Ferramentas de qualidade
Ferramentas de qualidade são utilizadas na indústria, mas podem ser facilmente adaptáveis para a vida cotidiana

As ferramentas de qualidade ajudam gestores todos os dias nas grande empresas. Mas e o que elas podem fazer pelas pessoas em seus desafios pessoais?

Quer saber mais sobre o assunto? O Na Prática separou um conteúdo para te ajudar a entender o conceito e vai te mostrar as 7 principais ferramentas.

Confira!

Você vai ler:

  • O que é uma ferramenta de qualidade?
  • Ciclo PDCA
  • Diagrama de Pareto
  • Diagrama de Ishikawa
  • Carta de Controle
  • Fluxograma de processos

O que é uma ferramenta de qualidade?

Ferramentas de qualidade são utilizadas na indústria, mas podem ser facilmente adaptáveis para a vida cotidiana

Em linhas gerais, as ferramentas de qualidade são um conjunto de métodos que as indústrias utilizam para definir, medir, analisar e resolver problemas.

Basicamente, os gestores de qualidade as utilizam quando compreendem que há algo a ser melhorado em um processo ligado diretamente a resultados.

Em outro ponto, as técnicas visam resolver problemas de forma assertiva e direta. Ou seja, elas ajudam a entender onde focar mais esforços e como gastar menos energia para chegar nos objetivos.

Ao contrário do que se imagina, as ferramentas podem ser facilmente adaptáveis à vida diária (não somente nas empresas) quando existem problemas para alcançar objetivos.

Portanto, compreenda desta maneira: sempre que houver um processo estabelecido, em qualquer ambiente, é possível aplicar uma ferramenta de qualidade.

A seguir, conheça as 7 principais ferramentas de qualidade:

#1. Ciclo PDCA

O Ciclo PDCA é uma ferramenta utilizada em uma série de indústrias e que serve para resolver problemas com base um processos periódicos. 

Originalmente, o método tem relação com a obra do filósofo René Descartes, Discurso do Método, de 1637, que buscava uma forma de condução científica do pensamento humano para encontrar a verdade.

Na teoria, era isso. Na prática, a ferramenta de qualidade foi reduzida a um processo em quatro partes que se resume na sigla PDCA, em que:

P = Plan (Planejar)

D = Do (Executar)

C = Check (Verificar)

A = Act (Agir)

Confira no vídeo abaixo como utilizar o método:

#2. Diagrama de Pareto

O diagrama de Pareto é uma ferramenta de qualidade voltada para ajudar as pessoas a priorizar seus esforços.

Em outras palavras, ela ajuda as pessoas a identificarem quais são as causas mais abundantes dos seus problemas ou acertos.

Com ela, você lista todas as causas relacionadas ao seu resultado (bom ou ruim) e analisa qual destas causas mais impactou o resultado.

Na prática, o diagrama é baseado em um estudo que mostra que, na maioria das vezes, a grande parte do resultado (80% dele) está relacionado a à menor parte das causas (20% delas).

Clique aqui e acesse o Guia do Na Prática sobre Diagrama de Pareto e aprenda a utilizar essa ferramenta de qualidade

#3. Diagrama de Ishikawa

Um passo anterior à priorização talvez seja a definição dos problemas (ou causas) que geram determinado efeito.

Foi pensando nisso que o engenheiro químico Kaoru Ishikawa criou, em 1943, um método que mais tarde também seria chamado de Diagrama de Causa e Efeito ou Diagrama Espinha de Peixe.

Nele, as pessoas analisam os processos que conduzem a equipe ao resultado e determinam possíveis problemas em 6 diferentes frentes: Método, Mão de Obra, Material, Medição, Meio Ambiente e Máquina.

Trata-se de uma análise inicial que pode permitir aos membros da equipe compreenderem o que é mais e o que é menos impactante para o resultado final.

Basta que você questione da seguinte maneira: quais pontos relacionados ao método de trabalho são potenciais causas? E quais problemas na mão de obra são potenciais causas? E assim por diante, até esgotar as frentes.

#4. Carta de Controle

Ferramentas de qualidade: carta de controle

A carta de controle é uma ferramenta de qualidade que serve para analisar os processos enquanto eles já estão em curso.

Fundamentalmente, ela ajuda os gestores a verificar se houve falhas em diferentes processos e avaliar, no fim, se essas falhas foram além ou abaixo do aceitável.

A metodologia diz que os gestores precisam determinar previamente esses limites que vão do melhor cenário (com falhas quase zeradas), passando pelo cenário regular (com falhas controláveis), e finalizando no ponto limite (quando as falhas comprometem a qualidade dos produtos e serviços de modo perigoso).

Cada organização e cada equipe precisam determinar esses limites com base em suas realidades.

O controle pode ser muito útil para equipes e pessoas que controlam diversos processos ao mesmo tempo e que acontecem em grande volume. No fim, pode ajudar a priorizar melhorias.

Produtividade: tudo que você precisa saber para se tornar mais produtivo

#5. Fluxograma de processos para ferramentas de qualidade

Ferramentas de qualidade: fluxograma de processos
Exemplo de fluxograma sobre venda de pizza

Seguindo com as ferramentas de qualidade, chegamos ao Fluxograma. Aqui, a ideia é criar um desenho do processo que permite à equipe chegar a um resultado.

A ideia é que todas as pessoas envolvidas no processo tenham uma visão clara sobre cada uma de suas etapas.

Assim, é possível avaliar onde há falhas, onde cabem melhorias e é possível até redesenhar todo o processo.

No fim as contas, o fluxograma é uma das ferramentas de qualidade que pode ser considerada base entre todas as outras. Isso porque sem conhecer o processo é impossível melhorar.

Os melhores conteúdos para impulsionar seu desenvolvimento pessoal e na carreira.

Junte-se a mais de 1 milhão de jovens!
Casdastro realizado, fique ligado para os conteúdos exclusivos!
Seu cadastro não foi realizado, tente novamente!

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: