Um Projeto: Fundação Estudar
Homem jovem de óculos sorri em frente ao laptop

‘É importante ser obcecado por metas e resultados’, diz profissional de marketing digital

Por Rafael Carvalho

Formação, dia a dia, desafios... Conheça a experiência de quem sempre trabalhou com marketing digital e entenda o que é preciso para se tornar um bom profissional

Para entender melhor sobre como é a carreira em marketing digital, nada melhor do que conhecer quem já passou por várias experiências envolvendo a área. Empreendedor por natureza, Vinícius Mont Serrat criou o seu primeiro negócio na internet aos 16 anos. Aos 18 fundou a primeira agência especializada em mídias sociais de Minas Gerais e aos 22 se mudou para São Paulo, onde atuou na gestão e na estratégia de mídias digitais da Coworkers.

Atualmente, com 24 anos voltou a empreender com o objetivo de mudar, pelo menos uma parte, do mundo. Para isso, lidera a Pocket Lab, que atende projetos de desenvolvimento e consultoria de marketing digital, e a DigiPocket com foco na educação de micro e pequenos negócios através da internet.

Formado em Administração, acredita que o curso foi a sua base para entender sobre negócios, finanças e marketing: “Isso é muito importante para você compreender o seu cliente, e assim poder comunicar o produto dele da melhor forma e saber avaliar se está havendo retorno sobre o investimento. O conhecimento técnico é importante, mas mais importante que isso é entender que o marketing digital precisa gerar lucro, pois só assim ele se torna sustentável.”, comenta Vinícius.

Por outro lado, ele diz que é impossível generalizar e apontar qual seria a melhor formação para quem quer trabalhar com marketing digital, já que isso depende muito da área pela qual a pessoa se interessa: “Para a área de Business Intelligence (BI), por exemplo, ter formação acadêmica em Matemática ou Estatística, é um grande diferencial. De qualquer forma, o curso superior é apenas uma base geral, pois os estudos não podem parar nunca. Estar sempre em busca de cursos online e presenciais para atualizações e ganho de conhecimento devem ser sempre uma das prioridades.”

O perfil ideal Entre as competências que um cargo na área de marketing digital exige, Vinícius ressalta algumas características: “É preciso ser multifuncional, proativo e atento a toda e qualquer novidade que surge, o tempo todo. Outra coisa importante é ser obcecado por metas e resultados, porque neste universo cada detalhe pode provocar mudanças enormes”, explica. 

No dia a dia, o principal desafio desse profissional é conseguir acompanhar as transformações da tecnologia e de comportamento das pessoas, que acontecem em uma velocidade extremamente rápida e por vezes, até surreal: “Seguir essas mudanças faz com que você continue andando na frente e colhendo os melhores frutos. Outro desafio importante é ter foco no objetivo, e não desviar a atenção dele, pois isso pode te levar para longe do que foi combinado no início.”

Empreendedorismo x grande agência Logo no início da sua carreira em marketing digital, em 2008, Vinícius montou a sua própria agência especializada, a I9 Social Media, junto com a sócia Mariana Veiga. “A fase inicial da empresa foi de educar um mercado que não conhecia as redes sociais, e muito menos sabia que ela poderia gerar negócios e lucro para suas empresas. Apesar da fase difícil, em pouco tempo os resultados alcançados nos deram visibilidade e credibilidade, e fizeram a empresa decolar e se tornar lucrativa.”

Em busca de novos desafios, em 2012, Vinícius e Mariana decidiram vender a agência e aceitaram o convite de integrar a equipe da Coworkers: “Passamos dois anos trabalhando em um universo com muitas diferenças do que estávamos acostumados, mas com um mesmo interesse, em resultados palpáveis que fizessem valer a pena o investimento realizado. Durante este período, tive a oportunidade de liderar toda a operação da empresa, uma área até então pouco desbravada por mim – monitoramento e métricas -, além de gerenciar projetos e clientes diretamente. Em todos os casos, o intraempreendedorismo foi fundamental para me manter satisfeito profissionalmente, e para amadurecer a empresa onde eu estava”, explica.

Sobre as principais diferenças dessas fases da carreira, ele afirma que a principal é o paradoxal conflito entre o tempo livre e a liberdade: “Quando você é dono do próprio negócio, tem menos tempo livre, porém mais liberdade para fazer seus horários. Por outro lado, quando você trabalha em uma empresa como funcionário, você tem mais tempo livre, mas menos liberdade para fazer seus horários.”

Para Vinícius, apesar das peculiaridades que envolvem a rotina de cada profissional e empresa, uma coisa nunca pode mudar para quem trabalha com marketing digital: o respeito e zelo pelo capital do cliente, independente do seu tamanho. É preciso entender que o principal foco deve ser solucionar o problema de quem te contrata, em busca da meta que foi traçada, seja ela qual for.

Marketing digital no Terceiro Setor É importante ressaltar que um profissional de marketing digital também pode trabalhar em outros setores da sociedade. Para falar sobre isso, Vinícius comenta sobre o período em que trabalhou na Coworkers e participou de um projeto com a Fundação Fenômenos, criada pelo ex jogador de futebol e camisa 9 da seleção brasileira Ronaldinho, que tem como maior objetivo aumentar o IFB (índice de felicidade bruta) do Brasil, viabilizando outras ONGs a cumprirem seus objetivos:  “Organizações do terceiro setor, apesar de não parecer, tem objetivos muito similares aos de outras empresas, ou seja, busca por aumentar seus recursos e engajar mais pessoas. A grande diferença é como elas fazem e transmitem isso para o seu público.  Algo que conta a favor do terceiro setor, é a maior facilidade em contar histórias, e com isso engajar pessoas”.

Para seguir carreira em marketing digital Unir a teoria e a prática é a chave para ser um excelente profissional da área. É preciso estudar muito, acompanhar as novidades do mercado, analisar o que tem dado certo e o que tem dado errado. Acompanhar e saber o que é tendência, o que é realidade e o que já se tornou passado. Ver como as pessoas se comportam em determinados ambientes, como engajar e como liderar grupos: “Estudar tudo isso te garante apenas 50% do que você precisa para ter sucesso. Os outros 50% estão na prática. Ela prova o que realmente dá certo ou não.”, afirma Vinícius.

Por isso, se você quer seguir essa trilha profissional, a dica final é uma só: seja estudando ou praticando, comece a traçar o seu futuro agora.


O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo