Um Projeto: Fundação Estudar
regra para feedback

30/60/90: conheça a regra para feedback que estrutura e otimiza a prática

Por Suria Barbosa

Receber feedback é uma das práticas mais importantes quando se trata de produzir um projeto “novidade”. No entanto, na hora errada ele pode ser bem prejudicial; entenda como driblar isso!

Imagine que você está há semanas trabalhando em um grande projeto. Você está na fase final e bastante orgulhoso, porque se dedicou ao máximo em todos os detalhes. Nesse cenário, você recebe uma mensagem de alguém que está no seu time (mas não completamente envolvido nesse trabalho, em específico):

“Eu realmente acho que toda a direção está um pouco fora do caminho, e eu consideraria desmantelar o projeto e, ao invés disso, seguir na direção X.”

Esse é o contexto que a escritora Lauren Moon dá no site do Trello, para explicar o efeito que chama de “gaivota” (seagull effect). Assim como os pássaros de mesmo nome, o autor da mensagem “mergulhou” na hora errada e bombardeou você, o autor do projeto, quando menos precisava, com comentários negativos.

Como esse cenário poderia ter sido diferente? Pedir feedback sobre seu próprio trabalho também pode ser um sucesso ou um erro, dependendo de como você o faz. Estruturar um pouco como e quando você pede comentários sobre o seu trabalho pode ajudar a aliviar as frustrações do feedback injustificado, exagerado e atrasado. “Você pode estar trazendo gaivotas para si mesmo não pedindo feedback dos colegas no início do processo.”

A regra para feedback

Usar um processo chamado de estrutura 30/60/90 ajudará você a obter o tipo certo de feedback no momento apropriado. Este princípio divide o feedback em três partes, cada uma representando uma porcentagem do progresso em todo o processo ou projeto.

Feedback 30%

Ao pedir feedback a 30% do trabalho, você busca ideias, opiniões, dicas sobre o conceito, de forma geral. “Você tem uma ideia que começou a desenvolver, mas está longe de estar pronta. Você tem o suficiente, no entanto, para estar pronto para receber feedback”, resume Moon.

Aqui, seria uma boa etapa para aquele feedback atrasado do início do texto. Não tem problema dar esse nível de feedback nessa etapa, porque o projeto está no início e ainda precisa de considerações e direções.

Exemplos do que buscar com o feedback 30%:

  • Impressões do conceito de nível superior
  • Pensar em diferentes públicos para ter como alvo
  • Sugestões de escopo e maneiras de expandir
  • Decisões de “Seguir” ou “Não seguir” nos elementos do projeto
  • Alinhamento em metas organizacionais de alto nível

O que não é necessário no feedback 30%:

  • Gramática detalhada
  • Estrutura de frases e formatação

Leia também: A melhor forma de lidar com o feedback negativo

Feedback 60%

O segundo nível dessa regra para feedback é 60%. Ou seja, quando você passou um pouco da metade do trabalho.

A autora recomenda pensar no feedback 60% como o “tradicional”. Apesar de ainda ter tempo para as pessoas darem sugestões e te ajudarem a expandir, o conceito geral já está delimitado. Nessa etapa, a expectativa para o feedback é a maior: de estruturação de frases à sugestões de adicionar e deletar seções.

“É fundamental, durante essa rodada, envolver todas as partes interessadas, porque são suas sugestões que vão catapultar a peça – seja ela qual for – de um primeiro rascunho para um produto quase acabado.”

Além disso, é aqui que você garante que não terá que lidar com “gaivotas” mais para frente.

Exemplos do que buscar com o feedback 60%:

  • Gramática detalhada
  • Estrutura de frases e formatação
  • Sugestões de maneiras diferentes de expandir
  • “O feedback da rodada de 30% foi implementado corretamente?”
  • Temas de cores de gráficos ou revisões de código, se forem de engenharia

O que não é necessário no feedback 60%:

  • Impressões do conceito de nível superior
  • Decisões de “Seguir” ou “Não seguir” nos elementos do projeto
  • Alinhamento em metas organizacionais de alto nível

Feedback 90%

O estágio final do feedback é chamado de 90% porque o projeto está em fase de conclusão. Pense nessa etapa da regra de feedback como a de “tem algo que deixei para trás?”

Exemplos do que buscar com o feedback 90%:

  • Gramática detalhada
  • Estrutura de frases e formatação
  • “O feedback da rodada de 60% foi implementado corretamente?”

O que não é necessário no feedback 90%:

  • Sugestões de maneiras diferentes de expandir (a não ser que sejam bem pequenas)
  • Impressões do conceito de nível superior
  • Decisões de “Seguir” ou “Não seguir” sobre qualquer elemento do projeto
  • Alinhamento em metas organizacionais de alto nível

Leia também: Quer melhorar suas habilidades de liderança? Implore por feedback!

Dicas para aceitar feedback da melhor forma

Toda a regra de feedback 30/60/90 envolve entender a importância de pedir e obter a opinião dos outros sobre um projeto. Por isso, Moon dá algumas dicas para não se deixar levar pelo lado emocional quando receber feedback.

  • Não leve para o lado pessoal. Não vincule o feedback sobre seu projeto a seu próprio valor e lembre-se de que não é um feedback sobre você como pessoa.
  • Não fique na defensiva. É contraproducente tentar responder a todos os comentários com: “O que eu quis dizer com isso foi…”. Isso significa que você acha que a pessoa não entende seu trabalho. Se a pessoa não entender, pode ser um sinal de que o resultado final não está claro. Apenas diga “obrigado” e considere os insights no seu próprio tempo.
  • Permita-se a graça de ignorar (alguns!) feedbacks. Passar por cima de aproximadamente 10% do feedback é perfeitamente aceitável. Lembre-se de que, às vezes, é apenas uma sugestão e você não precisa implementá-la.
  • Lembre-se sempre de considerar o contexto da pessoa que está dando o feedback. Por exemplo, digamos que um responsável pelos aspectos internacionais da sua empresa esteja preocupada com uma referência coloquial feita por você. Pode não ser que eles não achem que seja ruim; em vez disso, o trabalho deles é garantir que o conteúdo seja acessível para públicos internacionais, também.

A regra de feeedback 30/60/90 tem objetivo de estrutura uma prática que, não só ajuda a desenvolver um trabalho em pontos que você não pensaria sozinho, como também lhe ajuda a crescer como profissional. Então, não deixe de pedir feedback – principalmente, quando você realmente precisa ou deseja. “Isso vai fazer do processo mais suave, além de que ninguém vai acabar com cocô de pássaro na cabeça”, brinca Moon.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo