Um Projeto: Fundação Estudar
empresas mais inovadoras

As 50 empresas mais inovadoras do mundo em 2019 (tem brasileira na lista!)

Por Suria Barbosa

Confira a seleção deste ano do site Fast Company das 50 empresas que estão causando mais impacto pelo mundo, tanto na cultura quanto no mercado e na indústria em que estão inseridas.

Anualmente, o site Fast Company, especializado em notícias sobre o novo mercado, lança uma lista dos negócios que estão causando mais impacto pelo mundo, em suas indústrias ou na cultura local. Confira sua seleção das empresas mais inovadoras de 2019, a partir da tradução do Na Prática.

 

As 50 empresas mais inovadoras do mundo em 2019

#1 Meituan Dianping

“Por ser pioneira no ramo dos super aplicativos transacionais”

No primeiro semestre de 2018, a Meituan Dianping – uma plataforma tecnológica chinesa que facilita reserva e entrega de serviços como alimentos, estadias em hotéis e ingressos de cinema – esteve envolvida em transações de 33.8 bilhões de dólares para mais de 350 milhões de pessoas em 2.800 cidades. Segundo a Fast Company, a companhia está mudando hábitos de consumo de milhões de asiáticos.

#2 Grab

“Por alavancar o transporte como plataforma para criar um super aplicativo para o Sudeste Asiático”

Em 2018, no Sudeste Asiático, a Grab, empresa sediada em Cingapura, forçou a Uber a sair da região e adquiriu suas operações locais. Alguns meses depois, expandiu seu aplicativo para oferecer aos seus 130 milhões de usuários não apenas entrega de alimentos e reservas de viagens, mas também serviços financeiros e de outros tipos. A Grab atingiu 1 bilhão dedólares em receita em 2018 e atraiu mais de 3 bilhões de dólares em novos financiamentos para sua expansão.

#3 NBA

“Por dar um assento a cada fã”

No ano passado, a liga quebrou recordes de público pela quarta temporada consecutiva; seu serviço de streaming cresceu em 63%; e a receita total aumentou 25%. Um motivo: a liga NBA 2K, a primeira extensão do esporte profissional para os jogos eletrônicos.

#4 The Walt Disney Company

“Por mergulhar no stream

A Disney reformulou sua organização para fornecer seu próprio serviço de streaming de vídeo em vez de licenciar conteúdo para a Netflix. “Faremos um trabalho melhor do que os outros”, disse o chefe do setor de vendas diretas, Kevin Mayer. “Conhecemos [nossas] marcas visceralmente”.

#5 Stitch Fix

“Por melhorar o varejo com dados”

A Stich Fix se dedica a mandar roupas que servem e agradam os clientes, sem que eles sejam medidos ou escolham antes. Tudo com dados.

#6 Sweetgreen

“Por abraçar suas raízes”

Com 91 restaurantes em oito estados dos EUA e uma rede de 150 fazendeiros em todo o país, a Sweetgreen criou um império que leva comida da fazenda direto para a mesa. Neste ano, planeja expandir em 15 pontos.

#7 Apeel Sciences

“Por manter a comida fresca”

Uma cobertura que é comestível, sem sabor e pode dobrar ou triplicar a vida útil de frutas e legumes. Após seis anos de pesquisa e desenvolvimento, em 2018, a Apeel Sciences lançou seu revestimento vegetal em abacates em mais de 250 redes de supermercados americanos. A tecnologia, que reduz a perda de água e a oxidação, já levou reduziu em 60% o desperdício de abacate.

#8 Square

“Por fornecer uma maneira mais elegante de pagar”

Em outubro, a empresa introduziu o Square Terminal: um dispositivo de leitura de cartão de tela única que oferece conectividade sem fio, tela sensível ao toque e capacidade de impressão de recibos. O dispositivo chique não se pareceem nada com “uma calculadora de 1985, como a maioria dos outros terminais”, diz Jesse Dorogusker, líder de hardware da Square.

#9 Oatly

“Por chegar ao topo”

Um dos melhores produtos alimentares de 2018, segundo a Fast Company, é um leite alternativo, feito a partir de aveia pulverizada. Fundada em 1994, a empresa sueca Oatly foi a primeira fabricante a comercializar leite de aveia, mas foi somente após o lançamento nos EUA em 2016 que o produto se tornou uma sensação – em um ponto, no ano passado, caixas estavam sendo vendidas por 200 dólares online.

#10 Twitch

“Por uma revolução no live-streaming

“Onde os jogadores vão, todos os outros seguem”, diz Sara Clemens, COO do Twitch, o serviço de vídeo de propriedade da Amazon. O domínio que antes era apenas para os aficionados por videogames, o Twitch agora atrai espectadores principais com sua visão do que será o futuro da TV ao vivo. No outono passado, teve eu canal reformulado com novas subcategorias de culinária, fitness e talk shows.

Leia também: O que é inovação disruptiva?

#11 Target

“Por incubar muitas marcas em casa”

No laboratório de design da rede Target em Minneapolis, Julie Guggemos, vice-presidente sênior de design de produtos da empresa, lidera a criação de centenas de milhares de itens para as marcas internas da empresa – desde roupas infantis, até artigos para a casa.

#12 Shopify

“Por vender de tudo”

Existem 600 mil vendedores que dependem das ferramentas de comércio eletrônico do Shopify – entre eles, Ford e NFL. Em 2018, o Shopify introduziu o pedido com apenas um clique, usando qualquer método de pagamento, bem como o comércio através de um bate-papo e outras funcionalidades que permitem a exibição de itens grandes, como móveis.

#13 AnchorFree

“Por defender de malware e vigilância digital”

O Hotspot Shield VPN da AnchorFree, software que criptografa a atividade online dos usuários, foi baixado 100 milhões de vezes em 2018 (de 70 milhões em 2017). “Em meio a todos os acontecimentos globais de segurança ou censura, temos um grande aumento no uso”, diz ao Fast Company o cofundador e CEO David Gorodyansky.

#14 Peloton

“Por transformar aulas de ginástica em televisão”

Sete anos após o lançamento como uma empresa que permitia aos assinantes transmitir aulas de ciclismo digital ao vivo, a Peloton se transformou em uma usina de conteúdo fitness de 700 milhões e dólares anuais, que produz centenas de horas de vídeos para uma comunidade que aficcionados por corrida e yoga.

#15 Grupo Alibaba

“Por trazer inteligência artificial ao mercado”

As lojas Hema Xiansheng do grupo Alibaba, gigante do comércio chinês, são a vitrine do que a companhia apelidou de “Novo Varejo”: uma combinação perfeita da experiência digital e física. “Os consumidores não pensam no mundo [como] online e offline”, diz o presidente do Alibaba, Michael Evans. “Por isso, as marcas e varejistas não deveriam [fazer essa divisão].”

#16 Truepic

“Por nos ajudar a acreditar no que estamos vendo”

A Truepic está usando a autenticação de imagens para combater fraudes, fotos manipuladas e falsificações. A tecnologia da companhia já é usada pelo Departamento de Estado dos EUA e outros órgãos. Agora, a startup busca conquistar empresas de mídias sociais.

#17 Apple

“Por evoluir seus processadores”

Segundo a Fast Company, o novo produto mais inovador da Apple em 2018 não foi um telefone ou um tablet, mas sim um chip: o A12 Bionic. Estreado nos iPhones do ano passado, é o primeiro processador do setor criado a partir um processo de fabricação de sete nanômetros. Os 6,9 bilhões de transistores do A12 oferecem um desempenho muito mais rápido, menor consumo de energia e mais porte para lidar com aplicações grandes.

#18 Unity Technologies

“Por permitir que os empreendedores construam como os gamers”

A Unity Technologies, empresa de videogames, ficou conhecida pelo software que permite aos desenvolvedores criar animações em 3D, em tempo real, por uma fração dos custos tradicionais. Aqui, os usuários pagam à Unity uma taxa de assinatura fixa, em vez de uma porcentagem das receitas de jogos. Em 2018, a empresa expandiu seu kit de ferramentas de desenvolvimento 3D para vários novos setores, incluindo arquitetura, cinema e o ramo automotivo.

#19 Domino’s

“Por se acelerar”

No ano passado, a Domino’s registrou mais de 60% de suas vendas nos EUA via meios digitais, alcançou o 30º trimestre consecutivo de crescimento de vendas nas mesmas lojas e viu suas ações subirem 22% em um mercado tumultuado. Esses marcos foram impulsionados pelos esforços da empresa em acelerar suas entregas, incluindo cercas geográficas de parques públicos para permitir a entrega ao ar livre e desafiando cidades desafiadoras a melhorar suas estradas em campanha.

#20 Plaid

“Por empoderar aplicativos de finanças”

Aplicativos móveis agora permitem que os consumidores negociem ações e criptomoedas (como o Robinhood), economizem dinheiro (Acorns e Qapital) e façam pagamentos (Venmo) – e a maioria tem uma coisa em comum: o Plaid. Sua tecnologia, que permite aos desenvolvedores conectar novas ferramentas digitais a sistemas financeiros.

Leia também: A ciência por trás do Brainstorming – e 5 passos para fazer uma reunião de inovação

#21 Universal Music Group

“Por encontrar harmonia em meio à disrupção”

Em meio à transformação digital da indústria da música, a Universal está redefinindo como uma gravadora moderna pode ser, com acordos mais justos entre companhias de streaming e artistas.

#22 Airtable

“Por encorajar administradores a pensar como desenvolvedores”

Airtable é um sistema de fluxo de trabalho baseado em nuvem que permite que qualquer pessoa – de um estagiário a um CEO – analise dados de maneira simples. A relevância da startup de seis anos e a avaliação de 1.1 bilhão de dólares decorrem da facilidade com que os usuários Airtable podem trabalhar com dados para insights, fomentar a colaboração e gerar relatórios.

#23 Lineage Logistics

“Por fazer bem o transporte de refrigerados”

Cerca de 90% dos alimentos que os americanos consomem precisam de refrigeração em algum momento durante o transporte, e a Lineage fornece esse serviço para cerca de 3 mil clientes, incluindo os gigantes do comércio Walmart e McDonald’s.

#24 Kano

“Por fazer mágica com programação”

Como CEO da Kano, que fabrica kits que permitem que qualquer pessoa codifique e construa seus próprios brinquedos computadorizados, Alex Klein tem a missão de “dar [às pessoas] uma compreensão e influência sobre a tecnologia em suas vidas”. Em outubro passado, a Kano lançou o Harry Potter Kano Coding Kit, um conjunto para construir barinha que ensina os usuários a programar acelerômetros, magnetômetros e controles gestuais.

#25 Winc

“Por fazer os millennials gostarem de vinho”

Winc tornou-se uma das 50 maiores vinícolas dos EUA no ano passado, mudando completamente o típico modelo de negócio do setor. Enquanto os vinicultores tradicionais fazem um vinho e depois o comercializam, a Winc cria garrafas com base em mais de 5 milhões de avaliações de clientes de sua base, formada em 15% por millennials.

#26 Zola

“”Por propor uma forma melhor de fazer e-commerce”

Vendo em primeira mão em primeira mão as coisas que podem acabar com uma empresa de e-commerce, como excesso de estoque e um processo complicado de devolução, um casal criou a Zola pesado. Desde então, mais de 500 mil casais usaram o serviço, que tem cinco anos, para criar sites de casamento, listas de convidados e registrar produtos de mais de 600 marcas.

#27 Lanza Tech

“Por transformar as emissões de carbono em energia”

Uma usina siderúrgica em uma cidade perto de Pequim começou a transformar emissões de carbono em combustível, graças a um biorreator de primeira qualidade, repleto de micróbios que comem gases residuais e produzem etanol. A LanzaTech, empresa de biotecnologia de Chicago, com seis anos de existência, projetou o sistema, que pode ser usado em diversas indústrias.

#28 JioSaavn

“Por dançar no ritmo da Índia”

A empresa de streaming de música, formada em outubro de 2018, pela união da startup de streaming Saavn e o serviço JioMusic, oferece mais de 40 milhões de faixas em 15 idiomas regionais para 38 milhões de usuários ativos mensais.

#29 Jumio

“Por garantir a segurança da identidade online”

Jumio é o serviço que permite fazer o upload de um documento com foto e tirar uma selfie para verificar sua identidade para uma conta bancária, WeWork ou Airbnb instantaneamente. Em 2018, a empresa lançou um novo laboratório de inteligência artificial, onde os pesquisadores treinam algoritmos para identificar o risco de fraude e direcioná-los automaticamente para avaliadores humanos.

#30 Foundation Medicine

“Por combinar pacientes com câncer com tratamentos inovadores”

Há pouco mais de um ano, a Foundation Medicine recebeu aprovação para lançar o FoundationOne CDx, um teste que analisa amostras de tecido para alterações em 324 genes conhecidos por impulsionar o câncer, ajudando os oncologistas a conduzir pacientes para tratamentos com base em imunoterapias, testes clínicos ou medicamentos compatíveis.

Leia também: Vagas em startups e empresas de tecnologia!

#31 Arterys

“Por examinar com inteligência”

A Arterys tem uma tecnologia de inteligência artificial que ajuda médicos a encontrarem tumores fatais muito mais rápido.

#32 Alnylam Pharmaceuticals

“Por lutar contra a doença na fonte”

A Alnylam Pharmaceuticals tornou-se a primeira empresa a comercializar um tratamento de interferência de RNA (RNAi), o Onpattro, que já foi aprovado pelas autoridades. O medicamento trata danos nos nervos periféricos e outros sintomas em pessoas com a doença rara e (antes) intratável amiloidose hereditária.

#33 Beautycounter

“Por se mobilizar contra toxinas”

A Skincounter, de cosméticos e cuidados para a pele, se recusa a usar mais de 1.500 produtos químicos que são legais mas têm efeitos questionáveis em seus produtos.

#34 Sonder

“Por criar uma rede de hotéis que opera como Airbnb”

Combinando quartos semelhantes a Airbnb com a consistência de uma rede elegante de hotéis, a Sonder criou uma rede de mais de 2 mil locações em 18 cidades na América do Norte e na Europa nos últimos sete anos.

#35 Indigo Ag

“Por cultivar plantas resilientes”

A Indigo Ag desenvolve culturas capazes de sobreviver às mudanças climáticas. A empresa encontra plantas que prosperam onde não deveriam e utiliza micróbios para torná-las ainda mais resistentes. Em 2018, por exemplo, o milho da Indigo obteve 10% mais rendimento por acre do que a semente tradicional.

#36 Nubank

“Por transações com confiança”

Tradicionalmente, os brasileiros tinham acesso apenas a algumas poucas grandes instituições que cobram as maiores taxas de empréstimo do mundo. A Nubank, com quatro anos de idade, e agora o maior banco digital fora da Ásia com 5 milhões de usuários, oferece uma alternativa atraente com cartões de crédito e contas com taxas baixas (ou sem taxas).

#37 GOAT

“Por revender com estilo”

GOAT, plataforma online de revenda de tênis, se tornou, desde seu lançamento em 2015 uma marca de estilo de vida com mais de 150 mil vendedores, 10 milhões de clientes e 750 mil produtos à venda. No ano passado, seus vendedores movimentaram mais de 10 milhões de dólares, que podem10 mil reais o par.

#38 Snøhetta

“Por reconstruir a biblioteca”

Na bilblioteca construída pela firma de arquitetura Snøhetta (a Biblioteca Central de Calgary, no Canadá), os funcionários percorrem o prédio e se aproximam dos clientes como os vendedores da Apple. Nela, não há mais mesas de informações.

#39 African Leadership Company

“Por escalar educação superior para a geração africana em ascensão”

Com 50% de sua população com menos de 19 anos, a África abrigará a maior força de trabalho do mundo até 2935. Estatísticas como essas inspiraram o empresário ganês Fred Swaniker, que abriu a escola secundária African Leadership Academy (Academia Africana de Liderança) em Joanesburgo, em 2008, a voltar sua atenção para o ensino superior. Ele fundou sua primeira African Leadership University (ALU) em Mauritius em 2015 e, dois anos depois, abriu um segundo campus de graduação em Kigali, Ruanda.

#40 Fanatics

“Por pontuar com os fãs”

Com a Fanatics, times profissionais agora podem criar mercadorias que respondem à demanda de fãs quase que instantaneamente. A empresa oferece um novo site de compras que funciona em estádios com serviço de celular ruim e uma plataforma para prever a demanda. Como resultado, as vendas da NFL aumentaram em 50% no ano passado e a Fanatics ganhou acordos com os principais clubes de futebol europeus.

Leia também: Inspire-se para empreender com 18 ideias de negócio simples e bem-sucedidas

#41 Unmade

“Por desenhar uma indústria da moda que desperdiça menos”

Estima-se que 15% de todas as roupas e calçados fabricados diariamente na indústria de moda global que não são vendidos sejam despejados em aterros sanitários ou, pior, incinerados. A empresa de software Unmade, com sede em Londres, combate a superprodução ao permitir que as marcas de roupas ofereçam itens personalizáveis.

#42 Modern Fertility

“Por simplificar testes de fertilidade”

A Modern Fertility começou a vender seu teste de fertilidade doméstico em maio passado, o primeiro a medir os oito hormônios relacionados à reprodução a partir de uma picada no dedo.

#43 Rocket Lab

“Por trazer o espaço para mais perto da Terra”

O Rocket Lab, baseado em Los Angeles, lançou um foguete Electron que carrega pouco peso (em comparação aos outros), mas pode chegar a apenas 5,7 milhões de dólares por lançamento (a SpaceX, em contrapartida, gasta entre 62 milhões de dólares e 90 milhões de por viagem), tornando colocar satélites em órbita uma possibilidade para muito mais empresas.

#44 A24

“Por criar uma comunidade alternativa de filmes”

A24 é um estúdio famoso tanto pela defesa de filmes ousados quanto por sua abordagem não tradicional de encontrar e levar audiência para o cinema mesmo em tempos de streaming.

#45 Teachers Pay Teachers

“Por recompensar educadores talentosos”

Fundado há mais de uma década pelo professor de escola pública Paul Edelman, o Teachers Pay Teachers (TpT), sediado em Nova York, permite que educadores vendam planos de aula para pares. Em janeiro de 2018, o TpT expandiu seu alcance com o TpT for Schools.

#46 Ammunition

“Por fazer do ordinário, extraordinário”

A Ammuniiton foca em desenvolver objetos comuns do dia a dia otimizados com a tecnologia, como uma caneca de café “inteligente”, que mantém o conteúdo quente por horas com seu aquecedor embutido.

#47 Sesame Workshop

“Por educar crianças refugiadas”

A Sesame Workshop ajuda a educar crianças desalojadas em comunidades de refugiados. No final de 2017, a organização recebeu 100 milhões de dólares da MacArthur Foundation e expandiu seus esforços com o International Rescue Committee.

#48 Acorns

“Por ajudar usuários a guardar dinheiro”

A empresa foi lançada em 2014 com um produto que arredonda as compras diárias dos usuários para o valor mais próximo e automaticamente coloca a diferença em contas de investimento.

#49 Mozilla

“Por colocar o Facebook em quarentena”

Quando os usuários do Facebook descobriram que a gigante das mídias sociais havia fornecido suas informações confidenciais à Cambridge Analytica, a Mozilla reagiu rapidamente: em oito horas, a equipe de produtos havia criado uma extensão de navegador que bloqueia roubo de dados, o “Facebook Container”.

#50 Punch Bowl Social

“Por criar espaços sociais incríveis”

Punch Bowl Social é um conceito de “entretenimento” que combina jogos e comida para incentivar interação real e humana entre os millennials, inspirada na tradição da era vitoriana de se reunir em torno de um balde de ponche (punch bowl).

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo