Controle de videogame representando matéria sobre Design de games
Foto por Suludun Diliyaer, via Pexels.

No mundo dos jogos, existe um trabalho principal que torna tudo possível: o design de games. Também conhecida como design de jogo ou game design, a área é a responsável por criar jogos eletrônicos do começo ao fim para diversas plataformas, como videogames, computadores, aplicativos, entre outros. 

De acordo com a pesquisa Games Brasil, o país é o 13º maior produtor de games no mundo e a participação brasileira vem crescendo no setor. Só em 2020, a importação de jogos nacionais aumentou em 600%. Além disso, em 2019, a empresa de games brasileira WildLife fechou o ano sendo avaliada em US$1,3 bilhão, se tornando mais uma startup unicórnio. Tudo isso aumenta a demanda por profissionais na área.

Leia ainda: Linguagem de programação: conheça os principais conceitos e ferramentas desse universo

Como é o trabalho com design de games

O papel de um designer de jogos é desenvolver todo o conceito criativo e ambientação por trás de um videogame. Isso envolve aspectos como o universo, estilo de jogo, enredo, personagens, jogabilidade, estética, objetivos, fases, interface e experiência do usuário. Para dar conta de tudo isso, em geral, o desenvolvimento de um jogo conta com equipes multidisciplinares. 

De forma simplificada, pode-se dizer que o design de games é focado em conceber um jogo divertido que agrade ao público, focando na parte criativa e teórica. Enquanto isso, os demais profissionais colocam em prática a visão que o designer criou. E o conceito do jogo pode partir de uma ideia original, de uma encomenda ou se basear em algum outro produto, como um filme por exemplo. Algumas atividades que devem ser desenvolvidas são:

  • Projetar e desenvolver o conceito do jogo;
  • Construir a estrutura de nível;
  • Escrever o enredo, biografias dos personagens, diálogos, pontos da trama e objetivo do jogo;
  • Planejar um storyboard de ação;
  • Criar todos os elementos do jogo, incluindo regras, cenários, objetos, veículos, armas, paisagem, etc.
  • Definir a interface do usuário, menus e controles;
  • Desenvolver protótipos iniciais;
  • Decidir em quais dispositivos e plataformas o jogo será jogado;
  • Definir como será a experiência do usuário;
  • Trabalhar com programadores para projetar o back-end do jogo;
  • Realizar pesquisas de mercado e entender o público-alvo;
  • Liderar o processo de desenvolvimento; 
  • Produzir efeitos sonoros, diálogos, partituras musicais, mixagem e edição de som;
  • Gerenciar testes de qualidade e acompanhar o feedback; 
  • Supervisionar o lançamento, ações de marketing e a distribuição;
  • Trabalhar no desenvolvimento contínuo, aprimoramento de falhas e versões do jogo.

Mesmo trabalhando em conjunto com outros profissionais, fica sob a responsabilidade do designer conceber a ideia do jogo, acompanhar o desenvolvimento e aplicação da teoria em prática, realizar testes para garantir que os jogadores se divertiram e se certificar que tudo seja feito dentro do prazo e orçamento estabelecido. 

Habilidades necessárias para atuar na área

Para trabalhar com design de games, o profissional precisa contar com uma mistura de competências técnicas, criativas e de gerenciamento. Conhecimentos avançados de  animação 3D, ilustração e linguagens de programação são essenciais para o desenvolvimento de jogos. Também é recomendável que o designer tenha uma compreensão básica sobre desenvolvimento de sistemas. 

O time criativo deve conhecer softwares como Unity, Maya, Adobe Creative Suite, Substance Painter e Unreal 4. Já os técnicos devem dominar as linguagens de programação C e C++. Outras habilidades desejáveis para quem trabalha com design de games são: 

  • Criatividade 
  • Forte mente analítica forte
  • Habilidades de programação
  • Conhecimento sólido da indústria de jogos 
  • Boas habilidades de comunicação 
  • Habilidades de liderança 
  • Conhecimento técnico dos software e sistemas que dão vida ao jogo
  • Foco 

Além disso, habilidades de gestão e liderança são importantes, já que é necessário coordenar os fluxos de trabalho das equipes criativas e técnicas. O designer também deve conseguir ter uma visão geral do projeto enquanto lida com as situações diárias da produção do jogo. 

Onde buscar oportunidades

Existem diversas oportunidades para trabalhar com design de games. Estúdios, produtoras e desenvolvedoras de jogos são os caminhos mais óbvios e demandam um grande volume de mão de obra. Mas existe uma demanda por profissionais em agências de publicidade, produtoras digitais e audiovisuais, organizações voltadas para o desenvolvimento de aplicativos, empresas de tecnologia, educação, treinamento médico e desenvolvimento humano. 

Isso porque os games não são utilizados apenas como passatempo, mas também como uma forma de ensinar, desenvolver, aprender e até medir resultados. A maioria das empresas possui atuação internacional, sem operação fixa no Brasil, mas contratam profissionais de toda parte do mundo. Outra opção é trabalhar como autônomo ou abrir o próprio negócio. 

 Quer saber se trabalhar com tecnologia é para você? Conheça o nosso curso Decisão de Carreira Na Prática

Contudo, a maioria das pessoas não começa trabalhando diretamente com design de games. A primeira posição mais comum entre os profissionais do setor é como testador de jogos, responsável por buscar falhas e bugs nos games. Aos poucos, é possível entrar no time criativo e começar a trabalhar dentro do desenvolvimento. 

Como aprender design de games

Já existem cursos de ensino superior na área de jogos reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC). Na modalidade tecnológica, é possível cursar Jogos Digitais, formação com duração de dois anos. Também há opção do bacharelado de Design de Games, com duração de 4 anos. 

Mas não necessariamente é preciso se qualificar diretamente na área. Muitos profissionais começam estudando em algum curso de tecnologia como ciências da computação, design gráfico ou engenharia de software, para depois se especializarem na área de jogos ou desenvolverem habilidades focadas no segmento.  

Cursos livres com as competências básicas para criar um jogo podem ser um bom lugar para começar e experimentar como funciona o trabalho em design de games. Alguns conhecimentos úteis são em ilustração, animação em 2D e 3D, Photoshop, computação gráfica e programação.

Mais do que uma formação técnica, quem quer trabalhar na área também precisa ter habilidades práticas. Grande parte dos profissionais da área recomendam que jovens que tenham interesse em design de games comecem construindo o próprio portfólio, produzam os próprios jogos, aprendam colocando a mão na massa, busquem constantemente desenvolver novas habilidades e estar atualizado com o universo gamer.

Os melhores conteúdos para impulsionar seu desenvolvimento pessoal e na carreira.

Junte-se a mais de 1 milhão de jovens!
Casdastro realizado, fique ligado para os conteúdos exclusivos!
Seu cadastro não foi realizado, tente novamente!

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: