Um Projeto: Fundação Estudar
Homens trabalhando em sala de reunião em conference call

Job rotation: o que é e quais os benefícios para um trainee

Por Rafael Carvalho

Praticado por grande parte dos programas de trainee, a técnica do 'job rotation' pode formar profissionais mais completos e estratégicos

Participar de um programa trainee nos primeiros anos da carreira é uma das etapas mais importantes da formação profissional dos recém-graduados. O programa possibilita conhecer melhor o mercado de atuação, identificar a área em que o jovem mais se identifica e ganhar maturidade necessária para o mercado de trabalho, ao observar e aprender com gestores e líderes mais experientes. Para integrar o trainee a todos os setores da organização, muitas empresas lançam mão do chamado job rotation.

O profissional que participa de um processo como este ganha uma visão mais estratégica sobre a companhia, o que o coloca em vantagem em relação aos outros concorrentes do mercado, já que possibilita uma percepção ampla sobre o funcionamento do negócio.

Baixe o Especial Na Prática sobre processos seletivos e programas de trainee

Como funciona o job rotation?

O job rotation é muito empregado pelos profissionais de recrutamento e recursos humanos. É uma prática geralmente utilizada em programas de trainee como método de preparação do profissional para um maior entendimento estratégico da organização. O objetivo é o de maximizar tanto o aprendizado quanto o aproveitamento do trainee dentro da empresa, fazendo com que, para tal, ele passe por diversas áreas da instituição, por um período determinado e, com isso, possa conhecer todos os processos, todas as atividades e também todas as especificidades de cada área.

Dessa forma, passando por variados setores (por exemplo, finanças, compras, marketing e vendas) é possível ampliar o conhecimento e se tornar um profissional melhor capacitado, que conhece todas as áreas da empresa e entende como as ações e tarefas de cada uma delas pode influenciar o dia a dia dos outros setores e também do negócio como um todo.

Dessa forma, o job rotation pode ser considerado uma espécie de “rodízio” dentro da organização, por permitir ao futuro profissional conhecer diversas funções.

A técnica foi introduzida nas práticas de recursos humanos no Brasil por empresas multinacionais, que já utilizavam a prática em seus programas de trainee com o objetivo de qualificar os futuros gestores das organizações.

Leia também: Como se destacar no processo seletivo para Trainee Ambev?

Diferencial estratégico

Ao circular por toda a empresa, o profissional em formação consegue desenvolver empatia por outras áreas e conhecer não só as tarefas de cada setor, mas criar um vínculo com os profissionais que ali atuam. Na prática, grande parte das organizações percebe que a iniciativa aproxima os colaboradores e favorece, portanto, o compartilhamento de informações e de conhecimento.

Além disso, o job rotation faz com o trainee saia de sua zona de conforto. Ao conhecer áreas diferentes da empresa, ele terá que buscar novas informações, entender procedimentos diversos, exercitar a capacidade de liderança, criar redes de contato – o networking – e assumir responsabilidades.

Em síntese, ao exigir que o profissional esteja em movimento constante dentro da organização e dos diferentes setores, o job rotation torna o trainee um colaborador mais completo e capacitado para atuar dentro da organização.

Leia também: O que fazer e não fazer nos processos seletivos para trainee

Este artigo foi originalmente publicado em My Trainee 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo