Um Projeto: Fundação Estudar
Lições de liderança de Nelson Mandela

3 lições de liderança de Nelson Mandela

Por Suria Barbosa

O dia 18 de julho foi determinado pela ONU como data de celebração internacional de Nelson Mandela, presidente sul-africano que lutou ativamente contra o Apartheid e a desigualdade. Confira três lições que Mandela deixou como líder.

O dia 18 de julho é celebrado anualmente como o Dia Internacional de Nelson Mandela. A data, que também era o aniversário do presidente da África do Sul, foi demarcada pela ONU para homenagear sua trajetória e legado em 2009, quando ainda era vivo.

Ao longo de seus 95 anos, Mandela provou ser um dos líderes mais memoráveis da história. Um de seus feitos mais reconhecidos, a luta pacífica contra o Apartheid (regime de separatismo racial) lhe rendeu, inclusive, o Nobel da Paz em 1993.  

Como um líder responsável por levar um país dividido pelo racismo a uma era de paz e prosperidade econômica, deixou para trás diversos ensinamentos. O Na Prática selecionou três lições de liderança de Nelson Mandela, baseadas em seus discursos e ações durante a vida.

Lições de liderança de Nelson Mandela

1. Liderar é saber dar autonomia (nas horas certas)

“É melhor liderar por trás e colocar os outros na frente, especialmente quando você comemora a vitória quando coisas boas acontecem. Você pega a linha de frente quando há perigo. Então as pessoas vão apreciar sua liderança.”

“Um líder… é como um pastor. Ele fica atrás do rebanho, deixando os mais ágeis saírem à frente, ao que os outros o seguem, sem perceber que o tempo todo estão sendo dirigidos de trás.”

Mandela disse publicamente em várias ocasiões que um líder age por trás, influenciando de forma sutil e quase invisível para que sua ideia se concretize. Dar autonomia permite que o propósito se manifeste de forma mais espontânea e forte nos seguidores.

Leia também: Este exercício vai te ajudar a encontrar o trabalho ideal, unindo vocação, propósito e impacto no mundo

Um exemplo disso foi descrito por Richard Stengel, editor da revista Time e autor de livro sobre o legado de Mandela. Stengel conta que presidente sul-africano foi bastante influenciado pelo rei da tribo em que cresceu, Jongintaba. Quando Jongintaba fazia reuniões, os homens se reuniam em círculo, e só depois de todos terem falado o líder começava a falar.

A prática era reproduzida por Mandela, que, ao final das reuniões, resumia as opiniões de todos e as mesclava com sua própria ideia, sutilmente dirigindo-os na direção que pretendia.

2. Ver os obstáculos de outra forma tira o poder negativo deles

“Dificuldades quebram alguns homens, mas fazem outros.”

“Todos podem superar suas circunstâncias e alcançar o sucesso se forem dedicados e apaixonados pelo que fazem.”

“Há poucos infortúnios neste mundo que você não pode transformar em um triunfo pessoal se tiver vontade de ferro e a habilidade necessária.”

Em todos os 27 anos que passou na prisão, apesar das duras condições, Mandela permanecia sendo determinado, gentil e agindo como líder. Mesmo quando lhe foi dada a oportunidade de ter sua liberdade de volta, recusou, por ter de renunciar sua ofensiva contra o Apartheid.

Stengel, que acompanhou e entrevistou o líder em diversas ocasiões ao coletar material para seu livro, Mandela’s Way: Lessons on Life, Love, and Courage, conta que uma das principais lições de liderança de Nelson Mandela foi que “nada é preto ou branco”. O presidente da África do Sul era pragmático mas conseguia ver as nuances das situações como poucos, o que fazia também em relação aos obstáculos.

3. Seu propósito não precisa ser (só) sobre você

“O que conta na vida não é o simples fato de termos vivido. É essa diferença que fizemos na vida dos outros que determinará o significado da vida que levamos.”

“Uma preocupação fundamental para os outros em nossas vidas individuais e comunitárias ajudaria a tornar o mundo o lugar melhor com que tão apaixonadamente sonhamos.”

Uma das mais claras lições de liderança de Nelson Mandela quando se analisa sua trajetória é sobre dedicar à da sociedade, o que ele fez durante toda sua vida. Além de sempre reforçar a importância de servir os outros e deixar um legado com melhorias para as próximas gerações em seus discursos.

Em todos os campos, pensar em como as ações afetam os outros (ou a sociedade) será sempre benéfico. Mesmo que não seja seu único propósito.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo