trabalhar com estatística

À medida em que cresce o uso da análise de dados como ferramenta de negócio, as possibilidades de trabalhar com isso também se ampliam. E um dos campos do conhecimento e de atuação contemplados nesse contexto é o da Estatística, ramo focado na coleção e interpretação de dados numéricos ligados a fatos de ocorrência coletiva ou de massa.

Para quem se interessa, a boa notícia é que para as áreas em que se trabalha com o tema, de forma geral, não é essencial ter formação em Ciências Exatas, segundo Omar Jarouche, diretor de Marketing e Soluções da ClearSale, empresa especializada em soluções antifraude para o mercado: “o que é de fato necessário é o raciocínio lógico”.

A competência é tão procurada que a ClearSale testa-a na primeira fase de todos os seus processos seletivos. “[Pensamento analítico e raciocínio lógico] são habilidades valorizadas em praticamente todas as áreas e carreiras, com incentivo constante para colaboradores que mostram interesse em desenvolvê-las”, conta ele.

 

 

Omar começou a carreira na organização, há nove anos, como analista estatístico. Antes, completou a graduação no curso de Estatística, formação que dá uma base útil e importante para uma série de coisas, afirma ele. “Como é comum nos cursos de Engenharia, por exemplo, profissionais formados podem atuar em mais áreas, já que acabam desenvolvendo habilidades valorizadas em outros campos.”

Para além do raciocínio lógico, mentalidade de dono, transparência, confiança e busca inteligente pela eficiência são traços buscados e necessários para esse tipo de atuação.

Leia também: O que os engenheiros de dados fazem e por que são tão valiosos para as organizações?

Trabalhar com Estatística é para você?

Avaliar as particularidades da carreira pode ajudar a entender se o profissional se adequaria bem ao ramo. Primeiro: em linhas gerais, os estatísticos realizam conexões da Matemática com a realidade. “É um jeito de explicar comportamentos e relações de uma forma científica”, explica o diretor da ClearSale.

Um segundo ponto importante diz respeito ao início da carreira, que tende a ser mais técnico. De acordo com Omar, é comum que o profissional só possa escolher como pretende seguir mais à frente na trajetória. “Nesse momento, o que faz mais sentido para a pessoa pensar é se ela gosta de analisar dados“, resume ele.

Os setores que mais usam habilidades Estatísticas dentro da ClearSale são os de Analytics, de Pesquisa & Desenvolvimento e de Ciência de Dados (principalmente no que diz respeito à criação de modelos estatísticos e Machine Learning).

Porém, na empresa, outras áreas, menos “óbvias”, também contam com profissionais dedicados ao campo. Exemplos disso são as de Customer Success e Pós-Vendas, cujas superintendências são lideradas por estatísticos, Marketing e Expansão Internacional, que também contam com eles em suas lideranças.

Os melhores conteúdos para impulsionar seu desenvolvimento pessoal e na carreira.

Junte-se a mais de 1 milhão de jovens!
Casdastro realizado, fique ligado para os conteúdos exclusivos!
Seu cadastro não foi realizado, tente novamente!

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: