Um Projeto: Fundação Estudar
Participantes de programa da Universidade Na Prática

Como os cursos do Estudar Na Prática podem ajudar a acelerar sua carreira

Por Ana Pinho

Os cursos – que cobrem temas como autoconhecimento e liderança – ganharam nomes novos, mas o potencial transformador segue intacto; “Saí de lá com outra cabeça”, diz participante

Em 2012, para ampliar e potencializar seu impacto, a Fundação Estudar teve uma ideia: oferecer programas presenciais e de metodologia própria para jovens brasileiros em busca de uma carreira de sucesso e alto impacto. Os temas – liderança, autoconhecimento, conhecimento do mercado e conexão com oportunidades – surgiram da lacuna que existe entre o que é ensinado na faculdade e o que o mercado de trabalho exige, compensando esse gap de conhecimento e competências.

Hoje, junto com o portal NaPrática.org, esses programas compõem o Estudar Na Prática, braço de carreira da organização, e ganharam novos nomes com a recente reformulação da marca da Fundação Estudar. São eles: Liderança Na Prática 32h (antes conhecido como Laboratório), Liderança Na Prática 16h (antigo Labx), Carreira Na Prática (antigo Imersão) e Autoconhecimento Na Prática (antigo Catálise).

Juntos, já formaram mais de 12 mil jovens em todas as regiões do país e ajudaram a tirar inúmeras ideias do papel. No Liderança Na Prática (tanto na versão de 32 como 16 horas), por exemplo, participantes aprendem como transformar suas realidades através de novos conceitos e ferramentas, que são postos em prática durante o salto, como é chamado o um desafio que é proposto entre os dois módulos de cada programa.

Impacto na prática

“Somos grandes entusiastas da Fundação Estudar porque mudou nossas vidas”, resumiu Wellington Santos Silva, ex-participante do Liderança Na Prática 32h. Foi durante o salto que ele e Juliana Silva criaram o Empreendescola, uma escola de empreendedorismo gratuita e itinerante que já ajudou cerca de 300 jovens de baixa renda no interior do Brasil.

Leonardo Alves e Luiz Henrique Simon formam outra dupla que empreendeu após o programa. Criadores do app de encontros Deeper, baseado em interesses comuns, viram mil matches acontecerem só nas primeiras 24h.

“O salto foi o estopim, mas os conceitos de sonho grande e protagonismo foram muito importantes e algo que continuamos praticando e usando como referência”, disse Luiz, citando valores da organização fortemente cultivados durante os encontros.

Não é um sentimento incomum: as experiências dos participantes são frequentemente transformadoras e os aprendizados, profundos.

“Saí de lá com outra cabeça”, disse Lucas de Sá, que frequentou o Carreira Na Prática Empreendedorismo. “Fora desse meio as pessoas não falavam sobre empreender e lá parecia que eu estava em outro planeta, todo mundo tinha projetos interessantes.” A proposta do Carreira Na Prática é apresentar a jovens universitários e recém-formados a realidade profissional em diversas trilhas de carreira: como é o dia a dia, quais são os desafios, e o que mais o participante quiser saber.

Hoje, Lucas já empreende na Gravetto Alfajor ao lado de Gabriela Santos. A experiência foi tão boa que ele retornou para fazer outros dois programas, o Carreira Na Prática Gestão Empresarial e o Liderança Na Prática 32h.

Gabriela completou a lista ao participar e se tornar multiplicadora do Autoconhecimento Na Prática, programa que estimula uma reflexão sobre valores e vocações nos participantes e dá ferramentas para o autodesenvolvimento. “É sensacional enxergar como você pode potencializar pessoas agindo com amor, vocação, metodologia correta e trabalho duro”, contou ela, sobre a experiência de ser multiplicadora – ou seja, de levar o programa para mais pessoas.

Izadora Mattiello participou do mesmo programa quando estava buscando uma guinada na carreira, sem ainda ter certeza do que faria após deixar o mundo acadêmico da Biologia. “A pergunta que mais me marcou foi qual era o meu propósito de vida. Como assim? Eu não tinha noção de qual era o meu propósito de vida!”, contou. “E foi lá que eu consegui refletir sobre minhas habilidades, meus verdadeiros gostos e o que me faria feliz – e deixei de sentir o peso de fazer algo diretamente ligado à minha formação.”

“Saí de lá com uma energia imbatível e parecia que tinha me descoberto novamente”, continuou ela, que hoje toca o Phomenta, seu próprio negócio social voltado para a filantropia e impacto no terceiro setor com foco em boas práticas de gestão.

Um alcance maior para a Fundação Estudar

Foi por sentir algo similar que Juliana Teles decidiu fundar o Impact Hub Manaus, que integra a rede global de espaços colaborativos Impact Hub.

A vontade de empreender na área começou a germinar quando ela participou do Liderança Na Prática 32h em 2013. “Foi a primeira vez que encontrei pessoas fora da AIESEC que também queriam transformar Manaus”, lembrou ela, que também foi presidente da organização universitária na cidade. “Eram quarenta pessoas que falavam da sua vontade de fazer a diferença no mundo.”

Após a experiência, Juliana também se tornou multiplicadora e levou o conteúdo para Porto Velho e Belém. É o caminho de muitos novos líderes que, entusiasmadas com os resultados, se voluntariam para facilitar o Liderança Na Prática 16h, uma versão introdutória do programa criada para ir além dos grandes centros e atingir um número crescente de brasileiros. Uma vez dispostos a levar o conteúdo adiante, eles recebem treinamentos e suporte da Fundação Estudar.

Um deles é Raphael Aleixo, que já organizou três edições, incluindo uma em Quixadá, no sertão cearense. “O programa foi a maneira concreta de alcançar a maior quantidade de pessoas e ajudá-las a mudar suas realidades”, disse. “Foi muito gratificante ver o brilho nos olhos dos participantes a cada desafio conquistado.”

De uma prótese de mão feita com uma impressora 3D em Teresina (o projeto Mão Amiga) a um app que compara preços em supermercado e que resulta em economias reais em Santos e São Paulo (o PagPouco), as realidades transformadas não têm limites.

“Foi um divisor de águas na minha vida”, contou César Filho, que participou de diversos programas e hoje toca o aplicativoWeCancer, que ajuda famílias a lidarem com os efeitos emocionais do tratamento de câncer. “O conteúdo e as facilitadoras me inspiraram muito: você é o responsável pelo sucesso e pode criar uma mudança duradoura no Brasil.”

SAIBA MAIS SOBRE OS CURSOS E AS EDIÇÔES E INSCREVA-SE

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo