Um Projeto: Fundação Estudar
Thiago Hering

“Todo tipo de carreira e de especialização é bem-vinda no varejo de moda”, diz Thiago Hering

Por Suria Barbosa

Ao Na Prática, o COO da Cia. Hering explica transformações pelas quais passa o varejo de moda – e o que é esperado dos profissionais em um cenário dinâmico como o atual.

Advogado por formação, Thiago Hering se apaixonou pelo varejo, setor em que está há mais de uma década. Hoje ele atua como COO da Cia. Hering, sendo responsável por todas as suas marcas e canais.

Segundo ele, a definição de varejo de moda está relacionada a traduzir tendências em produtos e levar ao mercado. Sobre o modelo de negócio específico da Cia. Hering, explica: “combinamos muito bem atributos emocionais e funcionais, não somos rigorosamente um fast fashion. Embora busquemos alguma inspiração nesse modelo, temos um próprio.“

“Acho que o varejo de moda atual tem passado por um processo de ressignificação. A agenda tem transcendido o transacional para algo que cola na experiência, no serviço, muito mais relacional do que era tempos atrás”, destaca o diretor. “Um verdadeiro exercício de empatia, de conexão emocional com nossos consumidores.”

O que é esperado do profissional no setor de varejo de moda?

Para Thiago, alguns traços de perfil são bastante valorizados atualmente, inclusive neste segmento, como persistência, busca constante por reinvenção e desenvolvimento.

Cursos da Fundação Estudar

O momento da companhia é de fomento ao empreendedorismo, o que também faz com que sejam buscadas capacidades de experimentação, de assumir erros e de se adaptar a novas condições. “No segundo momento, esperamos que isso se traduza em velocidade e escala e na consolidação de um modelo vencedor”, complementa.

Na Cia. Hering, também é um fator procurado nos profissionais a habilidade de colaborar, tendo em vista que, em conjunto, a possibilidade de construção é superior. “A soma das partes é maior do que um todo incompleto”, resume Thiago.

Quem pode se encontrar no setor

Com um core business mutante e dinâmico, o diretor entende que há espaço para quase todos os backgrounds. “Vemos aqui dentro conviverem muito bem em colaboração ‘marqueteiros’, ‘merchandisers’, operadores de loja, varejistas, cientistas de dados, programadores, enfim. Todo tipo de carreira e de especialização é bem-vinda e, sem dúvida, energiza e enriquece o ambiente.”

Para além da formação, porém, é interessante que os profissionais tenham, apesar de um grau de especialidade, abertura para se tornarem generalistas, buscando aprender mais disciplinas e expandindo a própria agenda.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo