empresas mais inovadoras

Anualmente, o site Fast Company, especializado em notícias sobre o novo mercado, lança uma lista dos negócios que estão causando mais impacto pelo mundo, em suas indústrias ou na cultura local.

Confira sua seleção das empresas mais inovadoras de 2021, a partir da tradução do Na Prática.

As 50 empresas mais inovadoras do mundo em 2021

#1 Moderna

“Por fazer a vacina Covid-19 decolar”

A vacina contra a Covid-19 baseada em mRNA da Moderna, que demonstrou ser mais de 94% eficaz após duas doses e pode ser armazenada em uma geladeira ou freezer comum, foi responsável por um passo importante.

 

 

#2 Pfizer-BioNTech

“A primeira a comercializar uma vacina eficaz para a Covid-19”

A farmacêutica Pfizer, sediada em Nova York, e em parceira com a fabricante alemã BioNTech conseguiram entregar uma vacina Covid-19 em tempo recorde. Isso permitiu que os imunizantes obtivessem a autorização de uso emergencial nos Estados Unidos. O fato ocorreu menos de um ano após o primeiro sequenciamento genético do vírus da COVID-19.

#3 Shopify

“Por oferecer uma salvação às pequenas lojas”

Quando o lockdown começou e os varejistas tradicionais começaram a sofrer, a Shopify entrou em cena. Ela se destacou por oferecer ferramentas que permitiram que essas empresas iniciassem operações online da noite para o dia, convertendo pontos de vendas físicas em lojas de e-commerce.

#4 SpaceX

“Por disparar na corrida espacial”

Em maio, a SpaceX se tornou a primeira empresa privada a enviar astronautas da NASA para a Estação Espacial Internacional (ISS na sigla em inglês) – aliás, foi a primeira tripulação americana a ser lançada em quase uma década. Além disso, a nave Crew Dragon transportou uma segunda tripulação de quatro astronautas em novembro, sendo que uma terceira missão está planejada para este ano.

#5 SpringHill Company

“Por unir entretenimento com justiça social por meio do conteúdo de Hollywood”

A empresa de marketing e entretenimento de LeBron James e Maverick Carter tem uma agenda inabalável: fazer e distribuir conteúdo que dê voz a criadores e consumidores que se sentiram aproveitados, ignorados ou mal atendidos. O resultado não poderia ser outro: uma trajetória de crescimento.

Leia também: O que é inovação disruptiva?

#6 Epic Games

“Por desafiar a hegemonia da Big Tech e possuir uma visão para construir algo melhor”

O futuro da mídia social pode não estar nas plataformas tradicionais, mas em ambientes de jogos envolventes com suas próprias economias, moedas e cultura. Fortnite, a popular “batalha real” da Epic Games, está se esforçando para se tornar o primeiro metaverso digital: um espaço virtual compartilhado que vai além dos jogos, incluindo uma gama infinita de experiências de mídia.

#7 Netflix

“Por tornar o público negro o centro de sua estratégia de programação”

Os recursos de produção global da Netflix permitem que o conteúdo continue fluindo quando as pessoas mais precisam. Quando os protestos contra a morte de George Floyd começaram, o streaming já estava servindo os telespectadores com uma variedade de perspectivas negras, demonstrando sua prontidão para o momento.

#8 Tock

“Por restaurar uma ‘vantagem’ para restaurantes e pequenos negócios atingidos pelo coronavírus”

Quando os restaurantes nos Estados Unidos tiveram de interromper suas operações no ano passado, a plataforma de reservas Tock deu aos restaurantes um ‘salva-vidas’ com o Tock to Go. A plataforma de pedidos online permite que os restaurantes ofereçam coleta e entrega com melhores condições para seus negócios.

#9 Microsoft

“Por definir metas incrivelmente ambiciosas de neutralidade de carbono a longo prazo”

Em 2020, a Microsoft prometeu se tornar neutra na emissão de carbono até 2030 – mas, até 2050, remover todo o carbono que a empresa já emitiu desde sua fundação, em 1975. Ela pretende fazer isso lançando um fundo de inovação em novas soluções climáticas, expandindo sua taxa interna de carbono e ajudando fornecedores e clientes a reduzir suas pegadas ambientais.

#10 Graphika

“Por identificar campanhas de desinformação e fake news em todo o mundo”

Em 2020, pesquisadores da empresa de análise de redes sociais Graphika relataram operações russas apontadas como “suspeitas”, que estariam visando atingir eleitores conservadores antes da votação presidencial dos Estados Unidos. Outra ação da empresa foi em relação às desinformações globais sobre a Covid-19.

Leia também: 21 (possíveis) profissões do futuro para conhecer hoje

#11 Ping An Good Doctor

“Por demonstrar como os serviços de telessaúde em grande escala podem funcionar”

A Ping An Good Doctor, sediada em Xangai, é uma seguradora que tem investido bastante em telessaúde. A empresa conecta pacientes com serviços de prescrição e consultas médicas online por meio de um aplicativo para celular. Ele também usa inteligência artificial para examinar pacientes e fazer um uso mais eficiente do tempo do médico.

#12 Outschool

“Por tornar o aprendizado remoto divertido”

O mercado para atividades extracurriculares virtuais, que vão desde aulas de ukulele a aulas de desenho e muito mais, todas voltadas para alunos de 3 a 18 anos, tornou-se uma resposta positiva na rotina pandêmica de estudantes norte-americanos. No país, o marketplace de aulas online foi um sucesso entre os jovens.

#13 National Basketball Association (NBA)

“Por ‘estourar’ a melhor bolha”

A NBA foi a primeira liga esportiva profissional importante a interromper sua temporada devido à pandemia de Covid-19, ao mesmo tempo em que foi uma das primeiras a voltar a jogar com sucesso ainda em 2020.

#14 Snap

“Por criar uma ponte sobre a realidade com miniaplicativos”

O uso de snap aumentou enquanto as pessoas ficavam presas em casa devido ao isolamento social. Com isso, a empresa conquistou os usuários de diferentes formas – desde miniaplicativos executados dentro do Snapchat a facilidades de e-commerce. A empresa diz que seus usuários ativos diários cresceram 22%, passando para 265 milhões no quarto trimestre de 2020. Além disso, a receita média por usuário aumentou de 33% e prevê um crescimento de receita de 50% nos próximos anos.

#15 Asana

“Por ajudar as equipes a atingirem seus objetivos”

A plataforma de gerenciamento de trabalho é usada por mais de 89 mil organizações, junto com 3,5 milhões de pessoas que contam com a versão gratuita. A empresa lançou o Asana Goals em julho de 2020, permitindo que as equipes controlassem melhor o progresso de suas tarefas. Ainda em novembro, a empresa adicionou mais 130 recursos, incluindo integrações com Microsoft Teams, Slack e Zoom.

Leia também: Startups: o que são, quais as principais brasileiras e como trabalhar nelas

#16 Biobot Analytics

“Por usar esgoto para na detecção precoce de novos casos de coronavirus”

A startup de epidemiologia de águas residuais, Biobot Analytics, usa ensaios genômicos e químicos, bem como análises de dados, para detectar vírus, bactérias e produtos químicos no esgoto. Quando o COVID-19 apareceu, ele rapidamente descobriu como detectar o vírus e auxiliar na detecção precoce de novos casos.

#17 Nike

“Por recuperar seu relacionamento com seus clientes”

A Nike viu um aumento de 83% nas vendas online de seus vestuários em 2020 – um sinal de que seu esforço para se tornar uma marca direta ao consumidor está valendo a pena. Durante a pandemia, ela também se conectou com os clientes por meio de vídeos de treinamento gratuitos no YouTube. O aplicativo Training Club, também da companhia, tornou-se gratuito e adquiriu 25 milhões de novos membros no quarto trimestre fiscal do ano.

#18 Ben & Jerry’s

“Pelo ativismo corporativo pioneiro”

A Ben & Jerry’s vê o ativismo corporativo como uma parte central de seus negócios. Em junho de 2020, após anos de trabalho para apoiar o movimento Black Lives Matter, a empresa divulgou uma declaração clara após a morte de George Floyd: “We must dismantle white supremacy”.

#19 Sony Interactive Entertainment

“Por subir de nível mais uma vez”

A divisão de jogos da Sony lançou novos hardware e software em 2020, mostrando mais coisas que os jogos podem fazer. Seu PlayStation 5 emprega processadores gráficos que melhoram a aparência da partida, enquanto seu controlador tátil muda a sensação do jogo.

#20 Seegene

“Por produzir um teste de diagnóstico de Covid-19 e torná-lo global, enviando mais de 55 milhões de kits para 67 países”

A empresa de biotecnologia criou um teste de diagnóstico molecular para o vírus da Covid-19, que ajudou a Coreia do Sul a conter o vírus na primavera de 2020. Cerca de 80% dos testes feitos no país em abril foram realizados pela Seegene.

Leia também: O que é liderança e por que ela é tão importante para qualquer carreira de sucesso?

#21 goTRG

“Por recondicionar e reciclar mercadorias devolvidas e economizar dinheiro (e o planeta) no processo”

O goTRG é especializado em ajudar varejistas, incluindo marcas como Walmart, Lowe’s e Target, a reorganizar, recuperar e reaproveitar o estoque devolvido. Seu software ajuda os funcionários a determinarem se os itens devolvidos (muitas vezes por razões de avarias) devem ser armazenados novamente ou colocados no fluxo de revenda do goTRG – onde podem ser consertados e revendidos em mercados ou recuperados para peças e reciclados.

#22 Corning

“Por melhor preservar a durabilidade dos celulares”

Para a maioria das novas versões do Gorilla Glass, a Corning se concentra em endurecer o material contra quedas de aparelhos celulares, para que os dispositivos não se quebrem ao atingir o pavimento. Mas com o Gorilla Glass Victus do ano passado, a Corning também prestou atenção aos arranhões na superfície, alegando o dobro da resistência a arranhões de seu vidro de exibição anterior. Teremos maior durabilidade nos aparelhos?

#23 Farfetch

“Por digitalizar as pequenas lojas e colocá-las no Tmall”

A pandemia foi devastadora para os varejistas de moda, que foram forçados a fechar as portas. A Farfetch, uma plataforma que vende produtos de mais de 750 butiques, estava posicionada de maneira única para ajudar. Os algoritmos de marketing da plataforma previram a rapidez com que os consumidores mudariam para o e-commerce e ajudaram a equipar as pequenas lojas a disponibilizar seus produtos aos compradores online.

#24 Marqeta

“Por criar uma caixa de ferramentas para cartões de crédito virtuais em apps”

Fundada em 2010, a Marqeta tem se dedicado para construir uma infraestrutura moderna para a emissão de cartões de crédito virtuais. Agora, todos, do Square ao Uber, usam a plataforma da Marqeta, que suporta a emissão de cartões “tokenizados” – que podem ser implantados em tempo real, por meio de carteiras digitais.

#25 Ruangguru

“Pela transmissão ao vivo de aulas de graça para 10 milhões de alunos durante o lockdown”

Em março do ano passado, menos de uma semana depois que a Indonésia fechou as escolas para mais de 50 milhões de alunos, a Ruangguru, edtech com sede em Jacarta, lançou uma escola online gratuita. Ao todo, eram 18 canais transmitidos ao vivo. Não demorou muito para a plataforma disparar no top das buscas das lojas de aplicativos. Isso, aliás, graças à abordagem bem aprimorada da empresa para envolver as crianças.

#26 Lululemon

“Por refletir sobre o que os clientes desejam ao comprar o Mirror – um sistema de condicionamento físico interativo”

No verão de 2020, a Lululemon adquiriu o Mirror – especializada em aulas e equipamentos de ginástica doméstica – por US $ 500 milhões. A marca não pensava nisso como um novo canal de venda de roupas, mas sim como uma nova forma de engajamento com os clientes.

#27 Aclima

“Por fornecer uma compreensão mais profunda da poluição”

Todo mundo sabe que a poluição do ar e as emissões de gases de efeito estufa são problemas enormes. O que é menos óbvio: eles podem variar muito, mesmo bloco a bloco. Os sensores e a plataforma baseada em nuvem da Aclima transformam big data sobre a qualidade do ar em percepções hiperlocais, que ajudam os governos e outras partes interessadas a identificar os pontos críticos para que possam agir.

#28 Get Shift Done

“Por lidar com a perda de emprego e a fome, pagando funcionários de hotelaria para preencherem turnos em abrigos e banco de alimentos”

Vendo despensas e abrigos de alimentos lutarem para atender à necessidade crescente de americanos desempregados durante a pandemia, Patrick Brandt, presidente da Shiftsmart, e Anurag Jain, presidente emérito do North Texas Food Bank, tiveram uma ideia: pagar trabalhadores de hospitalidade e turismo desempregados para abastecer com turnos em abrigos e bancos de arrecadação de alimentos.

#29 NBCUniversal

“Por mover proativamente seus negócios tradicionais para o futuro”

Em 2020, a NBCUniversal fez movimentos agressivos para transformar o streaming em uma plataforma de distribuição teatral. Com isso, acabou enfrentando a gigante dos cinemas AMC para fechar um acordo em que os filmes da Universal, que seriam lançados em plataformas de streaming apenas 17 dias depois de estrearem nos cinemas.

#30 Hipcamp

“Por levar os acampamentos para mais perto de casa”

Este site de reservas de camping ampliou sua plataforma em 2020, atraindo proprietários de terras locais em todo os Estados Unidos. A empresa desenvolveu um sistema para prever a demanda em diferentes áreas e investiu no aprimoramento das ferramentas de que os hosts precisam para listar perfeitamente suas estadias ao ar livre no local.

Leia também: Vagas em startups e empresas de tecnologia!

#31 Panera Bread

“Por encontrar soluções criativas para levar café, mantimentos e refeições aos clientes durante a pandemia”

A Panera criou um modelo de receita ao lançar um serviço de assinatura mensal de café em abril nos Estados Unidos. Cerca de 500 mil pessoas se inscreveram. O serviço também incentivou os clientes a encomendarem outros itens da Panera, o que ampliou suas opções de entrega para incluir itens de mercearia selecionados.

#32 Puris

“Por ampliar a indústria de carne alternativa”

No ano passado, a empresa de genética de safras Puris lançou uma variedade de ervilha. Elas contam com um alto teor de proteína, que pode ser cultivada em grande escala por agricultores comerciais nos Estados Unidos. A nova variedade de ervilha é viável em seis zonas climáticas e está sendo cultivada na Califórnia e no Arizona, o que significa que pode ser cultivada quase o ano todo.

#33 Avocados From Mexico

“Por tornar algo ‘humilde’ em um produto de marca cobiçada”

A Avocados From Mexico está fazendo tudo o que pode para garantir que seus frutos se destaquem. Sem embalagem ou rótulo, apenas um adesivo, a marca se tornou um nome familiar, criando oportunidades de reconhecimento em todos os pontos de contato. Até abriu seu próprio restaurante para testar novas maneiras de adicionar abacates aos menus.

#34 Hermès

“Por criar produtos projetados para ‘durar para sempre’”

A Hermès tem crescido discretamente na última década, triplicando sua receita para US$ 7,7 bilhões. A marca manteve-se fiel aos seus valores, focando-se no artesanato e na criação de peças clássicas de alta qualidade que são projetadas para serem mantidas e reparadas por gerações.

#35 LeoLabs

“Por detectar lixo espacial”

O LeoLabs usa radares para rastrear objetos na órbita terrestre inferior, uma área que corresponde por entre 62 a 1,2 mil milhas acima da superfície da Terra. É lá que cerca de dois mil satélites ativos operam. Em 2020, a empresa lançou uma assinatura que alerta os clientes quando seus satélites estão em vias de serem desativados.

Leia também: O que faz a área de inovação de uma empresa (e quem trabalha lá)

#36 Goodby Silverstein & Partners

“Por equilibrar os sucessos do Super Bowl com o trabalho anti-racista”

Em fevereiro de 2020, a agência com sede em São Francisco apresentou a campanha “Not a Gun” para a Courageous Conversation Global Foundation, uma empresa que lidera o treinamento contra práticas de preconceito. A campanha aumentou a conscientização sobre o fato de que os negros têm três vezes mais probabilidade de serem mortos pela polícia do que os brancos e pediu às pessoas que assinassem uma petição para encorajar a responsabilização de atos da polícia estadunidense.

#37 Credo Beauty

“Por lidar com os problemas nas embalagens da indústria da beleza”

Em março do ano passado, a varejista de beleza anunciou suas Diretrizes de Embalagem Sustentável. Ela exige que seus mais de 135 parceiros de marca atendam a padrões específicos, destinados a reduzir o uso de itens descartáveis, plástico virgem e materiais não recicláveis.

#38 Twilio

“Por facilitar a comunicação face a face durante uma era de distanciamento social e lockdown mundial”

Durante a pandemia, o uso dos aplicativos de comunicação omnicanal (voz, texto, bate-papo, vídeo e e-mail) do Twilio dobrou. Depois de receber a certificação HIPAA em março, a empresa se tornou a escolha certa para grande parte do setor de saúde. Além disso, ela começou a oferecer sua plataforma de vídeo gratuitamente para organizações que lidavam com as restrições Covid-19.

#39 SiO2 Materials Science

“Por criar uma camada fina de vidro em frascos de vacinas do coronavírus”

A corrida para distribuir vacinas da Covid-19 teve um obstáculo inesperado: a escassez de frascos de vidro para entregá-las. É por isso que no verão passado foram investidos US$ 143 milhões na SiO2 Materials Science, que usa tecnologia de plasma para criar uma camada microscópica de vidro de grau médico dentro de frascos de plástico.

#40 Teladoc Health

“Por ampliar as opções de tratamento a pacientes com diabetes e hipertensão”

A provedora de teleheath expandiu suas ofertas em 2020. Para isso, a Teladoc se fundiu com a Livongo, uma empresa de saúde digital que desenvolve cuidados remotos de saúde para pacientes que sofrem de diabetes e hipertensão.

Leia também: Inspire-se para empreender com 18 ideias de negócio simples e bem-sucedidas

#41 NotCo

“Por levar leite e carne à base de plantas para as massas”

A empresa chilena de alimentos NotCo faz substitutos vegetais para maionese, leite, sorvete e carne, usando a Inteligência artificial para otimizar o sabor e a textura.

#42 Peloton

“Por motivar os consumidores a continuarem se exercitando, mesmo depois de semanas e meses em casa”

O crescimento do Peloton durante a pandemia pode ter sido catalisado pelo isolamento social, mas também foi impulsionado pela estratégia digital inteligente da empresa. Durante a primavera e o verão do hemisfério norte, a empresa introduziu “entregas mínimas” para levar suas bicicletas aos clientes com segurança. Além disso, investiu no pagamento de riscos para os trabalhadores e reaproveitou as equipes de varejo para atender às ligações dos clientes devido ao alto volume.

#43 Snowflake

“Por permitir que as empresas revelem o poder dos dados”

O fato que define a gigante de dados baseada em nuvem Snowflake é que qualquer empresa pode recorrer a suas ferramentas para armazenar, analisar e adquirir dados – munindo praticamente qualquer desafio de negócios.

#44 Brandlive

“Por ajudar as campanhas presidenciais nos EUA a capturar a experiência de TV ao vivo”

O Greenroom da Brandlive, uma plataforma de streaming e ferramenta de produção de vídeo completa, foi desenvolvido em apenas algumas semanas no final de março, ainda durante os primeiros dias da pandemia. A ideia era dar a marcas, campanhas políticas e outros eventos uma experiência de transmissão ao vivo que reproduzisse mais de perto a sensação da televisão ao vivo.

#45 Substack

“Por dar aos escritores um refúgio lucrativo”

A Substack, plataforma de boletim informativo e podcasting, explodiu como o destino de fato para escritores criarem seus próprios negócios. A ferramenta permitiu o acesso não apenas à expressão criativa, mas aos fluxos de receita. Mais flexível e proativo do que seus concorrentes, Substack ajuda os usuários a construir audiências e permite que eles se unam e criem pacotes.

Leia também: 50 sites que oferecem cursos online e gratuitos com certificado

#46 Frubana

“Por digitalizar o abastecimento de alimentos agrícolas à mesa”

A Frubana, sediada em Bogotá, é uma plataforma online que permite que restaurantes e pequenas empresas obtenham produtos alimentícios diretamente dos agricultores – reduzindo os preços para os compradores e aumentando as margens para os fornecedores. Em 2020, lançou o Club Frubana, um conjunto de ferramentas gratuitas para ajudar os restaurantes a navegar pelas diretrizes da Covid-19, digitalizar cardápios e serviços, buscar suprimentos e até publicar e pesquisar vagas de emprego.

#47 Getaway

“Por redefinir o retiro ao ar livre”

Com sua coleção de “cabines de quartos” escondidos na floresta fora das principais áreas urbanas dos Estados Unidos, a Getaway criou um paradigma para o que constitui um hotel. As hospedarias são notáveis ​​pelo que vêm com – quitinetes, banheiros completos, janelas de galeria e fogueiras externas – e também pelo que falta: TVs e Wi-Fi.

#48 Zwift

“Por proporcionar competições esportivas online”

A plataforma online de exercícios e corrida, que permite aos usuários conectar suas bicicletas a estandes de treinamento e pedalar virtualmente ao lado de milhares de outras pessoas no conforto de casa, não está tentando reproduzir as corridas presenciais. Em vez disso, ele está criando um novo esporte digital.

#49 Skillshare

“Por dar a profissionais criativos e amadores uma saída de pandemia”

Uma das primeiras plataformas para aulas online, a Skillshare atingiu seu avanço como uma comunidade de aprendizagem em 2020. Ao todo, são mais de 12 milhões de usuários, sendo que cerca de três milhões deles ingressaram no ano passado.

#50 Stablegold Hospitality

“Por unir uma rede de segurança habitacional em cidades em dificuldades”

Hotéis acessíveis para estadias prolongadas podem não ser glamorosas, mas acomodam centenas de residentes de baixa ou nenhuma renda em cidades de todo os Estados Unidos. Ao visar e reabilitar propriedades comerciais de baixo custo, e muitas vezes esquecidas em áreas economicamente desafiadas, a Stablegold Hospitality criou o tipo de rede de segurança habitacional que muitas cidades americanas.

Os melhores conteúdos para impulsionar seu desenvolvimento pessoal e na carreira.

Junte-se a mais de 1 milhão de jovens!
Casdastro realizado, fique ligado para os conteúdos exclusivos!
Seu cadastro não foi realizado, tente novamente!

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: