Um Projeto: Fundação Estudar
Ambiente de trabalho de empresa do mercado financeiro

Goldman Sachs: veja a rotina de um analista de crédito no banco

Por Rafael Carvalho

Aos 24 anos, Sabah Azim fala de Londres sobre o seu dia de trabalho e suas tarefas no maior banco de investimentos do mundo

Sabah Azim tem 24 anos e é um analista na equipe de risco de crédito do Goldman Sachs, o maior e um dos mais antigos bancos de investimento do mundo. Trabalha na filial de Londres. “O trabalho de um analista em um banco de investimento é conseguir informações profundas sobre determinada indústria e determinada empresa, muitas vezes para um cliente, permitindo que ele tome decisões de investimento melhores. Uma grande parte do trabalho é apresentar a informação de uma forma confiante e criativa”, ele explicou ao portal Vault.

Para Sabah, como o dia-a-dia envolve bastante modelagem e análise financeira, uma graduação em economia ou matemática é bastante útil, porém não se trata de um pré-requisito para se dar bem na profissão. Ele defende que o bom analista é aquele que sabe absorver rapidamente uma grande quantidade de informações, e ao mesmo tempo sabe lidar com pressão e responsabilidades. A seguir, relata como é seu dia como analista no Goldman Sachs:

Leia também: Como entrar no banco americano Goldman Sachs

8h30 A primeira coisa que eu faço quando chego é ler o Financial Times, que eu compro no caminho para o trabalho ou acesso online. A BBC business também é uma das minhas fontes mais importantes. Eu leio matérias sobre macroeconomia, prestando atenção nas manchetes ou notícias sobre as contrapartes com que nós fazemos negócios..

Se alguma coisa relevante aparece, o que costuma acontecer com bastante frequência, eu sinalizo para a equipe de cobertura na divisão de crédito. Nós, então, discutimos o assunto entre nós e decidimos se precisamos fazer um follow-up com o cliente ou com a equipe de relacionamento com o cliente do Goldman.

9h Toda segunda-feira de manhã nós temos uma reunião de departamento. Durante essa reunião, discutimos notícias de mercado, o panorama atual nas áreas de equity e crédito e também fazemos atualizações sobre a empresa.

Nessas reuniões, geralmente tem um pouco de ‘serviço de casa’ para fazer, como por exemplo, fazer a recepção de novos integrantes, organizar eventos do departamento, como recepções e coquetéis. É uma oportunidade muito boa para uma comunicação eficaz.

10h O trabalho que nós fazemos é bastante multidimensional. Uma parte envolve trabalhar com a mesa de operações para definir um apetite por risco compatível com o perfil de risco da contraparte. As contrapartes são, basicamente, as empresas com que fazemos negócios, e vão desde grandes corporações até mesmo outros bancos de investimento, e por aí vai.

Outra dimensão seria trabalhar com a equipe de investment banking em um projeto, como uma fusão ou uma aquisição. Neste caso, nós basicamente fornecemos aviso de crédito no que diz respeito a estrutura de capital, financiamentos e notação de dívida. Na maioria dos casos, nós gastamos uma quantidade considerável de tempo trabalhando em modelos financeiros com a equipe de investment banking.

A terceira dimensão seria o trabalho de gestão de risco que temos de fazer rotineiramente, revendo as contrapartes, seus posicionamentos financeiros, seus perfis de negócios, e isso nos ajuda a determinar nosso apetite por fazer negócios com eles.

11h Em muitos casos, quando nós trabalhamos com o time de banking, ficamos bastante envolvidos na preparação de modelos financeiros para a transação. Fornecemos informações sobre coeficientes de crédito, capacidade de endividamento, notação de risco, etc.

12h Enquanto isso, podemos receber um pedido para aprovar uma nova contraparte no Oriente Médio para uma operação comercial. Normalmente, eu e o analista sênior da equipe de cobertura nos reunimos para falar com a mesa de operações daquele setor específico, como energia ou telecomunicações. Tentamos conseguir com eles todas as informações relevantes sobre essa operação, a estrutura e o volume de negócio.

Depois disso, nós precisamos partir para o próximo nível e envolver o cliente. Isto significa ligar para o cliente no país em que ele estiver, pesquisar o website oficial, batendo o olho em todas as notícias em que o cliente apareceu, entre outras coisas, para entender todas as questões que podem estar afetando o risco. Em alguns casos, o contato por telefone pode não ser a opção mais adequada, e nós temos que viajar para fora do país .

Leia também: Entenda a cultura de trabalho no Goldman Sachs

12h30 O almoço é bastante flexível. Eu normalmente demoro cerca de 15 ou 20 minutos, ou almoço na minha mesa. Às vezes, este é um bom momento para conversar com o meu mentor ou com meus amigos fora do departamento.

13h Na parte da tarde, eu volto para o projeto em que estava trabalhando mais cedo. Aproveito para ficar o mais confortável possível com o modelo em questão e fazer algumas leituras sobre os vários aspectos da transação. Isso envolve pesquisar notícias, ler relatórios de agências, etc.

14h Depois de fazer isso, sento e tento resumir meus pensamentos sobre os aspectos de crédito e risco da transação em que estamos trabalhando. Normalmente, isso envolve preparar uma seção de crédito eu vou sentar e tentar resumir meus pensamentos sobre os aspectos de crédito da operação que estamos trabalhando. Isso geralmente envolve a preparação de uma seção de crédito para um relatório, ou memorando, que será lido pela direção da firma. Esse comunicado costuma trazer também seções do time de investment banking com informações sobre a transação, a estrutura do negócio, precificações, etc.

15h Nossa parte no comunicado tem que ser bastante concisa e deve apontar quaisquer preocupações que tenham surgido. Essas questões, uma vez destacadas, vão ser analisadas com a devida atenção. Os pontos fortes e fracos da análise de risco da operação devem estar bem claros, para que as equipes envolvidas possam formar uma visão objetiva e informada da situação.

16h Somos movidos pela deadline para produção desse relatório e temos de ajustar nossos horários de acordo com esse prazo. Normalmente nós preparamos os esboços iniciais e checamos com os profissionais mais seniores do departamento, antes de enviá-lo para aqueles responsáveis por fechar o negócio.

17h Preparar esses esboços e deixá-los no formato certo pode levar bastante tempo, dependendo da complexidade da transação e das complicações envolvidas. Eu gosto de ir para a academia depois de ter terminado isso, e volto para casa por volta das 20h. Quando há mais trabalho a ser feito, eu costumo jantar na cafeteria do prédio ou pedir para um restaurante entregar comida no escritório.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo