Um Projeto: Fundação Estudar
decisão de empreender

3 Líderes da rede de alto potencial da Fundação Estudar contam como decidiram empreender

Por Tatyane Mendes

Membros da rede de alto impacto da Fundação Estudar contam quais foram suas motivações para se tornarem empreendedores, quais são os principais desafios do trabalho e lições que tiraram de suas experiências

Empreender é o sonho de muitos profissionais. Contudo, as dificuldades e desafios do empreendedorismo muitas vezes fazem quem sonha com seu próprio negócio questionar se esse é o caminho certo a seguir. Por isso, o Na Prática convidou três Líderes Estudar para contar como foi o momento que tomaram a decisão de empreender e quais as lições que tiram de suas experiências.

Em 2017, Marcelo Bellini fundou a Arbória Edifícios Verdes, empresa de desenvolvimento imobiliário criada em Foz do Iguaçu para atender a região da Tríplice Fronteira. Formado em arquitetura e urbanismo, ele conseguiu realizar um MBA no Instituto Europeu de Administração de Empresas (Insead) na França e em Cingapura, como bolsista da Fundação Estudar.

“O que me levou inicialmente à decisão de empreender foi o desafio de estar 100% a frente de um projeto, as recompensas possíveis e a liberdade de fazer as coisas do meu jeito. Também a possibilidade de criar uma cultura própria de trabalho que envolvesse meus valores éticos e profissionais. Hoje, mesmo minha empresa sendo pequena ainda, me sinto uma peça importante no mecanismo econômico e social de onde vivo”, relata.

Cursos da Fundação Estudar

Quer conhecer recrutadores de empresas inovadoras? Inscreva-se gratuitamente na Conferência Na Prática Empreendedorismo & Inovação!

Contudo, ele afirma que só conseguiu consolidar a empresa com a apoio de investidores e parceiros confiáveis. Marcelo aponta que os principais desafios de empreender no Brasil estão voltadas para a crise política e econômica do país, a baixa qualificação geral da mão de obra, e o sistema tributário brasileiro.

“Mas não me vejo fazendo outra coisa, ou trabalhando onde não tivesse participação relevante. O empreendedorismo está na origem da criação de valor econômico e desenvolvimento do mundo hoje. Seja empreendedor no próprio negócio ou dentro de uma organização, vejo como a pessoa que vai à frente, abrindo caminho e expandindo limites”, garante.

Ana Kertesz é cofundadora da The IdeaMix, empresa de mídia e comunidade focada em empreendedorismo. Ao lado de Sam Jayanti, ela criou a companhia com a missão de ajudar as pessoas a empreenderem, através de ideias e ferramentas que sejam curadas e validadas por outros empreendedores. Depois de uma longa carreira na Goldman Sachs e na Península Participações, Ana tomou a decisão de empreender e se mudou para os Estados Unidos.

“Após alguns meses de exploração, percebi que não existia uma plataforma única que ajudassem as pessoas a explorarem ideias e entenderem o caminho das pedras, nem quais ferramentas precisam em diferentes estágios de diferentes tipos de empreendedorismo. Portanto, resolvi me juntar a minha amiga de longa data da Harvard Business School e criamos uma plataforma para possibilitar a troca real de experiências de diversos empreendedores com ferramentas e ideias validadas pelos próprios”, explica.

Ela revela que sempre teve uma grande admiração por empreendedores, principalmente por características como visão, garra, resiliência e determinação. “Sempre tive o sonho de empreender. Hoje eu sinto que nasci uma empreendedora e estou muito feliz, principalmente com a capacidade de criar algo do zero, realizar a minha visão, ter autonomia e poder escolher o ritmo que queremos dar ao nosso negócio. Ao mesmo tempo, a vida de empreendedor é realmente uma montanha russa todo dia. Mas eu não tive escolha. Fiquei tão obcecada com esta ideia, que simplesmente tive que começar a desenvolvê-la”, divide.

Membro da rede de alto impacto da Fundação Estudar conhecida como Líderes Estudar, Ana define empreendedorismo como a maior forma de expressão do talentos e potencial de uma pessoa. “É a maior ferramenta de inovação e crescimento da economia. Queremos ajudar as pessoas a realizarem seu potencial e viver o que elas amam”.

Especializado em redução de custos, Hugo Nascimento se incomodava com o fato de seu papel, muitas vezes, resultar em demissões. “Eu queria gerar riquezas, seja por meio de novos empregos ou por processos que fossem mais produtivos. Tomei a decisão de empreender na área da educação por entender que posso ajudar o meu país a ser um ambiente melhor para vivermos”, opina.

Leia também: 6 podcasts sobre empreendedorismo e negócios

Atualmente, Hugo é sócio e fundador de cinco empresas que atuam no ramo de educação universitária. “Começamos com a GTática Consultoria a estruturar cursos de extensão e pós-graduação para formar profissionais para o mercado. Depois  começamos a ser procurados para vender produtos e serviços para os mantenedores; ajudar a estruturar eventos; e trazer soluções para a ociosidade das instituições. Por conta disto, juntamente com outros sócios, começamos a constituir as demais empresas do grupo, para atender cada um destes nichos de oportunidades”, esclarece.

Sobre empreender, Hugo afirma que é um trabalho exigente. “É uma experiência desafiadora, excitante, que exige que você seja humilde, para sempre estar disposto a aprender com as vitórias e, principalmente, com as derrotas. O empreendedorismo é fundamental para tornarmos o nosso país melhor. Contudo, é preciso ter consciência de que não existe mais o dia para receber o pagamento. Você precisa se preocupar primeiro em honrar seus compromissos com seus clientes, funcionários, consultores, sócios, fornecedores e parceiros, atendendo suas expectativas.

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo