Um Projeto: Fundação Estudar
Cargos do C-Level ou C-Suite

Desvendando o C-Level: CEO e os outros cargos do alto escalão executivo

Por Suria Barbosa

CEO, CFO, COO, CMO... Você sabe o que é C-Level ou C-Suite? Entenda as siglas e conheça os diferentes cargos que os altos executivos podem ocupar no mundo corporativo e suas respectivas responsabilidades dentro das empresas.

Quando se trata de qualquer assunto relacionado ao mundo corporativo, é comum ouvir falar em CEOs, COOs, CFOs, etc. Na verdade, são palavras mencionadas com tanta frequência que é possível entender, avaliando os inúmeros contextos em que são aplicadas, que se tratam de cargos de liderança. Essas posições – cujos nomes, não por engano, se iniciam com a letra “C” – fazem parte do C-Level (ou C-Suite).

C-Level é um termo utilizado para designar coletivamente os executivos seniores mais altos de uma companhia. A letra “C” aqui (e nos cargos) significa “chief”, que, em português, significa “chefe”. Por se encontrar, geralmente, no topo do escalão na maior parte das empresas, esses executivos são considerados os mais influentes.

Leia mais: 5 momentos decisivos na carreira de alguns dos maiores CEOs do mundo

Dependendo da estrutura da organização, a nomenclatura dos “C” pode tomar lugar ou se misturar com os tradicionais postos de “presidente”, “vice-presidente”. 

Em muitos casos, os fundadores da empresas ocupam essas posições, mas as companhias também podem posicionar profissionais internos ou contratar outros. Se conhecimentos técnicos são importantes para alavancar a carreira, para assumir posições na C-Suite, a capacidade de liderança e expertise negócios são as habilidades essenciais.

Segundo relatório de pesquisadores ao Harvard Business Review:

“Para ter sucesso como executivo do C-Level, o indivíduo precisa ser um bom comunicador, um colaborador e um pensador estratégico – e achamos que a tendência de buscar [profissionais com] uma orientação comercial geral em vez de uma orientação funcional continuará.”

Basicamente, os membros do C-Level trabalham para garantir que as estratégias e operações da empresa, dos mais diversos setores, estejam alinhadas com os planos e políticas estabelecidos. Por isso, são posições em que se espera tomada de decisões de risco, grande carga de trabalho e alta remuneração.

Cargos e responsabilidades do C-Level

Chief Executive Officer (CEO)

É o nível mais alto de executivo no mundo corporativo – e, provavelmente, o mais conhecido, já que que costumam ser o “rosto” da empresa. O CEO define a direção da companhia e a estratégia adotada.

Um exemplo: Indra Nooyi, CEO da PepsiCo (grupo de marcas de bebidas e alimentos como Cheetos, Pepsi e Gatorade) decidiu reformular a marca inteira pelas novas tendências de mercado alimentício que prezavam comidas com teor mais saudável. Contamos esse caso – e outros três, aqui.

De acordo com a HBR, para a posição de CEO:

Os tipos de habilidades cada vez mais favoráveis ​​são forte comunicação, empatia, colaboração e construção de confiança. Uma habilidade que será de maior importância será a capacidade de obter confiança pública como a face da empresa. Isso incluirá facilidade e credibilidade em relação à iniciativas socialmente responsáveis.”

Chief Operating Officer (COO)

O COO cuida da operação diária da instituição e se reporta ao mais alto executivo (normalmente, o CEO). Essa posição costuma ser ocupada pelo segundo em comando.

Diferente dos outros cargos do C-Level, nesse as funções costumam ser diferentes dependendo da indústria, da empresa e até de acordo com o que o CEO faz. É comum que as empresas não tenha essa posição.

Suas responsabilidades variam, como foi dito, mas costumam girar em torno de passar a estratégia para os funcionários, além de implementar práticas de orientação e monitoria para alinhar sua conduta aos objetivos da empresa.

Chief Financial Officer (CFO)

O cargo mais alto referente aos que cuidam das finanças das organizações. Nesta posição, o profissional não só domina os conhecimentos tradicionais do setor – como gestão de carteiras, contabilidade, títulos de investimento, pesquisa de investimento e análise financeira, é responsável por gerenciar, em ampla escala, os recursos. 

Ele também precisa ter uma mentalidade “global” e estratégica de negócios, visto que colabora com o CEO. Seu papel, muitas vezes, é o de encontrar novas oportunidades de negócios e avaliar riscos e benefícios financeiros.

Para a HBR:

“CFOs hoje precisam de experiência com mercados de capitais, fusões e Tecnologia da Informação. Em muitas empresas, os CFOs desempenham um papel mais ativo no gerenciamento de stakeholders externos e nas comunicações com investidores, em particular. Espera-se também que eles tenham experiência em operações e outras áreas funcionais corporativas.”

Chief Information Officer (CIO)

O CIO é o responsável pelo gerenciamento da infraestrutura tecnológica de uma empresa. Ele também administra o departamento de tecnologia da informação (TI), na maioria dos casos.

Mesmo sendo, na teoria, um cargo de gerenciamento, seu trabalho inclui propor estratégias para aumentar o lucro da empresa.  

Ou, como a HBR resumiu, a posição precisa de um executivo sênior que não só compreenda “as novas tecnologias, mas também como elas se aplicam à estratégia de negócios”.

Chief Technology Officer (CTO)

Já o CTO é o “arquiteto” por trás da infraestrutura tecnológica da empresa. Ele cuida da intranet e dos sistemas de comunicação internos, por exemplo.

No entanto, ele também é responsável pelo departamento de Engenharia da companhia. O CTO procura formas de melhorar os produtos oferecidos por meio da tecnologia.

Chief Marketing Officer (CMO)

As empresas que estão em setores muito competitivos ou que precisem colocar a função de gerenciamento de marca como prioridade costumam ter o cargo de CMO.

Nesta posição, o executivo de Marketing cria as estratégias e conduz os planos de atração de clientes, sempre em linha com os direcionamentos do CEO.

Para a HBR, a tendência de juntar neste cargo também as responsabilidades do setor de vendas deve crescer. Assim, o CMO passa a ser CMSO (“S” de sales, “vendas” em português).

O número de cargos dos executivos seniores varia de acordo com a empresa, seu tamanho, objetivos, setor e indústria. Algumas, principalmente as maiores, podem incluir funções mais específicas, como Chief Human Resources Manager (CHRM), Chief Compliance Officer (CCO), Chief Business Officer (CBO), Chief Accounting Officer (CAO), entre outras.

 

Dica do Na Prática:

A forma como você lida com os desafios é o grande diferencial da sua carreira. E o que mais faz diferença nessas horas são seu valores pessoais. Para te ajudar a desenvolver esse seu lado, a Fundação Estudar criou o Liderança Na Prática, um curso de quatro dias que te ensina na prática valores de autoliderança. Inscreva-se agora com 10% de desconto usando o cupom LIDE-10. É só clicar aqui!

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo