Um Projeto: Fundação Estudar
Homem oriental em reunião de trabalho com jovem profissional

IBM, Claro, SAS e GVT: conversamos com os RHs dessas empresas. Confira!

Por Tiago Mittraud

Saiba como funcionam os processos seletivos nessas grandes companhias de tecnologia e o que elas procuram nos jovens profissionais

Buscar desafios, possuir raciocínio lógico e atenção a detalhes, manter-se atualizado, ter contato com a evolução constante das inovações tecnológicas e estar preparado para atuar em um ambiente aberto a mudanças e novas ideias. Essas são algumas das características que um profissional precisa ter para trabalhar na indústria de tecnologia. “De maneira geral, o mercado exige dinamismo do jovem profissional e espera que ele se mantenha sempre bem informado. A tecnologia evolui muito rápido, e ele deve acompanhar o ritmo”, aponta Renata Prudente, diretora de RH da Claro.

Os processos seletivos costumam incluir avaliação de currículo, testes de nível de idioma e de raciocínio lógico, além de entrevista com o RH, gerentes e até diretores, dependendo do cargo. Segundo recrutradores de grandes empresas de tecnologia, na entrevista é importante o candidato demonstrar conhecer a cultura e os valores da empresa que tem interesse em ingressar. Eles estão cada vez mais preocupados com o tão falado “fit cultural”. “As companhias acreditam que pessoas com valores alinhados aos seus construirão uma relação mais sólida com elas”, diz a consultora de carreira Andreia Oliveira.

Leia também: O trabalho de um analista de finanças do Google Brasil

Conheça o que recrutadores de grandes empresas de tecnologia consultados pelo Na Prática destacam sobre seus processos seletivos:

Tato Athanase, gerente de RH da SAS

“É importante o jovem se dedicar aos estudos e tirar boas notas desde criança. Isso aumentará suas chances de ingressar em uma faculdade renomada, algo que se tornará um diferencial em seu currículo. Já na preparação para um processo seletivo, o candidato precisa se preparar previamente, buscando o máximo de informações possível sobre a empresa em que ele fará a entrevista e o cargo que está sendo oferecido. Durante a conversa com o entrevistador, é fundamental sempre falar a verdade, descrever sua experiência profissional (se houver), falar de suas habilidades, pontos fortes e casos de sucesso pessoal. Para muitas vagas, ter inglês fluente é fundamental, vivência no exterior é bastante importante também. Para as nossas vagas efetivas é preciso ter nível superior completo – pós-graduação, MBA e doutorado são diferenciais. Já para vagas de estágio, a preferência é por estudantes que estejam no penúltimo ano do curso.” A SAS é uma empresa americana de soluções de Business Inteligence.

Giovane Costa, vice-presidente de RH da GVT

“O candidato precisa apresentar um perfil alinhado aos valores da empresa. Para que a gente possa verificar se existe esse alinhamento, ele passa por um processo seletivo de várias etapas. Num primeiro momento, ocorre a avaliação do currículo, quando o RH observa a formação, o conhecimento técnico e a experiência do candidato, verificando se ele atende o perfil indicado para a posição. Se o currículo é pré-selecionado, a empresa entra em contato para verificar seu interesse e agendar uma entrevista. No momento do encontro presencial, o mais importante é que o candidato seja autêntico. O que se espera é que ele responda aos questionamentos de maneira clara, sempre fazendo um link com experiências anteriores, estágios ou até mesmo situações vivenciadas no meio acadêmico.” A GVT é uma operadora de telecomunicações brasileira.

Renata Prudente, diretora de RH da Claro

“O currículo dos nossos candidatos deve conter informações técnicas, como os nomes dos sistemas e aplicativos em que ele tem conhecimento ou certificação. Falar outro idioma, como o inglês, é um diferencial e mostra que o candidato poderá lidar com fornecedores e empresas globalizadas e facilitar a comunicação entre eles. Ao se preparar para a entrevista, é interessante que o profissional pesquise a fundo a empresa e o setor em que quer atuar, suas características de gestão, dados financeiros, desafios, concorrentes e valores. Durante a entrevista, avaliamos se o candidato tem capacidade de comunicação desenvolvida e se é bem articulado. É importante que ele se coloque de forma genuína e verdadeira, além de aproveitar para tirar todas as dúvidas que possam surgir sobre a vaga ou a empresa.” A Claro é uma operadora de telefonia móvel brasileira.

Luciana Camargo, diretora de RH da IBM Brasil

“Além dos requisitos técnicos para cada vaga, é importante que o candidato seja motivado, inspire seus colegas, saiba trabalhar em equipe, tenha flexibilidade e vontade de crescer na carreira. A IBM oferece boas oportunidades de crescimento aos funcionários, que vão muito além das áreas de formação. Acima de tudo, eles precisam ter criatividade para resolver problemas e pensar em como o planeta pode ser mais inteligente. Buscamos pessoas com o espírito globalizado, aptos a trabalhar com times de diferentes países e culturas, e que respeitem a diversidade. Além disso, é importante que pensem e ajam de acordo com nossos valores: ‘dedicação ao sucesso de cada cliente’, ‘inovação que faz a diferença para a companhia e o mundo’, ‘confiança e responsabilidade em todos os relacionamentos’.” A IBM é a maior empresa de tecnologia de informação do mundo.

Leia também: Tecnologia, inovação a todo vapor

Esta reportagem faz parte da seção Explore, que reúne uma série de conteúdos exclusivos sobre carreira em negócios. Nela, explicamos como funciona, como é na prática e como entrar em diversas indústrias e funções. Nosso objetivo é te dar algumas coordenadas para você ter uma ideia mais real do que vai encontrar no dia a dia de trabalho em diferentes setores e áreas de atuação.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo