Um Projeto: Fundação Estudar
Pessoa sentada mexendo no computador. Papéis, cadernos e telefones espalhados pela mesa.

5 mitos sobre empreender (que você acredita serem verdades)

Por Suria Barbosa

Abrir mão de algumas crenças infundadas sobre carreira empreendedora pode ser decisivo para traçar seu próprio caminho de sucesso na carreira

A pesquisa anual do Global Entrepreneurship Monitor (GEM) calculou em 2016 que o Brasil tem taxa de 28,1% de potenciais empreendedores. Esse número é o maior entre os principais países emergentes (África do Sul, China, Índia, México e Rússia). O mesmo estudo mostrou também que 53,6% da população brasileira considera que tem “o conhecimento, a habilidade e a experiência necessários para iniciar um novo negócio”.

Ainda que o brasileiro se interesse bastante pela carreira empreendedora, o senso comum sobre empreendedorismo é permeado por desconhecimentos. Quem quer empreender com êxito precisa deixar de lado essas crenças e começar a buscar informações para trilhar seu próprio caminho. Para te ajudar com isso, o Na Prática reuniu considerações de especialistas, que desmistificaram o tema em depoimentos aos sites Entrepreneur e Quickbooks.

#1 Para empreender é preciso ter coragem e sorte

Sorte é oportunidade. O jeito de conseguir oportunidades é trabalhando. E, na verdade, trabalhar duro e ter perseverança são mais importantes do que sorte. Com eles, as chances de você estar no lugar certo na hora certa são maiores.

Muitas pessoas acreditam que ficar sem o suporte de um trabalho formal – por exemplo, pagamento fixo – é um grande risco que se pode tomar. Mas, na verdade, quando se trata de empreender, fugir de todas as formalidades na verdade é apenas testar, e não arriscar.

Empreendedores de sucesso não se arriscam sem preparação. Ao contrário: são planejadores metódicos que só se aventuram quando calcularam tudo o que é necessário.

#2 Se o produto ou serviço é bom, vou ser bem sucedido

Não necessariamente. Prover um bom serviço ou produto e entender como o mercado funciona são coisas diferentes.

É fácil superestimar a demanda pelo que você quer oferecer – principalmente se alguns aspectos não são levados em conta. Não se pode esquecer pontos como concorrentes em ascensão e recessões econômicas.

Leia também: O Guia Definitivo do Empreendedor – Aplicativos, Ferramentas e Leituras Essenciais

#3 Para empreender é preciso ter muito dinheiro

Muitos empreendedores iniciam com investimentos bem modestos e provam que um bom planejamento faz o negócio funcionar mesmo com verbas enxutas. O truque é evitar despesas desnecessárias.

Com fundos limitados, um bom começo, por exemplo. é colocar em prática as técnicas do MVP (Minimum Viable Product, em português: produto minimamente viável). O MVP consiste em uma série de testes com objetivo de validar a viabilidade de um novo negócio.

Além disso, não subestime a etapa de buscar clientes. Seja bom em vendas, ou ache alguém perfeito para essa função.

Leia mais: Como dois jovens criaram o PagPouco e fizeram brilhar o olho de investidores

#4 Empreendedores começam sempre com uma ideia inédita

Muitos empreendedores dos quais sabemos a história realmente começaram com um ideia única cujo sucesso foi imprevisível. Mas não se pode esquecer que coisas básicas como alimentar pessoas, trabalhar com roupas e materiais naturais não são ideias novas. Todos que abrem negócios nessas áreas são empreendedores e seus projetos podem não ser inovadores, mas com certeza são necessários.

#5 Empreender dá controle total sobre seu tempo

Em entrevista ao Na Prática, Guilherme Junqueira, CEO da Gama Academy, falou sobre o mito de ter flexibilidade sendo empreendedor. E logo desmentiu: “Quando você vai pra prática toda a ilusão do ‘não vou ter chefe’ e ‘faço meu próprio horário’ desaparece”.

A verdade é que o empreendedor está no comando da empresa e (teoricamente) pode flexibilizar o quanto quiser os horários de trabalho. No entanto, nos primeiros anos, é comum que tenha que trabalhar mais do que em uma jornada de trabalho formal.

E quando a instável fase inicial passar, o empresário pode ter tanta responsabilidade que não lhe sobra muitas horas disponíveis para flexibilizar o cronograma.

Esqueça o mito de que os empreendedores não possuem um calendário apertado – ou até rigoroso – para abrir e manter um negócio bem sucedido. Simplesmente não é o caso.

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo