Um Projeto: Fundação Estudar
livros de autoajuda

Os livros de autoajuda realmente funcionam?

Por Suria Barbosa

Gênero que atrai pessoas que buscam se aprimorar, os livros de autoajuda causam polêmica com técnicas que prometem melhorar a vida (em diversos sentidos). Duas amigas testam a eficácia das dicas e analisam a veracidade das alegações no podcast “By The Book”.

Os livros de autoajuda, geralmente, são procurados por quem busca se aprimorar porque oferecem métodos com potencial de causar mudanças, principalmente de cunho emocional, físico, intelectual, espiritual e econômico. Pelo menos, é o que a maioria deles alega. São tantas promessas, e são tantos deles que figuram entre as listas de best-sellers, que é difícil não se questionar se realmente funcionam.

Com objetivo de testar a eficácia das dicas das obras deste gênero, duas amigas, Kristen Meinzer e Jolenta Greenberg, criaram o podcast “By The Book”, disponibilizado pela rede Panoply Media. Por duas semanas, elas vivem de acordo com cada regra de um destes livros, muitos dos quais são sucesso de vendas.

Em cada episódio, elas narram, de forma leve e engraçada, como foi testar as técnicas e que resultado conseguiram extrair – se conseguiram algum. No final, concedem um veredito, recomendando, ou não, a leitura. Confira o que elas descobriram em dois episódios.

O Livro da Memória, de Harry Lorayne e‎ Jerry Lucas

Em “O Livro da Memória” (em inglês, “The Memory Book”), dois especialistas no assunto atestam que podem melhorar a memória dos leitores “na escola, no trabalho e no lazer”. A premissa atraiu muitos: além de vender mais de 2 milhões de cópias, a obra ficou mais de 15 semanas na lista de best-seller do jornal New York Times.

Os autores defendem que o diferencial que faz deste livro um “guia” é a utilização da “consciência original”, responsável por conectar as capacidades de observação e associação. Na prática, o método consiste em cinco treinos, que podem ser utilizados, inclusive, para aprender línguas. Teoricamente, eles elevam a capacidade da memória de qualquer pessoa.

Exercício 1: Para treinar o sistema de vinculação entre observação e associação, “O Livro da Memória” sugere que os leitores treinem periodicamente. O primeiro exercício consiste em escrever uma lista aleatória com itens facilmente visualizáveis. Em seguida, o leitor deve relacionar a imagem de cada item com a do próximo. Por exemplo, com a lista “vela, cachorro, sapato”, o leitor pode imaginar uma vela em formato de cachorro e um cachorro usando sapatos.  

Exercício 2: Segundo exercício consiste em praticar palavras com sons similares, que possam substituir as que não tem uma imagem clara a ser visualizada, como nomes de estados.

Exercício 3: Praticar o exercício 1 e 2 juntos.

Exercício 4: Aplicar o exercício 3 a tarefas maiores.

Exercício 5: Praticar memorização de números relacionando-os a sons fonéticos que o livro provém. Os sons fazem dos números palavras que podem ser relacionadas a imagens, assim como o exercício 1 ensina.

Seguindo as regras

A dupla do “By The Book” passou duas semanas criando, exaustivamente, listas para memorizar e praticando os outros exercícios propostos.

Jolenta não conseguiu evitar pular partes, porque não via utilidade em memorizar tantas coisas. Como a sua própria memória não era um problema, insistiu que o marido realizasse os exercícios. Para ele, as práticas serviram para que associasse nomes a rostos.

Por sua vez, Kristen, após conseguir memorizar o nome de 20 pessoas, testou a utilidade das técnicas para aprender o linguajar da Nova Zelândia, para onde viajaria nas semanas seguintes.

Veredito

As duas não recomendam. Elas concordam que as técnicas funcionam, mas com um escopo tão limitado que só servem como truques para impressionar os outros.

A afirmação dos autores de que o método serviria para aprender outros idiomas foi completamente refutada por Kristen, que não obteve sucesso nem em memorizar coloquialismo da Nova Zelândia, cuja língua natal é a mesma que a sua, o inglês.

Outra alegação do “Livro da Memória” incomodou Jolenta, que já foi professora: a de que todo aprendizado passa pela memória. “Não vejo a hora de esquecer este livro”, conclui ela.

How to Write an E-book in 7 -14 Days that Will Make You Money Forever, de Darren Stock

“How to Write an E-book in 7 -14 Days that Will Make You Money Forever” em português seria “Como escrever um e-book em 7 a 14 dias, com o qual você ganhará dinheiro para sempre”.

De início, o título é motivo de piadas da dupla que apresenta o “By The Book”. “O que são 7 a 14 dias?” “Até quando vai o ‘para sempre’?” Questionam elas. O tamanho do livro também rende risadas – segundo Kristen, o exemplar impresso tem 12 páginas. 

O autor afirma que com cinco passos – a serem completados de 7 a 14 dias – qualquer um pode lançar um e-book e ganhar dinheiro com sua publicação na Amazon.

Passo 1: Pesquisar um tópico

Pesquisar e delimitar o tema do livro. Uma dica é procurar os que estão vendendo bem na Amazon e se inspirar. Segundo Darren, é a parte mais demorada do processo.

Passo 2: Escrever (livremente) um esboço

Passo 3: Escrita criativa

Reler o esboço e aperfeiçoar o texto.

Passo 4: Reler e editar

Nesta fase, a leitura de um colega ajuda a ter uma nova perspectiva. Além disso, aqui, o escritor deve adicionar introdução, extras, formatar e fazer a arte da capa.

Passo 5: Publicar e vender na Amazon

Darren recomenda o preço que considera ideal para um e-book: $ 2.99. Para incentivar as vendas, o autor deve enviar o livro para amigos e colegas escreverem resenhas e recomendações, além de fazer promoções regularmente.

Seguindo as regras

Kristen escolheu escrever um romance Amish, grupo de cristãos tradicionalistas que abdicam da maior parte dos avanços modernos. Com nome de “Return to Intercourse” (Intercourse é o nome de uma das vilas em que os Amish vivem, nos Estados Unidos).

Durante o processo, Kristen sentiu necessidade de reescrever o livro, porque percebeu que seus personagens não tinham profundidade. Só depois da segunda versão publicou-o na Amazon.

Jolenta, fã do reality show “The Real Housewives” escreveu e publicou um livro relacionando-o à mitologia grega, chamado “Modern Harpies”.

As duas sentiram dificuldade em escrever todos os dias, hábito “difícil” de criar, segundo elas. Também concordam que o e-book que criaram em nada se assemelha a um livro comum, começando pelo tamanho.

No fim das duas semanas em que seguiram os passos do livro, Jolenta vendeu 10 cópias e recebeu $ 20 da Amazon, enquanto Kristen vendeu 18 cópias e recebeu mais de $ 37.

Veredito

De acordo com as apresentadoras do podcast “By The Book”, a perspectiva de marketing do autor tem mérito. Elas recomendam, porque a fórmula funcionou. No entanto, apenas para quem tem pretensões de lucrar e não pretende escrever ficção, já que o livro não orienta a criação de personagens.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo