Um Projeto: Fundação Estudar
Processo seletivo do Dr. Consulta

Por dentro do processo seletivo do Dr. Consulta, que está com programa de trainee aberto

Por Suria Barbosa

Com uma seleção que deixa de lado fatores comuns como área de graduação e idiomas, a rede de centros médicos Dr. Consulta tem como objetivo encontrar profissionais que compartilhem do seu propósito - para acompanhar sua expansão.

Criado em 2011, o Dr. Consulta é uma rede de centros médicos que oferece uma série de serviços de saúde a preços mais acessíveis. Em forte expansão, busca profissionais capazes de sustentar seu crescimento. “Temos poucos processos estruturados, então há possibilidade de construir”, conta Priscila Costa, gerente de gente na companhia. “Mas, para isso, precisamos de pessoas corajosas – não só as que são sonhadoras, mas as que conseguem colocar no papel, testar, analisar, criar hipóteses, e reorganizar a rota quando necessário”, acrescenta ela.

Com processo seletivo para trainees aberto, a gerente destaca que o foco é, de fato, recrutar e desenvolver quem atuará como futuro líder da organização. Principalmente nos centros médicos, assegurando a qualidade da performance e capacitando o time. Para garantir a base para essa missão – nada simples – a seleção se volta à questão do fit cultural.

A característica mais marcante (e presente no cotidiano) da cultura da empresa é o foco em resultados, conta Priscila. “Aqui é uma empresa pra quem gosta de trabalhar em busca de resultados sempre melhores, e somos cobrados por isso o tempo inteiro.” Já quem atua nos centros médicos também atua de acordo com valores como senso de urgência e foco no cliente, derivados do contato com os pacientes – e necessidade de resolução dos problemas que trazem, muitas vezes, imediata.

Perfil procurado 

Na prática, o alinhamento entre o perfil do candidato é o que garante que o propósito da empresa será compartilhado e, consequentemente, sua missão também. Por conta disso, aspectos técnicos não são tão relevantes na seleção. “Acreditamos que tudo que é técnico – como idiomas, metodologias, solução de problemas, liderança – é possível aprimorar, aperfeiçoar, aprender, basta querer e buscar o conhecimento”, afirma a gerente.

Nesse escopo de “menos valorizado” no processo seletivo do Dr. Consulta, entram aspectos que, com frequência, são requisitos em outros recrutamentos. Como a área ou o curso de graduação: “qualquer formação é importante para o nosso negócio; o que mais importa é aonde e o que [o jovem] quer fazer depois de se formar.” Inclusive, não há preferência por universidades consideradas de “primeira linha”.

“Não é a universidade que determina a performance do candidato como profissional. É só mais uma fonte de conhecimento que ele está buscando para se preparar para o futuro.”

Então, o que é, de fato, valorizado? Características que viabilizam a cultura e a forma de trabalho dentro da rede. Já que é um ambiente marcado pela horizontalidade, por exemplo, o processo seletivo do Dr. Consulta busca pessoas que saibam atuar com autonomia, o que envolve alta dose de responsabilidade, de assumir riscos e de tomada de decisões.

Segundo Priscila, é preciso ser “dono da sua cadeira“, saber opinar, defender e analisar seu próprio processo – independentemente do cargo e nível hierárquico.

Outro ponto de atenção para o perfil dos candidatos é o “inconformismo”, ou seja, a empresa busca pessoas que questionam, têm curiosidade (e interesse) de rocurar outras formas de estruturar os processos, o que garante que a companhia “não caia no comodismo”, de acordo com a gerente de gente.

Leia também: Quer empreender na saúde? Inspire-se com 5 startups que estão inovando na área!

Trilha de carreira

O Dr. Consulta não possuí uma trilha de carreira definida, explica Priscila. Há um motivo claro: deixar que os profissionais estruturem a carreira da forma que quiserem. Se isso inclui mudar de área, por exemplo, não só é algo permitido, como apoiado pela organização. “Tudo é possível; depende das entregas e de deixar muito claro as expectativas”, resume ela.

Esse tipo de movimento é comum e foi o que aconteceu com Eduardo Luiz, hoje coordenador de unidade em operações. Ele entrou como trainee em janeiro de 2017 e, durante o programa, passou por duas áreas: Operações e Gente e Gestão. “Em operações, ficamos imersos nos centros médicos entendendo como funcionava o dia a dia nas clínicas e desenvolvendo um projeto de melhoria de acordo com o que estávamos vivenciando”, relata.

No setor de Gente e Gestão, Eduardo trabalhou na elaboração do programa de excelência. Basicamente, um manual com todos os processos e o nível de qualidade a serem realizados, que pautou também um ranking das unidades do Dr. Consulta.

Foi a minha primeira experiência profissional, e acredito que nesse tempo amadureci bastante, justamente por ter tido a oportunidade de participar de vários projetos diferentes e ter tido bastante contato com pessoas excelentes e com muita experiência.

Como é o processo seletivo do Dr. Consulta

De acordo com Priscila, a seleção para trainees que está aberta inclui as inscrições – que podem ser realizadas pelo site de recrutamento até o dia 16 de setembro – e testes online. Em seguida, o candidato envia um vídeo de apresentação e, se passar, segue para uma etapa de dinâmica em grupo presencial. “Nesse mesmo dia, os aprovados seguem para uma fase de entrevistas”, completa ela.

“Nós gostamos de garantir sempre o feedback no mesmo dia, porque acreditamos que é um aprendizado das duas partes”, diz a gerente. A velocidade do processo seletivo do Dr. Consulta é algo sentido e apreciado pelos candidatos, segundo Eduardo, cuja seleção em que entrou durou, do início ao fim, duas semanas. “No decorrer do programa, a experiência também é bem diferenciada, dando bastante autonomia e muitas oportunidades de exposição aos executivos”, acrescenta ele.

Após as entrevistas, os aprovados seguem para uma etapa final, que é uma apresentação de um case para todos os vice-presidentes e o CEO da rede de centros médicos. “Finalizando isso, terminamos o processo e se iniciam as ofertas e contratação”, diz a gerente de gente.

O fit cultural é tão importante que figura na dica de Eduardo, que já passou (com sucesso) pela seleção de trainees. “Procure saber o máximo sobre a empresa e sua cultura e, principalmente, tenha certeza de que se identifica com ela”, destaca ele. Além disso “aproveite cada etapa para absorver o máximo e chegar sempre mais preparado para a próxima.”

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo