

Aprenda a se destacar em processos seletivos e conquiste a sua vaga dos sonhos com o curso do Na Prática

Perfil profissional primeiro emprego: o que os recrutadores buscam?

Na hora da busca pelo primeiro emprego, recrutadores vão avaliar se a falta de experiências formais é compensada por outras atividades, que tenham ajudado o candidato a se desenvolver. Se a sua área requer habilidades técnicas, o ideal é que você busque formações que contemplem esses conhecimentos.

Isso vale para outros aspectos. Por exemplo, no processo seletivo para uma vaga que requer bastante trabalho em equipe, o avaliador pode tentar perceber seu nível de inteligência emocional. Estude e busque experiências alternativas relacionadas ao que é buscado no seu setor.

Para tanto, investigue oportunidades “ideias” para você abertas e anote os pontos em comum, que formam o perfil padrão que tem sido buscado. Aplicando-se para uma posição em específico, não esqueça de pesquisar a cultura da companhia e entender que tipo de profissionais preferem para compor o time. Eles prezam autonomia e flexibilidade? Ou facilidade em respeitar normas e estabilidade? De acordo com esse tipo de valor, dá para “desenhar” o candidato que buscam.

Curso Processos Seletivos Na Prática: prepare-se para todas as etapas dos recrutamentos

De forma geral, os recrutadores procuram por profissionais em início de carreira que tenham disposição e iniciativa para aprender, além de capacidade de aprendizado. Também são valiosos o envolvimento em atividades extracurriculares, articulação para se comunicar e cuidados na escrita.

Currículo para primeiro emprego

O currículo é o primeiro contato do recrutador com o candidato. Ao mesmo tempo, dependendo do volume que tenha recebido, o recrutador gasta apenas alguns segundos para avaliá-lo. Por isso, o documento deve ser elaborado com muita clareza e objetividade.

Baixe nossos modelos prontos do documento mais adequado ao seu contexto profissional, indicado por consultorias de recrutamento e escritórios de headhunting.

Além disso, cuidado com os erros de português: eles são responsáveis por eliminar muitos candidatos. Afinal, as empresas não querem contratar alguém que faça um relatório, memorando, ou escreva um e-mail repleto de problemas de gramática. Para evitá-los, sempre peça para alguém revisar seu CV antes de encaminhá-lo e sempre pesquise as palavras em que estiver com dúvida sobre a grafia.

Na seção de objetivo, logo após seus contatos pessoais, descreva seu objetivo em uma ou duas frases. No caso do primeiro emprego, é interessante deixar claro que você está a procura de uma oportunidade para se desenvolver. Exemplo:

“Recém-formada em Direito com interesse na área de propriedade intelectual em busca de uma posição inicial no escritório X.”

Com dúvida sobre como fazer um currículo? Confira aqui um passo a passo – e baixe seu modelo

Se você não tiver exercido nenhuma atividade profissional, mesmo que informalmente, reserve o espaço de “experiência” para suas vivências acadêmicas e extracurriculares. Ao invés de apenas descrever as atividades realizadas, valorize os resultados alcançados ou competências e habilidades desenvolvidas. Quem está contratando quer saber o que você oferecerá à empresa e dispor as informações dessa forma deixará tudo mais claro.

O que fazer para enriquecer o currículo

Ok, você não tem experiências de trabalho formais e full time, mas, como mencionamos acima, é possível utilizar a seção para destacar outras realizações. Aqui entram projetos extracurriculares, trabalhos voluntários, grupos de estudo, cursos – e, principalmente, a iniciativa por parte do candidato de buscar experiências. Viaje e capacite-se sempre que puder, com treinamentos online ou não.

Os alunos que buscam por atividades extracurriculares costumam saber mais sobre o mercado de trabalho e procuram vagas de forma mais assertiva. Ao mesmo tempo, são mais valorizados pelos recrutadores, que os enxergam como profissionais comprometidos, proativos e autônomos. Você pode se inscrever em estágios oferecidos pela universidade, fazer iniciação cientifica, entrar para o grêmio estudantil, entre outras. No nosso Guia para saber como aproveitar melhor a faculdade, você aprende a explorar outras possibilidades.

Prestar serviço voluntário na sua área de atuação é uma forma solidária de obter experiência. E essa iniciativa, ainda, é também é muito bem vista pelos recrutadores. Quando você disponibiliza seu tempo para ajudar quem precisa, demonstra comprometimento, proatividade e liderança.

Dicas para conseguir um bom primeiro emprego

#1 Network em dia

A indicação pode ter um grande papel na hora de conseguir um primeiro emprego. Por isso, é tão recomendado investir em network. Você pode começar a montar sua rede de relacionamentos logo na faculdade, com professores e colegas. Também capriche no seu LinkedIn, a maior rede social voltada para o âmbito profissional.

Além de conhecer mais sobre a carreira e obter orientações sobre como alcançar sucesso na área, eles podem lembrar de você quando souberem de alguma oportunidade.

#2 Invista no autoconhecimento

O autoconhecimento permite descobrir quais são os seus valores, traços de personalidade mais marcantes, pontos fortes e fracos e estilo de trabalho. Investir nesse tipo de análise o prepara para diversos desafios da busca pelo primeiro emprego. Você terá melhor desempenho ao falar sobre si mesmo durante entrevistas e melhorará seu controle emocional.

Outra vantagem do autoconhecimento é a possibilidade de investir em melhoria contínua. Você identifica seus pontos fracos e busca alternativas para melhorá-los.

#3 Mande bem na entrevista

Com seu autoconhecimento desenvolvido, você vai saber falar muito melhor sobre suas qualidades e defeitos na entrevista do primeiro emprego. Tenha eles na ponta da língua e destaque como está trabalhando para melhorar o que precisa. Cuidado: sem clichês como dizer que é perfeccionista ou proativo. Essas duas coisas, por exemplo, podem ser vistas como “positivas” em alguns contextos e, por isso, pode parecer insinceridade apontá-las como pontos fracos.

Um outro ponto que você pode treinar é na hora de retratar a trajetória. Para compensar a falta de experiências em outros empregos, tenha no repertório alguns dos seus feitos que mais te orgulham (claro, relacionados à área ou à função). Traga resultados – como você melhorou tal coisa, ou o que conseguiu fazer com o trabalho voluntário, por exemplo. Sempre com humildade e abordando assuntos mais profundamente do que no currículo, afinal, o recrutador já o leu.

Fique pronto para qualquer recrutamento – para o primeiro emprego ou não – com o curso Processos Seletivos Na Prática

#4 Prepare-se para as etapas de dinâmicas em grupo

As dinâmicas em grupo são realizadas para o recrutador saber como os candidatos trabalham em equipe. Destacam-se aqui profissionais que tenham liderança, iniciativa, confiança e espírito coletivo. Ao mesmo tempo em que é importante se expressar bem e fazer as suas opiniões e ideias serem ouvidas, o participante deve saber valorizar os outros e demonstrar que os resultados alcançados são critérios de todos e não somente a ele.

#5 Mantenha-se informado

Manter-se bem informado também é importante para garantir seu primeiro emprego. Alguns recrutadores costumam testar se o candidato tem senso crítico sobre a realidade à sua volta. Por isso, atualize-se por qualquer meio de comunicação e procure formar uma opinião sobre os temas em pauta na economia, política internacional e nacional, entre outros campos.

Como lidar: situações do primeiro emprego

Não importa quantas etapas um processo seletivo tem antes da contratação. Nem mesmo o quanto você busca saber, por conta própria, sobre a empresa. Nunca é possível ter certeza do que está por vir – ainda mais quando se trata do primeiro emprego.

Para trazer algumas dicas de como se preparar e lidar com as mais diversas situações da melhor forma possível, conversamos com Daniela Schiano, sócia na Weplace, consultoria que assessora na busca de profissionais e gestão de pessoas.

Situação #1: “Não sei o que esperam de mim”

Existem algumas situações que são comuns nos primeiros dias de um emprego novo e acabam gerando ansiedade. Entre elas, Daniela destaca a recepção do profissional e o alinhamento de expectativas entre ambas as partes.

“O jovem recém-contratado pensa muito em como será integrado ao novo local e como as pessoas irão se comportar em relação a ele. Também quer descobrir rápido o que esperam dele, quais serão as suas atividades e as expectativas por parte de superiores e pares”, diz ela.

Ao responder sobre qual é a melhor forma de lidar com cada uma dessas circunstâncias, Daniela é categórica ao afirmar que o principal é nunca agir de forma impulsiva.

“É a premissa básica para lidar no ambiente de trabalho. Além disso, é muito importante ser observador, ler o espaço, procurar entender as dinâmicas de trabalho e as relações entre pessoas e áreas para tomar os caminhos”, comenta.

Situação #2: Conflitos internos na equipe 

Empresário com as mãos sobre o rosto em sinal de cansaço

Quanto às situações de conflito interno no primeiro emprego, a consultora acredita que independentemente do cargo e do nível hierárquico, a falta de respeito e de bom senso são os fatores que, com mais frequência, originam os confrontos.

“Estes valores devem fazer parte da vida profissional desde o início! É importante ter um mentor que direcione o jovem em suas atitudes para que possa se aconselhar, tirar dúvidas e até ser alertado sobre possíveis falhas e erros no percurso“, diz.

Além disso, é interessante realizar uma autoavaliação do comportamento diante de situações de pressão. Assim, você adquire, aos poucos, a maturidade que o mercado exige nos posicionamentos e na postura cotidiana.

Situação #3: Choque entre gerações

De maneira geral, Daniela acredita que o choque entre gerações seja um conflito existente no primeiro emprego de muitos jovens. Isso porque, muitas vezes, os recém-formados são liderados por gestores mais velhos.

“Atualmente acredito que os superiores sintam dificuldade em liderar os jovens, pois a relação com o trabalho é vista de diferentes formas. Os mais novos buscam uma relação de equilíbrio, realizações mais imediatas e flexibilidade nas condições de trabalho. Em contrapartida, os gestores buscam uma relação de compromisso, dedicação integral e longos períodos de maturação.”

Para lidar com o choque com outras gerações e aliviar os conflitos resultantes, Daniela aconselha “buscar um meio termo na relação” para que os dois lados convivam de forma harmônica no ambiente de trabalho.

Situação #4: Dificuldade em trazer à tona assuntos sobre o futuro

Ainda que seja o início de um primeiro emprego, dúvidas quanto às possibilidades de crescimento e próximos passos são comuns.

Para conseguir saná-las, a melhor maneira é identificar, observando o ambiente, os momentos propícios para as conversas que esclareçam incertezas. Caso seja possível, o ideal é ter um papo aberto e honesto com o gestor, de maneira frequente.

O importante é buscar experiências que sejam coerentes com o próprio planejamento de carreira. Focar nos aprendizados necessários e procurar estar ao lado de pessoas que podem ajudar neste período de desenvolvimento.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo