negociar salário

Não pode ler agora nossa matéria sobre Testes de Lógica? Ouça este conteúdo clicando no player:

Você sabe como negociar salário? Ou, quando recebe uma proposta, aceita por medo de discutir suas expectativas? Negociação é uma habilidade que muitos creem não ter. Porém, de acordo com Haseeb Qureshi, ex-jogador profissional de poker, negociar é algo que se aprende. Outro motivo que assusta os profissionais é o medo de parecer ganancioso. Mas isso não é necessário, depende de como você age, segundo Haseeb.

Hoje sócio da MetaStable Capital, fundo investidor em criptomoedas, Haseeb passou por uma etapa profissional em que ficou conhecido por sua capacidade negociação. A história começou quando ele resolveu sair do poker para se tornar programador. Um ano depois de se formar em um bootcamp de programação, começou a procurar emprego.

 

 

Leia também: Como pedir um aumento de salário (e falar sobre carreira com seu chefe)

Para sua surpresa, Google e Airbnb passaram a disputá-lo. Mesmo com a empresa de hospedagem oferecendo um salário maior, Haseeb usou as cartas certas para negociar salário e benefícios com a companhia. Por fim, ele aceitou a oferta da Airbnb e deixou para trás a gigante de tecnologia. Conheça toda a história aqui.

De qualquer forma, o ex-poker considera que saber negociar salário não é complicado, mas descreve, em um texto no seu site, as principais regras para se ter sucesso.

Por que negociar?

Se parece que discutir o salário em uma proposta de emprego é algo fora da realidade para as “pessoas comuns”, Naseeb apresenta seus argumentos do contrário.

“Negociar é uma parte natural e esperada do processo de tentar fechar um acordo. É também um sinal de competência e seriedade. As empresas geralmente respeitam os candidatos que negociam, e os candidatos mais atraentes negociam (se não por outro motivo, porque, muitas vezes, eles têm muitas opções para escolher).”

10 regras para negociar salário

1. Tenha tudo por escrito

O programador aconselha escrever qualquer benefício, dado ou valor mencionado pela outra parte durante a conversa. As informações podem ser necessárias para você refletir depois, ou até para confirmar por e-mail o que eles haviam oferecido – já que há chances de que a empresa não faça isso por conta própria.

2. Mantenha sempre a porta aberta

Durante a conversa, alguns momentos vão se tornar “pontos de decisão”. Isso porque o contratante vai te perguntar algo como “o que você acha?” ou “está bom assim?”

No entanto, segundo Naseeb, seu papel é atravessar essas questões até o momento em que se sente embasado para informar sua decisão. Não tem regra: fale o que puder para adiar as perguntas.

3. Informação é poder

“Para proteger seu poder em uma negociação, você precisa proteger suas informações o máximo possível”, afirma o ex-jogador de poker.

Seu grande trunfo durante uma negociação é que o outro lado não sabe o que precisa oferecer para você aceitar. Para continuar com essa (poderosa) vantagem, o programador recomenda não indicar valores fechados e nem falar do seu salário atual. Ou falar da sua compensação anterior mostrando que busca crescimento.

Exemplo: “Ganho atualmente X, e definitivamente estou procurando dar um passo a frente em meu próximo emprego.”

O autor dá um exemplo de como negociar salário sem falar de valores (e limitar a oferta):

“Sim, [NOME DA EMPRESA] parece ótima! Eu realmente achei que fazemos um bom fit, e fico feliz que vocês concordam. No momento, estou conversando com algumas outras empresas, então não posso falar sobre os detalhes específicos da oferta até que eu termine o processo e esteja mais perto de tomar uma decisão. Mas tenho certeza de que poderemos encontrar um compromisso com o qual nós dois ficaremos felizes, porque eu adoraria fazer parte do time. “

4. Seja sempre positivo

Outro bem valioso para negociar salário é a sua positividade, mesmo que as circunstâncias não pareçam das melhores. Se a companhia está disposta a negociar é porque realmente querem você no time, mas se começar a agir diferente as coisas podem mudar.

Mesmo que a negociação não ande como planeja, tente mostrar que: 1) você ainda gosta da organização e 2) você ainda está animado para trabalhar lá.

5. Não seja o tomador de decisões

Por mais que você não se importe com o que seus colegas e família acham do emprego, mencionar eles mostra que o recrutador tem mais pessoas para convencer na equação. “Isso ajuda a desarmar a tensão e te dá mais controle da situação”, explica Haseeb.

6. Tenha alternativas

Para negociar salário com sucesso, é essencial ter mais de uma oferta. Você ficará mais tranquilo porque se uma negociação não der certo, você aceita a outra oferta. E o processo se beneficia com isso, porque o contratante percebe que você está disposto a desistir.

Mas, atenção, não tem problema não possuir realmente outra proposta de emprego. O importante é mostrar que você tem alternativas poderosas e que você acredita que elas sejam poderosas. Cabem estudos, viagens, ou outras oportunidades.

7. Dê razões para tudo

Aqui entra o medo e a possibilidade de parecer ganancioso para o recrutador.

“Declarar um motivo – qualquer motivo – faz com que o seu pedido pareça ‘humano’ e importante. Não é você sendo ganancioso, você só está tentando cumprir seus objetivos.”

Quanto mais complacente sua razão, melhor, diz Haseeb. Mas não precisa mentir, procure razões reais que te fazem querer negociar o salário. Qualquer motivo realista vai ter o efeito desejado, completa o autor. Isso porque a maior parte dos recrutadores não vai querer ser quem te priva dos seus desejos ou necessidades. Então, vão ao menos tentar com outras instâncias. 

8. Motive-se por mais do que dinheiro

“Não há nada pior para uma empresa do que alguém que só se preocupa com dinheiro. Isso é algo que você não vai conseguir fingir.”

Por isso, motive-se com outros aspectos do trabalho, como o desenvolvimento, o aprendizado, os mentores, etc.

9. Peça além do salário

Pode ser difícil fazer com que a companhia se comprometa a pagar um salário alto porque é algo que será pagado ano após ano. E também porque pode gerar fofoca no ambiente de trabalho. Então, se puder, divida os ganhos que pede em ações, benefícios ou bônus.

10. Seja honesto com os envolvidos

A última regra do programador é simples: não force uma negociação mesmo sabendo que não trabalharia em alguma empresa, ou que nenhuma proposta seria atraente o suficiente. Assim que perceber isso, seja honesto e saia da seleção.

Os melhores conteúdos para impulsionar seu desenvolvimento pessoal e na carreira.

Junte-se a mais de 1 milhão de jovens!
Casdastro realizado, fique ligado para os conteúdos exclusivos!
Seu cadastro não foi realizado, tente novamente!

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: