Um Projeto: Fundação Estudar
Jovem fala sobre criança e juventude em estágio de verão na ONU

Veja como é fazer um estágio de verão na ONU

Por Redação, do Na Prática

Brandon Schwartz escreve sobre a sua experiência de estágio de verão na ONU, em Nova York, e as possibilidades de networking internacional na organização

Trabalhar na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, tem sido até agora uma experiência realmente incrível. Aqui, sou um team member do “Major Group for Children & Youth”, a equipe focada em infância e juventude — em outras palavras, a representação oficial dos jovens para o objetivo do desenvolvimento sustentável.

A partir da atmosfera criada por estar em um lugar tão altamente conceituado, cercado de indivíduos brilhantes de todo mundo, eu pude começar a entender melhor os diferentes processos da organização, e o que ocorre nas várias reuniões ao longo do dia.

A seguir, escrevo sobre alguns dos aprendizados importantes que tive ainda nessa minha primeira semana de estágio de verão na ONU.

Primeiras impressões na ONU

Como eu tenho me encontrado com diversos diplomatas diferentes, não há absolutamente nenhuma dúvida de que eu devo ser sempre o meu melhor, e buscar aparentar o meu melhor. Diferente de uma startup, na Organização das Nações Unidas nós temos milhares de pessoas trabalhando na sede e outras milhares trabalhando remotamente. Assim, eu tenho sido capaz de impressionar postivamente diversas pessoas apenas com base no meu comportamento.

Não estamos falando de uma startup em que você pode aparecer de jeans e camiseta. Então é preciso usar sempre trajes profissionais e ser educado e atencioso com as pessoas, como se você estivesse falando com diplomatas de alto nível — e muitas vezes será exatamente essa a situação. Isso é quase uma regra.

Antes de começar qualquer trabalho, sempre busque entender sobre o lugar em que você vai trabalhar e busque apresentar-se da melhor forma possível. Assim, as ficaram com uma boa impressão de você.

Ética de trabalho

Ter uma boa ética de trabalho é importante onde quer que você esteja, e em todos tipos de trabalho. Isso é um fato. Porém, em um lugar tão respeitado como a Organização das Nações Unidas, isso deve sempre estar na nossa cabeça. Ainda assim, as pessoas aqui estão fazendo tantas coisas em paralelo que pode se tornar muito cansativo e pesado acompanhar tudo.

Ao ir além das expectativas implícitas para a minha função, eu fui reconhecido por pessoas em diferentes níveis dentro da ONU. Além disso, o meu mentor — um outro membro da equipe que está na organização há bastante tempo — tem elogiado meu nome para diversos outros integrantes da ONU, sejam organizações da sociedade civil, diplomatas, ou até mesmo ministros representando missões de diferentes países. Essa, com certeza, é uma exposição incrível.

Nesse contexto, a ética de trabalho é uma reflexão sobre quem eu sou, e de que se eu continuar no caminho que estou, vou conseguir aproveitar ao máximo o meu estágio de verão na ONU.

Networking na ONU

Em menos de uma semana, eu já pude começar o networking com meus colegas e todas as outras pessoas que conheci na ONU. Em um lugar tão global e internacionalizado com a ONU, seria uma bobagem simplesmente vir trabalhar e sair assim que o dia acaba.

Eu acho muito importante usar o tempo extra para fazer contatos e criar relações com indivíduos de grande importância em outros países.

Pela minha experiência, há pouquíssimas oportunidades melhores do que a ONU para fazer um network em escala global.

Leia também: ONU tem vagas abertas para jovens profissionais

Pelo que tenho percebido, muitas pessoas que trabalham no horário padrão das 9h às 17h tendem parar de trabalhar assim que saem do escritório, quando chega no horário. Há definitivamente algumas ocasiões em que isso é normal. Na verdade, eu não sou contra ou a favor deste esquema. Mas aqui na ONU, sempre pergunto aos meus colegas se há algum trabalho para fazer depois do horário, às vezes até durante os fins de semana.

Em algumas culturas de trabalho, é completamente aceitável trabalhar além do horário convencional, enquanto em outras o seu chefe vai querer que você saia e esvazie sua mente para poder recarregar suas energias.

No ambiente de Nova York, e dado o contexto internacional dessa experiência, sei que terei que trabalhar mesmo quando meu chefe já tiver ido embora do escritório, e eventualmente também durante finais de semana.

Ficou interessado na possibilidade de fazer um estágio na Organização das Nações Unidas? É possível saber mais sobre as oportunidades abertas aqui

Este artigo foi originalmente publicado em Linkedin

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo