Um Projeto: Fundação Estudar
estilos de produtividade

Os 4 estilos de produtividade: identifique o seu para desenvolvê-la

Por Suria Barbosa

Não existe receita de bolo para a produtividade: entender onde você se encaixa, dentro os quatro principais estilos, permite que crie um plano personalizado e efetivo para executar mais e melhor.

Você já tentou alguma medida conhecida para aumentar a produtividade e, por mais que provada por outros, não viu melhora na sua rotina? Não tem nada de errado nisso; na verdade, é uma consequência do fato de que existem diferentes estilos de produtividade, e não levá-los em conta na hora de escolher uma ferramenta pode fazer com que ela seja inefetiva.

Embora fazer o que se encaixa com sua personalidade seja um processo comum para os seres humanos – é um padrão habitual perceber, processar e gerenciar as informações que guiam comportamento -, ser bombardeado com informações “decisivas”  sobre isso faz com que as pessoas, com frequência, contrariem seus instintos. Essa é a opinião de Carson Tate, coach, consultora de produtividade e especialista em organização, tema de um artigo seu no site 99u.

“O primeiro passo para tornar sua produtividade pessoal é identificar o seu estilo, para que você possa trabalhar em sincronia com suas inclinações naturais”, explica ela. “Cada um tem suas próprias forças e ferramentas preferidas baseadas nesses poderes.”

Os quatro estilos de produtividade

Conheça os estilos de produtividade, de acordo com o que diz a especialista, para criar um plano de ação adequado para desenvolver sua eficiência.

Cursos da Fundação Estudar

#1 Priorizadores

Os Priorizadores adotam sempre o pensamento lógico, analítico, baseado em fatos, crítico e realista. Para aumentar sua eficiência, determinam o tempo necessário para concluir parte das tarefas, a fim de planejar com mais precisão seus dias e semanas. “Eles nunca atingem uma meta da qual não gostam e aplicam foco semelhante ao de um laser para garantir que atinjam seus objetivos”, destaca Tate. Porém, muito focados na execução, quase não gastam tempo ou energia no como.

Boas contribuições: 

  • análise de dados;
  • análise crítica e resolução lógica de problemas e
  • orientação, consistência e determinação em relação ao objetivo.

#2 Planejadores

Planejadores desenvolvem pensamentos organizados, sequenciais, planejados e detalhados. Embora à primeira vista possam parecer como os Priorizadores, os Planejadores mergulham mais nos detalhes de um projeto, enquanto o Priorizador se concentra apenas no que os ajudam a concluir o projeto com rapidez e precisão. Além de gostarem de ferramentas de planejamento, prosperam quando há cronogramas e planos de ação para projetos.

Boas contribuições: 

  • orientação à ação e praticidade;
  • encontrar falhas negligenciadas em planos e projetos e
  • organizar dados e planos.

#3 Organizadores

Organizadores preferem pensamento de apoio, expressivo e emocional. Eles se destacam ao trabalhar em parceria. Comunicadores naturais, possuem boa habilidade de facilitar reuniões. Não gostam de contato que não leva um toque pessoal ou quando os outros confiam demais em dados ou fatos. Adoram histórias, contato olho-a-olho, expressam preocupação com os outros e fazem perguntas sobre como um projeto ou uma tarefa ajuda as outras áreas.

Boas contribuições: 

  • antecipar como os outros se sentirão e entender emoções;
  • facilitar interação do time e
  • convencer e vender ideias.

#4 Visualizadores

Visualizadores preferem um pensamento holístico, intuitivo, integrador e sintetizador. Eles prosperam sob pressão e ficam facilmente entediados se não estão lidando com projetos diversos, ao mesmo tempo. Concentram-se nos conceitos gerais e amplos, responsáveis por conexões. Por conta disso, por vezes, tendem a ignorar detalhes e valorizar mais as do que o processo. Sua espontaneidade e impulsividade excessivas podem levar a ideias inovadoras, mas também atrapalhar planos.

Boas contribuições: 

  • inovar, servir como catalisadores para mudanças;
  • resolver problemas criativamente e
  • visualizar o futuro, reconhecer novas oportunidades e integrar ideias e conceitos.

Você quer entender com mais assertividade onde se encaixa entre os estilos de produtividade? E ainda o que fazer depois, para melhorar a capacidade de execução? Conheça o curso Produtividade Na Prática!

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo