Um Projeto: Fundação Estudar
Matheus Saueressig

Jovem que ganhou bolsa mundial com pitch sobre agricultura celular trabalha para disseminar o conceito

Por Suria Barbosa

Após estudar agricultura celular no exterior, Matheus Saueressig atua como diretor de comunicações de organização que busca difundir o conceito, que prevê a produção de derivados biológicos por meio da cultura de células.

Em 2015, com apenas 17 anos, Matheus Saueressig conquistou um grande feito: apresentou sua concepção de um “curso do futuro” e, com ela, ganhou o concurso mundial promovido pela Universidade do Oeste da Austrália (UWA). A agricultura celular, tema que lhe rendeu o 1º lugar no “Pitch the Course of the Future” – e um prêmio em dinheiro para viajar pelo mundo e aperfeiçoar sua ideia -, continua movendo sua carreira.

Basicamente, o conceito de “agricultura celular” possibilita produzir derivados biológicos – como carne, ovos, couro – utilizando “partes” dos animais, e não eles inteiros, por meio da cultura de células. Na época chamando-a de “Biofabricação”, Matheus contou ao Estudar Fora que seu curso universitário formaria “biotecnólogos responsáveis pela gestão de empresas que fabricam produtos animais, órgãos e outros derivados biológicos sem necessidade de um animal, vegetal ou humano”.

“Isso tudo seria feito usando sofisticados métodos de cultura de células e engenharia de tecidos”, explicou ele, antes de seguir viagem para Nova York e Maastricht, onde pesquisou mais até fazer seu pitch na universidade australiana que lhe concedeu o prêmio.

[Matheus e Barry Marshall, Nobel de Medicina e professor de microbiologia clínica na UWA/Acervo pessoal]

Quais seriam os benefícios da produção com base na agricultura celular? Segundo Matheus, ela ajudaria a diminuir os impactos da agricultura regular no meio ambiente. Entre suas vantagens, ele cita menos utilização de água e a não produção de dejetos.

Esforço para difundir a agricultura celular

De volta ao Brasil, Matheus começou a estudar Engenharia Elétrica na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mas teve que trancar o curso para prestar serviço militar. Decidido a dedicar o resto de seu tempo ao tema que havia alavancado o início de sua trajetória, mesmo com a faculdade trancada o estudante retornava para “conversar com professores e doutores sobre pesquisas e criação de startups ligadas à agricultura celular”.

Como progressão do seu interesse, ele queria criar uma organização brasileira que tratasse do assunto. Ao pesquisar ONGs que pudessem orientá-lo na empreitada, Matheus conheceu o fundador e presidente da Cellular Agriculture Society (CAS) – organização sem fins lucrativos – o bioengenheiro Kristopher Gasteratos.

Leia mais: Brasileira é promessa da nova geração de cientistas

Sua história, seu trabalho anterior e sua vontade de começar “um movimento a favor da agricultura celular no Brasil” fizeram com que Kristopher lhe oferecesse a posição de diretor de comunicações na América do Sul, cargo que ocupa hoje – além de ter voltado a estudar Engenharia Elétrica. “Trabalho com nosso conselho executivo e me reúno regularmente para discutir e trabalhar ideias”, conta.

Através da divulgação de notícias, informações, coordenação de projetos e eventos, a CAS tem objetivo de disseminar o conceito da agricultura celular. “Minha função é engajar a comunidade em geral para participar dos nossos programas voluntários e unir esforços com acadêmicos, líderes da indústria e políticos em todo o território sul-americano”, explica Matheus.

O jovem diz que, como diretor de comunicações, seu maior desafio tem sido criar pontes com os países vizinhos para que se conscientizem sobre a agricultura celular. Segundo ele, “somos o único continente, além da África, que não tem nenhuma startup ou empresa que sintetize algum produto de origem animal”.

 

Dica do Na Prática:

Autoconhecimento é fundamental para você embasar as suas decisões de vida e carreira. É por meio  dele que você vai responder dúvidas que podem estar na sua cabeça, como: “O que te traz felicidade genuína?”, “O que dá significado para sua vida?”, “Qual carreira faz mais sentido para mim?”. Foi pensando nesse seu momento que a Fundação Estudar criou o Autoconhecimento Na Prática, um curso de três dias que vai ajudá-lo a desvendar o seu verdadeiro Eu e a guiar com mais segurança suas escolhas profissionais e de vida. Inscreva-se agora com 10% de desconto usando o cupom AUTO10. É só clicar aqui!

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo