Stephanie Mayorkis: Determinação de atleta para o sucesso no mundo dos negócios

Ex-tenista profissional e bolsista da Fundação Estudar, hoje Stephanie Mayorkis comanda a E.G.G. Entretenimento e aplica aprendizados das quadras para trazer ao Brasil espetáculos como O Fantasma da Ópera, Cirque du Soleil e My Fair Lady

Ana Pinho, do , em 06.08.2016
mulher sorrindo [acervopessoal]

Entre 1989 e 1993, Stephanie Mayorkis foi tenista profissional. Chegou a ser a segunda melhor do Brasil e uma das duzentas melhores do mundo. Não é pouca coisa, nem pouca dedicação envolvida. Apaixonada pelo esporte desde a infância, tinha a rotina pesada de treinamentos e viagens típica de uma atleta profissional. Quando precisou decidir se seguia em frente na carreira ou dava uma guinada, decidiu experimentar o mundo dos negócios – mas até hoje tenta encaixar um jogo por semana na agenda.

“Ter tido esta experiência foi algo incrível, porque além de ir atrás do meu sonho pude viajar o mundo, conhecer pessoas de diferentes culturas e aprender a ter foco, determinação e disciplina”, conta. Levou tudo para Universidade Santa Úrsula, no Rio de Janeiro, onde estudou Administração. Formou-se em três anos e meio, tomou gosto e seguiu para o MBA em São Paulo, na EAESP/FGV. Desde a graduação, mas também na pós, Stephanie é bolsista da Fundação Estudar.

“Escolhi o curso por ser uma opção que me daria uma visão generalista de todas as áreas que compõe o funcionamento de uma empresa e também conhecimentos sobre como administrar um negócio”, explica ela, que se tornou referência na área de produção cultural na T4F e trouxe ao Brasil espetáculos como O Rei Leão, O Fantasma da Ópera e Cirque du Soleil. Hoje comanda sua própria empresa, a E.G.G. Entretenimento.

Rumo aos palcos O primeiro trabalho fora das quadras foi na área de compras das Lojas Americanas. Dinâmica e focada nos resultados como ela, a empresa era um lugar sob medida para Stephanie aprender na prática.

Ao se mudar para São Paulo, onde veio fazer o MBA, tornou-se gerente de marketing do Playcenter. Descobriu ali seu gosto pelo entretenimento. O lugar unia os dois pontos positivos de sua experiência no varejo, aliados a um elemento extra e lúdico. “Eram produtos que mexiam com os sonhos das pessoas”, explica.

O Rei Leão - Empreendedorismo

[divulgação – JoaoCaldas]

De lá Stephanie rumou para a Time4Fun, líder no segmento de entretenimento. “A T4F foi minha grande escola”, resume ela, que passou por diversas áreas. Foi diretora da Ticketmaster, criou a área de exposições e projetos especiais e tornou-se diretora de Teatro/Musicais, Exposições, Performances e Novos Negócios, sua especialidade atual.

Habilidades-chave Ela conheceu de primeira mão o trabalho da Fundação Estudar (entidade que apoiou seus estudos e desenvolvimento), apresentada por outro tenista ávido, Jorge Paulo Lemann. Os valores em comum já eram vários, muitos deles compartilhados por um atleta, como meritocracia e sonhar grande.

São características que ela manteve ao longo dos anos, enquanto se tornava referência de produção cultural no Brasil, que envolve uma administração diária intensa com desenvolvimento de produtos e conteúdos, marketing, vendas de patrocínio e correções de rota.

Veja também: O que Jorge Paulo Lemann aprendeu nas quadras de tênis

O maior inimigo da área, segundo ela, é o ego e a vontade de aumentar projetos além do que seria sensato. “É necessário ter muito pé no chão e controle de custos com foco em resultados”, fala. “Ser bom gestor, formador de pessoas e manter estruturas enxutas também são competências essenciais.”

Outra qualidade que ela gosta de destacar é a persistência, especialmente para quem se interessa pelo mundo corporativo como ela. “Você precisa se provar muito antes de conseguir subir os degraus da carreira”, fala.

Espírito empreendedor Após quatorze anos, Stephanie decidiu deixar a T4F para empreender. Montou a E.G.G. Entretenimento em 2008, atrás de liberdade para construir a própria história. “Foi um processo de decisão difícil e doloroso, mas mudanças grandes sempre passam por grandes reflexões”, fala.

Tem dado certo. Além de ter firmado parceria com a empresa estrangeira IMM Sports and Entertainment em setembro de 2015, a E.G.G. trouxe ao Brasil a exposição Cérebro: o Mundo Dentro da Sua Cabeça e está produzindo a versão brasileira do musical My Fair Lady, que envolve mais de 150 pessoas e tem estreia marcada para agosto de 2016, em São Paulo.

Stephanie Mayorkis - Empreendedorismo

[divulgação]

A correria do dia a dia hoje envolve levar o filho para a escola, exercitar-se – uma vez esportista, sempre esportista – e daí colocar a mão na massa, seja em projetos em andamento, reuniões de venda de patrocínio ou viagens para negociar direitos de conteúdos futuros.

Tudo gira em torno de seu objetivo profissional, que é não só poder realizar grandes projetos de qualidade que garantam a sustentabilidade a longo prazo da empresa, mas também equilibrar vida pessoal e profissional, sem deixar de lado a família.

É uma ideia que transparece até nas palavras que Stephanie escolhe para descrever sua paixão pela área. “No entretenimento, você trabalha no desenvolvimento constante de novos projetos e conteúdos, cada um com suas peculiaridades”, diz. “É como se fossem filhos diferentes. Ver um projeto sendo criado, depois produzido e apresentado ao público é algo muito intenso e gratificante.”

Este artigo foi originalmente publicado em 26/4/2016 e atualizado em 5/8/2016