Um Projeto: Fundação Estudar
cerveja gelada

Trainee Ambev fala sobre o seu dia a dia na cervejaria

Por Rafael Carvalho

João Lucas Lima fez parte da equipe de trainee responsável pela operação da Ambev nos doze estádios das cidades-sede da Copa do Mundo no Brasil

Como será trabalhar em uma das empresas mais desejadas pelo jovem – a Ambev? Para descobrir a rotina de quem passou por um dos processos seletivos mais concorridos do país e se tornou trainee na companhia, o portal Seja Trainee entrevistou o piauiense João Lucas Lima.

Leia também: Google, Facebook, Ambev e outras empresas buscam talentos em conferência de carreiras da Fundação Estudar e Na Prática

Aos 24 anos, ele é formado em Comunicação Social pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), de São Paulo, e passou pelo programa de trainee da Ambev em 2014. Além de compartilhar a sua rotina, ele também fala sobre uma experiência única que teve a oportunidade de viver durante a Copa do Mundo de 2014 – e a trabalho!

Motivos para ser trainee

Por que você resolveu buscar um programa de trainee?

Acredito que o programa de Trainee é o passo ideal ao se formar. Ele nem “estica” o recém-formado, atribuindo-lhe tarefas que ainda não está preparado para exercer, e nem o deixa na zona de conforto. É um período de desenvolvimento contínuo, aprendendo sobre todas as áreas e, quando estiver finalizado o processo, assumirá o seu primeiro grande desafio e será dono de seu negócio. Além disso, a questão do investimento que a empresa faz na carreira do trainee, como treinamentos, coachings, acompanhamento de gestores e possibilidade de carreira internacional ou treinamentos fora do país atraiu minha atenção.

Quais fatores levaram você a buscar o programa da Ambev?

Sempre ouvi e li a respeito do modelo de gestão da Ambev, que é reconhecido pelo mercado pela sua eficiência. As histórias dos executivos da companhia me mostram como a empresa dá oportunidade para o crescimento rápido na carreira. Claro, tudo depende do seu comprometimento e empenho pessoal. Isso é a meritocracia, um modelo que admiro muito.

Além disso, levei em conta conversas com trainees e ex-trainees de diversas empresas. Os ex-trainees da Ambev sempre tinham uma empolgação diferente ao contar sobre a companhia. Sempre falavam com tanto amor pela empresa que eu decidi que queria fazer parte daquilo e percebi que a Ambev possui um dos programas mais estruturados do Brasil.

Aqui temos a oportunidade de conhecer todas as áreas da companhia. Isso nos dá uma visão global do negócio. Todo aprendizado e crescimento profissional que estou tendo aqui, se deram primeiro, porque sempre tive vontade para aprender e, segundo, porque a própria empresa me deu oportunidades para crescer.

Outro ponto importante do programa de trainee da Ambev é que ingressamos na companhia como funcionários contratados desde o primeiro dia. Ao final dos dez meses de treinamento, já estamos aptos a exercer um cargo estratégico. Quando busquei um programa de trainee, procurei saber mais sobre a empresa e me identifiquei com a cultura da Ambev desde o momento da inscrição. Aqui, as pessoas agem como donas do negócio. Consigo ver exatamente até onde posso chegar e o que devo fazer para isso.

Cotidiano de um trainee Ambev

Em qual área atua hoje e o que mais gosta de fazer no dia a dia?

Atualmente sou gerente de vendas de uma revenda, mas já fui informado que terei um novo desafio dentro da companhia e admito que estou bastante empolgado.  Estou indo para a Administração Central, em São Paulo, cuidar de um projeto nacional.

Hoje, em minha função, gosto de estar nos pontos de venda e conversar com os clientes para garantir a melhoria contínua do trabalho. Além disso, gosto de acompanhar o time de vendedores e supervisores e dar suporte e treinamento para equipe.

Leia também: Como se destacar entre os mais de 60.000 candidatos do trainee Ambev?

Para você, qual foi ou está sendo o maior desafio como trainee Ambev?

Desde o início, nos envolvem diretamente em grandes projetos. Minha turma de trainee, que ingressou na companhia em 2014, foi responsável pela operação da Ambev nos doze estádios das cidades-sede da Copa do Mundo. Fiquei durante dois meses trabalhando dentro do Castelão, em Fortaleza.  Valeu muito a pena. O aprendizado que tivemos foi uma oportunidade única. Nunca vou me esquecer da experiência de trabalhar na Copa do Mundo.

Em parceria com outro trainee, começamos o trabalho do zero. Recebemos todo o material Brahma e Budweiser para ativação das marcas. Fomos responsáveis pelo camarote Ambev e de toda logística para abastecer o estádio com os produtos da companhia.

Quando senti a energia do estádio nos jogos, percebi que todo o esforço tinha valido a pena. Ouvir o hino do Brasil cantado em uníssono durante um jogo da Copa, a trabalho, me fez lembrar que optar pelo trainee Ambev foi a melhor escolha da minha vida.

Outro momento inesquecível da Copa foi acompanhar a coletiva de imprensa da Seleção Brasileira após a partida Brasil x México. Além disso, presenciei a entrega do troféu do Man of The Match para o jogador Mario Götze logo depois do jogo Alemanha x Gana.

Em linhas gerais, quando penso que fiz isso tudo trabalhando, me sinto completamente realizado. São muitos desafios, mas as conquistas são maiores ainda.

Como funciona o processo seletivo

Qual dica você daria para ajudar os candidatos que estão participando dos processos agora?

Eu só consegui ser aprovado para as próximas etapas dos programas de trainee quando conheci mais de mim mesmo. Pode parecer clichê, mas a cada resposta que eu recebia refletia sobre meu desempenho. Por isso o primeiro passo de um candidato é pesquisar bem sobre as empresas para, dessa forma, escolher aquela cuja cultura mais se encaixa no seu perfil.

Autoconhecimento, entender o seu perfil e qual empresa você se dará melhor sendo exatamente como você é a principal chave do sucesso para a aprovação em um programa de trainee.  A empresa escolhe você, mas você também escolhe a empresa.

Algo mais que você queira deixar registrado?

Nos cinco últimos meses, escolhemos a área de interesse e já recebemos orientações específicas sobre as atividades futuras. Além disso, nesta etapa passamos por um período de treinamento no exterior reunidos com os demais trainees dos outros países onde a Anheuser-Busch InBev atua. E isso é mais um ponto muito bacana do trainee da Ambev. Foi possível conhecer trainees do mundo todo, trocar melhores práticas e conhecer as peculiaridades dos diferentes mercados onde a companhia atua.

 

Este artigo foi originalmente publicado em My Trainee

 

Dica do Na Prática:

Conhecer de perto as etapas de um processo seletivo e entender como acontece cada uma delas aumenta as suas chances de contratação. Se você ainda não se sente 100% confiante, não se preocupe, a Fundação Estudar reuniu as maiores referências no assunto em um curso online para te ajudar neste desafio. Inscreva-se agora pagando somente R$ 39 com o cupom PROCSEL_20 clicando aqui.

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo