Um Projeto: Fundação Estudar
concorrência no Direito

Como superar a concorrência no Direito?

Por Suria Barbosa

Quem escolhe o Direito tem diversas possibilidades de atuação, já que é uma área com muitas ramificações (e que organização não precisa de advogado?) - mas também tem que lidar com a concorrência acirrada. Confira dicas do Diretor da Área Jurídica da Cervejaria Ambev para se destacar.

Em um país que conta com mais de um milhão de advogados no mercado – e com muitos outros entrando anualmente – a concorrência no Direito é definitivamente uma questão para os que querem seguir carreira no ramo.

O Na Prática conversou com Guilherme Parente, Diretor da Área Jurídica da Cervejaria Ambev, sobre o assunto. Como é possível se sobressair em meio a tantos profissionais?

Com passagem na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e no escritório global Skadden, o membro da Rede de Líderes da Fundação Estudar também já teve que lidar com as inseguranças da fase inicial da vida profissional – assim como acontece com a maioria dos jovens. Hoje, acredita que existam alguns fatores que podem fazer com que os candidatos se destaquem.

 

Guilherme Parente fala sobre como superar a concorrência no Direito
Guilherme Parente, Diretor da Área Jurídica da Cervejaria Ambev / Acervo pessoal

 

“O trabalho do advogado é, basicamente, leitura, interpretação de texto e escrita”, conta. Faz sentindo, então, que o perfil procurado seja de pessoas articuladas, que se expressem bem e demonstrem grandes habilidades de raciocínio lógico, conforme explica Guilherme.

Além disso, ele aponta a importância de ter conhecimentos de inglês e buscar experiências (como estágios). “Esses são pré-requisitos. Não acredito que sejam mais diferenciais”, diz.

Leia mais: O que grandes escritórios brasileiros de Direito buscam num candidato?

Como superar a concorrência no Direito?

Para Guilherme, três aspectos são importantes para se distinguir em meio a outros candidatos.

Autenticidade

Em primeiro lugar, uma postura autêntica. “É importante o candidato não querer parecer alguma coisa que se espera dele”. Ou seja, não adianta mentir, ou dar respostas padronizadas nas entrevistas. O que as empresas procuram são pessoas que agem de acordo com a própria identidade.

“Tentar ser um personagem, tenta ser alguém que se espera, vai ser ruim para a pessoa e para o escritório”, diz Guilherme. “Quem é autêntico se sente melhor no ambiente e entrega mais resultado”, completa.

Iniciativa

“Um segundo passo importante é o candidato demonstrar que ele corre atrás.” Entre um estágio e outro, por exemplo, busque se especializar. O objetivo é ter uma história para contar aos contratantes: o que você quer e o que está fazendo para conseguir?

Delimitar o interesse (e se aprofundar)

Uma das características da área jurídica é que ela se subdivide em muitos caminhos possíveis. Ao mesmo tempo, segundo o Diretor da Cervejaria Ambev, cada vez mais, se torna especializada.

“É importante saber focar em alguma área e se tornar muito bom nela – por meio de estágios, cursos, especializações, estudos, enfim. Há várias formas de chegar lá.”

Saber o que deseja e como explicar para os recrutadores ajuda a superar a concorrência. No entanto, isso não significa que seja necessário ficar em um lugar, mesmo insatisfeito, apenas a favor da “coerência” no currículo.

Quando se trata de um estágio em um setor que não agrada, vale a pena tentar migrar dentro do próprio escritório, aconselha Guilherme.

 

Dica do Na Prática:

Conhecer de perto as etapas de um processo seletivo e entender como acontece cada uma delas aumenta as suas chances de contratação. Se você ainda não se sente 100% confiante, não se preocupe, a Fundação Estudar reuniu as maiores referências no assunto em um curso online para te ajudar neste desafio. Inscreva-se agora com 20% de desconto com o cupom PROCSEL-20 clicando aqui.

 

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo