Um Projeto: Fundação Estudar

O que faz um diplomata?

Por Colunista do Na Prática

Você sabe quais são as principais funções de um diplomata? Conheça o perfil, os cargos e as principais atribuições dessa profissão, segundo nosso colunista, Clipping CACD, plataforma de preparação para o concurso.

Que tal viajar o mundo, falar outras línguas e vivenciar novas culturas? Essas são apenas algumas das possibilidade para quem deseja seguir a carreira diplomática!

Mas, você sabe o que faz um diplomata na prática? Muitas pessoas imaginam que se trata de carreira elitizada cujo trabalho se resume a puro glamour. Porém, a verdade é bem diferente disso, o diplomata é uma figura essencial para a política externa de um país.

Se interessou pelo assunto? Entenda um pouco mais sobre a profissão e também como ingressar na carreira!

 

 

Diplomacia na prática

Como falamos acima, muitas pessoas ainda possuem uma ideia superficial quando o assunto é diplomacia e as possibilidade em termos de carreira que a área oferece.

O diplomata é basicamente um servidor público, cujo principal papel é auxiliar o governo na implementação de diretrizes de política externa. Na prática, isso se resume nas seguintes funções:

  • Representar oficialmente o país perante outras nações;
  • Negociar tratados e acordos internacionais;
  • Ser uma fonte de informações sobre assuntos de interesse do país;
  • Prestar assistência a cidadãos que residem no exterior.

Cargos de um diplomata

São muito bem definidas as possibilidades de progressão na carreira diplomática. Do posto mais baixo até o mais alto, o diplomata pode ocupar os seguintes cargos:

  • Terceiro Secretário;
  • Segundo Secretário;
  • Primeiro Secretário;
  • Conselheiro;
  • Ministro de Segunda Classe;
  • Ministro de Primeira Classe (Embaixador).

De acordo com os dados de 2019, o diplomata ingressa na carreira no cargo de Terceiro Secretário. A primeira progressão, para o cargo de Segundo Secretário, ocorre num período mínimo de 3 anos. Com a evolução na carreira, alcançando o posto máximo de Embaixador.

O ingresso na carreira se dá por meio de concurso público, o CACD (Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata). O concurso para diplomata carrega a fama de ser um dos mais difíceis de passar no país e nos últimos anos a média de tempo de preparação dos candidatos aprovados ficou entre 3 e 4 anos.

Leia também: Kofi Annan: o caminho até chegar ao cargo de secretário-geral da ONU

O perfil de um diplomata

Com um salário inicial relativamente alto e um concurso bastante concorrido, você deve estar se perguntando:

Qual será o perfil de um diplomata? Será que a carreira é para mim?

A questão do perfil do diplomata está mais relacionado ao seu perfil pessoal de maneira geral do que ao domínio de uma habilidade específica ou predisposição a alguma área do conhecimento.

Tanto é que não se exige uma formação específica para ingressar na carreira, bastando apenas ao candidato possuir um diploma de ensino superior (qualquer curso) emitido por uma instituição reconhecida pelo MEC.

Agora, voltando ao perfil, o candidato a diplomata deve ter a paixão pelo estudo e aprendizado contínuo correndo nas veias. Ele deve se interessar por assuntos em âmbito mundial, como história, política, geografia e economia, além dominar outras línguas além do português (só no CACD são cobradas outras 3: inglês, francês e espanhol). 

Por fim, a carreira diplomática exige também uma capacidade de adaptação a contextos diferentes e uma habilidade de negociação acima da média!

E então, o que achou sobre as possibilidades do mundo da diplomacia? Conta aí pra gente nos comentários e compartilhe o conteúdo com quem tem interesse pelo assunto! Se o concurso para diplomata lhe interessou, clique no link e veja como começar a estudar para o CACD.

 

Sobre os autores

Este texto foi produzido equipe do Clipping CACD, uma plataforma de preparação para o Concurso de Diplomata. 

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo