Um Projeto: Fundação Estudar
geradores de energia eólica

O trabalho de um gerente de comercialização de energia

Por Rafael Carvalho

Victor Soares fala sobre o dia a dia e os desafios da área comercial da Omega Energia, uma das principais plataformas de geração de energia renovável no Brasil

“Nossa finalidade não é somente gerar energia renovável. O que queremos é causar impactos positivos relevantes para a sociedade. Gerar energia é o caminho que encontramos para isso”, explica Victor Soares, Gerente de Comercialização na Omega Energia.

Desde 2008, quando foi fundada, a Omega Energia vem se consolidando como uma das principais plataformas de geração de energia renovável no país, com um portfólio que envolve fontes de energia limpas e sustentáveis em 15 estados brasileiros. Controlada pela gestora de recursos Tarpon e pelo fundo norte-americano Warburg Pincus, a empresa atua principalmente em projetos hidrelétricos de médio e pequeno porte, e também de energia eólica.

Leia também: Veja as lições do jovem CEO da Omega Energia

Início de carreira

O interesse de Victor pelo mercado de energia vem desde a época da graduação em Engenharia Elétrica, que cursou na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em Minas Gerais. No seu trabalho de conclusão de curso, ele pesquisou o mercado de energia brasileiro – temática que, segundo ele, não despertava o interesse da maior parte de seus colegas. “Desenvolvi um estudo bastante ligado à política energética do Brasil, às regras de mercado”, ele conta.

Depois da formatura, enquanto muitos de seus colegas resolveram seguir carreira nos quadros públicos, Victor decidiu prestar alguns programas de trainee, e entrou na consultoria FALCONI (na época, ainda com o nome de Instituto de Desenvolvimento Gerencial – INDG). A vontade de trabalhar com energia, no entanto, falou mais alto: passou mais alguns anos na consultoria Andrade & Canellas, especializada no setor energético, antes de finalmente assumir seu posto na Omega, onde está há dois anos.

Além do TCC, que lhe possibilitou entender melhor todos os envolvidos no mercado de energia, Victor também valoriza bastante o aprendizado que adquiriu fazendo uma especialização em finanças. “Esse conhecimento é muito importante, faz você entender energia não só como uma grandeza elétrica, mas também o impacto econômico que ela tem na sociedade”, explica.

Cultura empresarial da Omega Energia

A equipe da Omega é gerida por resultados, valoriza a meritocracia, e quer atrair para o projeto pessoas talentosas e empreendedoras. “É uma empresa com que eu me identifico bastante, exatamente por não ser linear”, explica Victor. “No início foi um jeito de ser, de trabalhar e de pensar diferente do que eu estava acostumado, mas essa adaptação nunca é instantânea, e eu acabei me identificando muito.”

O desafio da Omega é construir um ambiente informal, sem espaço para a rigidez ou burocracia desnecessária, mas que esteja de acordo com a legislação e valores éticos. “Nós não temos um caminho muito pré-determinado, mas isso só é possível porque sabemos quais são os nossos valores e temos muito claro o nosso propósito de transformação”, comenta Victor. “Isso para mim é positivo e traz para a Omega uma quantidade de possibilidades muito maior do que as empresas que já tem muitas coisas acertadas e números fechados”, conclui.

Segundo Victor, a Omega é uma empresa bastante horizontal e que evita hierarquias comando-controle. “Nós buscamos trazer pessoas que tenham a nossa pegada, o nosso engajamento, e damos liberdades para elas criarem e se desenvolverem aqui dentro”, acrescenta. “É uma equipe reduzida mas muito produtiva”.

Leia também: Da sala de aula para o mercado de comércio e energia

Dia a dia da área comercial

“A responsabilidade da minha equipe, na verdade, é tanto técnica quanto comercial”, adianta Victor. Está a cargo da área comercial, por exemplo, fazer o relacionamento com grandes clientes para vender energia. “Eu visito grandes empresas para ver as necessidades delas e comparar com a nossa disponibilidade de energia, e com o estudo técnico realizar uma proposta comercial”.

Essa, no entanto, é apenas uma das tarefas. Também faz parte das funções da equipe estudar o mercado para leilões de energia, analisando todos os players do mercado e percebendo como eles estão posicionados. É necessário avaliar a localização dos parques eólicos dos concorrentes, a quantidade de vento que incide no local, e usar essas informações para precificar a energia que produzem na hora dos leilões. “Para termos o melhor retorno, temos que acertar na vírgula o preço”, explica Victor.

Uma terceira responsabilidade seria a análise regulatória, já que a empresa de energia possui um contato grande com o governo. É a área comercial que realiza a interface com órgãos reguladores, câmaras de comercialização de energia e Ministério de Minas e Energia, entre outros.

Por último, também participam da gestão das usinas. “Analisamos o quanto as usinas geraram de energia, e se diante disso deveríamos comprar ou vender energia e a qual o preço, e também se o cliente está consumindo mais ou menos do que costumava e qual o resultado que nosso trabalho está alcançando”, explica.

Perfil profissional

Como o trabalho na área vai desde uma parte bastante analítica e estratégica até o relacionamento com clientes e governo, é importante ter as famosas soft skills – habilidades de negociação, comunicação e relacionamento.

Para ele, se dar bem nessa área também requer uma compreensão de análise de investimentos e raciocínio lógico.  “Eu enxergo hoje que estou em uma área muito mais complexa e desafiadora de raciocínio lógico, de compra e venda, de posicionamento, de negociação, do que se eu tivesse em um banco”, comenta o engenheiro, fazendo referência ao ambiente desafiador normalmente associado ao mercado financeiro.

“Para entrar na Omega, é muito importante você ter visão de longo prazo, acreditar que o futuro é maior do que o presente”, ele conclui. “O nosso objetivo é ser muito melhor e maior, e queremos pessoas que estejam juntas em nossa visão.”

Esta reportagem faz parte da seção Explore, que reúne uma série de conteúdos exclusivos sobre carreira em negócios. Nela, explicamos como funciona, como é na prática e como entrar em diversas indústrias e funções. Nosso objetivo é te dar algumas coordenadas para você ter uma ideia mais real do que vai encontrar no dia a dia de trabalho em diferentes setores e áreas de atuação.

 

Dica do Na Prática:

Conhecer de perto as etapas de um processo seletivo e entender como acontece cada uma delas aumenta as suas chances de contratação. Se você ainda não se sente 100% confiante, não se preocupe, a Fundação Estudar reuniu as maiores referências no assunto em um curso online para te ajudar neste desafio. Inscreva-se agora pagando somente R$ 39 com o cupom PROCSEL_20 clicando aqui.

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo