O Google disponibilizou hoje, Dia Internacional da Mulher, dois treinamentos exclusivos para mulheres. As capacitações foram divididas nas seguintes temáticas: “Mulheres que querem empreender” e “Mulheres que querem desenvolver suas carreiras”.

“Desde o início da pandemia, vimos a taxa de desemprego bater recordes que não eram esperados. Além disso, os impactos têm sido muito mais sentidos nas mulheres; a desigualdade entre gêneros, que já era presente, foi quase duplicada”, pontuou Susana Ayarza, diretora de Marketing do Google Brasil durante a abertura.

Leia também: 50 sites que oferecem cursos online e gratuitos com certificado

Ao todo, cada treinamento contou com pouco mais de uma hora, divididos em cinco vídeos com temas relacionados e palestrados por mulheres especialistas. Por fim, o encerramento da trilha de carreira fica por conta de Sofia Esteves, fundadora da Cia de Talentos, ao de empreendedorismo, com Rachel Maia, CEO e fundadora da RM Consulting.

 

 

Todos os vídeos estão disponíveis sob demanda e podem ser assistidos a qualquer momento no Cresça com o Google – Para Mulheres. Além disso, a programação ainda inclui exercícios a serem realizados de acordo com cada tema. O Na Prática compilou os principais assuntos abordados nos treinamentos e o conteúdo pode ser conferido a seguir.

Cresça com o Google: Mulheres que Querem Desenvolver suas Carreiras

Autoconhecimento para escolhas profissionais

Ana Minuto, consultora empresarial e de carreira

“’Se você acredita que pode, você pode! Se você acredita que não pode, você também tem razão’. Apesar de desafiadora, essa frase também nos auxilia a repensar a nossa relação do nosso mundo interior com o mundo exterior – promovendo o autoconhecimento. Contudo, aplicá-lo à esfera profissional pode ser difícil, pois, como mulher, temos muitos desafios no dia a dia, pois não nos ensinaram a criar uma carreira.

Por isso, é extremamente importante que você conheça quem é você. Para quem não sabe como trabalhar o próprio autoconhecimento, destacarei alguns pontos importantes:

  1. Autopercepção: como você se percebe no mundo;
  2. Auto-observação: todos os dias temos que observar o que sentimos, pensamos e como agimos;
  3. Memória autobiográfica: são as decisões baseadas na própria história e experiências;
  4. Autoestima: é a partir dela que nos sentimos aptos ou não para realizar determinados trabalhos;
  5. Autoconceito: como você se enxerga e se descreveria para outra pessoa;
  6. Autoaceitação: todas as fases da vida demandam a autoaceitação, pois as transformações acontecem diariamente.”

Comunicação eficaz para conversas profissionais

Kaka Rodrigues, especialista em Gente

“Para que a gente tenha uma boa comunicação, a gente enfrenta todos os dias alguns desafios. E o principal desafio no processamento da comunicação é realmente conseguir que a mensagem chegue ao interlocutor da mensagem da maneira mais fidedigna que foi buscado transmitir.

Dentre os benefícios de uma comunicação eficaz, estão a redução e prevenção de conflitos e falsas expectativas, maior fluidez nas atividades, além de permitir que o outro também adquira mais autorresponsabilidade.

Pensando nisso, é possível adotar o seguinte passo a passo:

  1. Tenha clareza do seu estado emocional, objetivos e intenção de falar;
  2. Faça perguntas para esclarecer dúvidas e alinhar entendimento;
  3. Faça reuniões planejadas;
  4. Seja a mais clara possível;
  5. Procure se certificar que o interlocutor entendeu tudo o que foi dito.”

Melhorando a sua apresentação pessoal

Patricia Tucci, especialista em Treinamento e Desenvolvimento Pessoal

“A maneira como você se apresenta faz toda a diferença em como as pessoas te leem. Inclusive, a depender de como você é percebida, as portas também podem se abrir mais facilmente, ou não.

Afinal, somos vistas e analisadas em diferentes cenários, como reuniões, entrevistas, apresentações e até mesmo nas redes sociais – causando boas ou más impressões a nosso respeito. O nosso cérebro, inclusive, costuma gastar entre três a 90 segundos para julgar as primeiras impressões, tempo curto e que demonstra o quão necessário é a atenção aos detalhes.

Mas, afinal de contas, como realmente somos lidas? A resposta é complexa, já que depende de inúmeros fatores. De maneira analítica, são levados em consideração os seguintes pontos:

  • 55% aparência (vestimenta, acessórios e beleza) e comportamento (gestos, posturas e expressão);
  • 38% modo de falar (volume, tom e velocidade);
  • 7% conteúdo (palavras, assunto e vocabulário).”

Leia também: Autoconhecimento, propósito e significado na carreira: qual a relação e como fazer para trabalharem juntos?

Usando a sua experiência como diferencial no mercado de trabalho

Veruska Galvão, mentora de carreiras

“É possível usar das próprias experiências como um diferencial no mercado de trabalho. Por meio de qual ferramenta? Simples: o autoconhecimento. Para quem ainda está dando os primeiros passos, é interessante identificar as suas competências por meio da c-h-a-v-e:

  • Competências
  • Habilidades
  • Atitudes
  • Valores
  • Emoção

O exercício é bastante simples, porém de bastante valia no autoconhecimento profissional. Mas, afinal, como se destacar de uma vez por todas? Novamente, é simples: tendo clareza do porquê você faz o que faz. Isso nada mais é que o propósito de cada uma.”

Como se preparar para entrevistas de emprego

Bia Diniz, empreendedora social

“Neste tópico, iremos desenvolver sete dicas para quem está lidando com as temidas entrevistas de empregos. Com elas, você encontrar o seu ‘sim’ no emprego e empresa que desejar.

  1. Conheça a vaga e a empresa

Estude o perfil da vaga, requisitos e valores da empresa. Além disso, responda-se: quais são as minhas motivações para conquistar essa vaga?

  1. Você é a melhor candidata

Liste os seus pontos fortes e fracos em relação a vaga. Também é importante se fazer duas perguntas: o que te faz a candidata ideal? O que e como você pode se desenvolver para ela?

  1. Sua história tem valor!

Construa sua linha do tempo, considerando toda a experiência na função almejada. Liste também situações reais e desafios que a ajudaram a se desenvolver.

  1. Planeje!

Chegou a hora da entrevista, então é hora de planejar! Será presencial? Pense no caminho, tempo de percurso e até mesmo vestuário. Se for online, o planejamento fica centrado em questões técnicas e local apropriado.

  1. Leve suas impressões e dúvidas a sério

Anote possíveis perguntas que você queira fazer, busque estabelecer uma conexão com o recrutador e, não menos importante, certifique-se sobre o prazo do processo e tempo de feedback.

  1. Vista seu melhor sorriso!

Não importa de qual jeito, mas você precisa estar se sentido à vontade consigo própria. Use roupas lisas e confortáveis, fale com tranquilidade e, o mais importante, sorria. Neste caso, é o sorriso que traz no olhar, a boa energia e vontade de conquistar aquela vaga.

  1. Não tenha medo!

Um emprego é só um emprego e você pode (e deve) escolher qual faça mais sentido para si. É preciso estar tranquila para dizer o tão sonhado ‘sim’ ou, quem sabe, o ‘não’. É preciso estar seguro para se responder: eu quero ou não fazer parte desta empresa?”

Cresça com o Google: Mulheres que Querem Empreender

Liderança para empreendedoras

Priscilla de Sá, especialista em Liderança Feminina

“Nós estamos aqui, hoje, para falar sobre como você pode melhorar os seus resultados com pessoas. Quando estamos sobrecarregadas e o cenário é adverso, nós precisamos ser mais líderes ainda e aprender a ser protagonistas dos nossos próprios recursos.

Aqui, apresentarei o checklist da líder empreendedora; essas dicas podem ser carregadas para as mais variadas esferas da vida.

  1. Engajar

Uma maneira simples de engajar as pessoas é contando uma história. Neste caso, um storytelling empoderador é capaz de ampliar diversas possibilidades.

  1. Delegar

Treine quem realmente é treinável – isto é, aberto e flexível para novos conhecimentos e habilidades – e faça sempre o seu melhor.

  1. Cobrar

O feedback é a melhor maneira de desenvolver as pessoas e corrigir erros, além de preservar relacionamentos importantes (clientes, equipe e etc). Contudo, quando for necessário fazer uma cobrança de comportamento, foque especificamente nela e não na pessoa.

  1. Celebrar

Celebre as conquistas e resultados positivos. Além disso, uma forma de motivar a equipe é customizando as comemorações.”

Leia também: O que é inteligência emocional e como ela pode te ajudar a crescer na carreira

Networking: Construindo redes de relacionamento

Dany Carvalho, networker profissional

“Já pensou como é chato alguém que não te liga há muito tempo e que faz isso justamente quando está precisando de algo? Pois é, networking é igual a uma plantinha: precisamos regar o relacionamento todos os dias e sempre que possível.

Pensando nisso, é preciso adotar uma estratégia de como ampliar a sua comunidade e compartilhar a sua mensagem e aquilo que você tem a oferecer. Planeje as suas conexões do seguinte modo:

  1. Comece pelo porquê

Quais são as causas que te movem e quais são os aspectos da sua história que se conectam com o que você faz?

  1. Proposta de valor

O que torna você e o que você faz diferente?

  1. O que eu preciso?

Ao conversar com alguém que se proponha ajudar, tenha em mente exatamente o que você e seu negócio realmente demandam.

  1. Como posso ajudar?

Coloque-se também à disposição para ajudar a sua rede. Para isso, pergunte-se: quais experiências e habilidades podem ser úteis para outras pessoas ou negócios.

  1. Como as pessoas podem entrar em contato com você?

Quase como numa vitrine, deixe bem exposto como as pessoas podem e devem chegar até você e estabelecer uma conexão.

Desenvolva uma marca forte para o seu negócio

Cris Ueda, consultora de Marca Pessoal

“A marca pessoal nada mais é que a geração de sensações e sentimentos; é o que geramos de experiência para os outros. Ou, em outras palavras, é a imagem percebida: é o que as pessoas percebem de mim, imagem e reputação sobre a minha marca pessoal.

Por isso, a sua marca pessoal deve considerar os seguintes pontos para potencializar e reforçar suas fortalezas:

  • Identidade;
  • História/trajetória;
  • Personalidade;
  • Pontos fortes;
  • Essência;
  • Seu estilo;
  • Sua comunicação;
  • Propósito e valores;
  • Impressão/imagem percebida”

Aprenda a vender o seu peixe

Dilma Campos, CEO da agência Outra Praia

“Primeiramente, é importante que você saiba que é possível vender qualquer peixe, ou melhor, qualquer coisa. E quando digo qualquer coisa, é qualquer coisa mesmo. Isso, porém, não significa que tudo também será fácil. Para vender, seja o que for, é preciso se preparar bastante.

Por isso, é importante conhecer e conquistar os nossos clientes para toda a vida. E quando digo isso, é para nunca mais se separar dele. Inclusive, uma das formas mais usadas na hora de abrir um negócio é identificando problemas e oferecendo soluções. Aliás, o quanto a sua solução é capaz de melhorar a vida do cliente?

Então, o primeiro passo para quem ainda não tem essa resposta ao pé da língua (mas que deveria!) é fazendo uma lista. O seu cliente precisa saber o porquê ele está comprando de você. Monitore, anote e surpreenda o seu cliente, contando ainda mais sobre o produto ou consumo que você está vendendo. Isso é importante, pois gera a chamada fidelização do cliente.”

Leia também: As 8 habilidades mais importantes para administrar um negócio on-line, segundo empreendedores

Organização financeira como um hábito de vida

Paula Bazzo, planejadora financeira

“Hábitos são todos aqueles padrões comportamentais que constantemente estamos repetindo da mesma maneira. Tem um livro que é muito bom, do Charles Duhigg, que fala sobre o poder do hábito. Ele mostra, por exemplo, que tomamos muito mais decisões no dia a dia por coisas que incorporamos como rotina do que como novas decisões.

Segundo ele, o hábito é construído a partir desses três movimentos:

  1. Gatilho
  2. Execução de rotina
  3. Recompensa

Um exemplo prático da nossa rotina é o hábito de escovar os dentes: nós acordamos (gatilho), sentimos a necessidade de escovar os dentes num aparente impulso (rotina) e temos a sensação de boca e dentes limpos (recompensa).

Por fim, é claro que para quem tem tido dificuldades para lidar com a vida financeira, pessoal e profissional, será difícil achar essa rotina prazerosa. Além disso, às vezes a solução possa ser separar um dia da semana ou do mês para organizar os pagamentos e assuntos afins.”

Os melhores conteúdos para impulsionar seu desenvolvimento pessoal e na carreira.

Junte-se a mais de 1 milhão de jovens!
Casdastro realizado, fique ligado para os conteúdos exclusivos!
Seu cadastro não foi realizado, tente novamente!

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: