Um Projeto: Fundação Estudar
redator web

Redator web: como funciona a profissão e o que é preciso para entrar no mercado

Por Tatyane Mendes

No ambiente digital, a profissão de redator web é uma das grandes apostas do mercado do futuro. A popularização da atividade vem aumentando e abrindo espaço para novas possibilidades de trabalho. Entenda melhor como atua esse profissional!

A popularização da internet trouxe muitas mudanças para o mercado de trabalho, inclusive novas profissões como a de redator web. Com um fluxo crescente de informações, o redator é um aliado de empresas e consumidores e ajuda a direcioná-los a conteúdos que sejam relevantes para o que procuram. Ainda que possa ser conhecido por diversos nomes, o trabalho do redator web é escrever e produzir conteúdo voltado para o ambiente digital.

O exemplo mais comum do trabalho do redator web são os textos em blogs, mas ele também pode escrever posts para as redes sociais, e-mail marketing, apresentações virtuais, informações em sites, roteiros, e-books, entre outros. Geralmente, o profissional recebe uma orientação de como o trabalho deve ser desenvolvido com tema, público-alvo, formato, fontes, palavras-chave e outras indicações.

O objetivo é que ele use as instruções para produzir um conteúdo de qualidade, que faça o produto se destacar nos sites de busca, gerando valor e visibilidade para empresas ou indivíduos. Comumente, a profissão está relacionada à profissionais de letras ou comunicação (como jornalismo e publicidade), mas não existe uma regulamentação que exija uma formação específica para exercer a atividade atualmente.

Programa de contratação

Profissão redator web

Jornalista por formação, Lucas Amaral trabalha como redator web há cerca de oito anos. Ele decidiu se dedicar à atividade depois de perceber que poderia receber o mesmo salário que ganhava em uma agência, trabalhando menos horas.  “É uma profissão que está crescendo muito no mercado por uma questão de adaptação, principalmente levando em conta o mercado digital. Quem atua como redator web, acaba ganhando mais produtividade, pode trabalhar em seu próprio tempo e conseguir se dedicar mais à projetos pessoais. Isso é uma tendência do futuro muito voltada à uma mudança do panorama do mercado”, observa.

Lucas aponta que existe um certo estigma sobre a profissão, uma vez que muitas pessoas ainda a enxergam como um trabalho extra ao invés de uma atividade de tempo integral. “Existem pessoas que tem preconceito em relação aos redatores web, como se fosse apenas uma forma de complementar renda para quem não tem emprego. Mas é uma questão de escolha de modelo de trabalho. É uma opção para trabalhar de casa, com mais conforto e até ganhando mais, enquanto se desenvolve em assuntos que a pessoa gosta. É um negocio legítimo e estruturado que pode até render mais frutos que um trabalho CLT”, pontua.

Inclusive, profissionais de diversos backgrounds podem atuar como redator web. “Quando se fala em redação na internet, existem diversos nichos. Engenheiros podem escrever sobre suas especialidades, assim como advogados, arquitetos, médicos, cientistas, entre outros. Ter uma formação superior ajuda bastante, mas não é 100% necessário”, opina. Os redatores web trabalham por demandas, como a maioria dos profissionais freelancer. Com isso, não costumam ter uma renda mensal fixa. Contudo, possuem grande flexibilidade para trabalhar.

Quais são as habilidades necessárias para trabalhar na área?

De acordo com Lucas, não é necessário dominar plenamente todas as nuances do português, contanto que o profissional consiga escrever de forma correta e simples. “A escrita para internet é mais voltada para informações e existem muitas ferramentas para te auxiliar nesse processo, para checar ortografia e construção de frases. Mas, dominar as técnicas de otimização de busca, chamadas SEO, é essencial. É um conhecimento mais técnico, mas existem vários cursos gratuitos disponíveis na internet, principalmente em inglês”, indica.

Além disso, o redator web precisa gostar muito de pesquisar, aprender sobre novos assuntos e se comunicar. “Você vai fazer a apuração de um tema, vai precisar ter competências de escrita para transmitir aquilo de forma clara. E existem duas vertentes: os generalistas e especialistas. Boa parte começa como generalista, escrevendo sobre tudo. Contudo, como todo dia você trabalha um assunto diferente, pode ser que o texto fique um pouco superficial. Já os especialistas se aprofundam em um nicho específico do mercado. Acredito que esse talvez seja um segundo passo na carreira do redator”, pondera.

Lucas ressalta que não é um profissão fácil, como muitos podem acreditar. “Para ser um redator web de qualidade, é preciso se comunicar bem e saber se adaptar aos diferentes públicos para os quais você escreve. Estudo é a base de tudo, para saber se adaptar, fazer escolhas que determinam seu público, seu foco e seu objetivo. Entender de marketing digital também ajuda bastante, já que a internet está em constante evolução e você precisa ir encontrando novos métodos de fazer as coisas”, sugere.

Outros conhecimentos e comportamentos complementares que podem auxiliar o redator web são noções de storytelling, copywriting, marketing de conteúdo, organização e vendas.

Como garantir seus direitos trabalhando como freelancer

Como começar?

Nem sempre é fácil dar o primeiro passo e construir uma cartela de clientes sólida. A sugestão de Lucas é ir com calma. “Descubra primeiro qual é o seu tempo. Aos poucos, você vai dominando as técnicas e consegue fazer os trabalhos em menos tempo, aumentando seus ganhos. Existem pessoas que fazem trabalho voluntário para ganhar experiência, mas não sou fã dessa prática. Acho melhor começar cobrando um valor menor e ir adaptando os preços conforme se ganha expertise”, recomenda.

Para conseguir primeiros trabalhos, utilizar plataformas de trabalho freelancer podem ser uma boa opção. “Os redatores geralmente negociam diretamente com o cliente e se enquadram como microempreendedores individuais (MEI). Ter o cadastro para emitir nota fiscal, fazer um modelo de contrato, saber técnicas de negociação e ter uma tabela de preços são algumas ferramentas que podem facilitar esse início. Com o tempo, você vai conquistando clientes”, aconselha.

 

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo