Um Projeto: Fundação Estudar
controlar as distrações tecnológicas

Especialista dá 3 conselhos para você controlar as distrações tecnológicas e ser mais produtivo

Por Colunista do Na Prática

Não é fácil equilibrar tecnologia com o trabalho profundo no dia a dia. Cal Newport, professor e especialista em gestão do tempo, encontrou a receita para a harmonia com base em três regras simples.

Cal Newport trabalha de um jeito diferente. Se ele quer terminar suas tarefas até 17h30, por exemplo, primeiro organiza sua agenda de trás para frente e encaixa o que deve ser feito até este horário.

Ele consegue fazer muita coisa nesse meio tempo: no cotidiano corrido de professor de ciência de computação da Georgetown University, ele arranjou espaço para escrever cinco livros e ainda mantém um blog muito popular sobre gestão do tempo e estudos, Study Hacks: Decoding Patterns of Success.

A motivação é muito poderosa nesse momento, explica Newport. Ele quer produzir o suficiente para poder fechar o computador, silenciar o celular e passar tempo com a família sem sentir peso nas costas. É isso que o impulsiona a focar na tarefa em questão. Ter sua própria motivação clara é, portanto, o primeiro passo para realmente gerir seu tempo da melhor maneira.

Leia também: Aprenda a se desligar – dicas para melhorar sua relação com a tecnologia e aumentar sua produtividade

E para que a prática funcione de verdade, é preciso ser honesto em relação ao papel da tecnologia no dia a dia. Muitos dos programas disponíveis hoje no seu computador ou celular dependem de sua atenção e fazem o possível para consegui-la. É por isso que você provavelmente já abriu outra aba ou checou seu smartphone desde que começou este texto: essas características viciantes são reais.

No podcast americano The Ezra Klein Show, Newport falou sobre seu método de trabalho, que une trabalho profundo (Deep Work dá nome ao seu bestseller sobre o tema), boa forma cognitiva (uma forma de autocontrole) e o que ele chama de “produtividade com agenda fixa” (se ater ao que está marcado).

“Se você prioriza a profundidade, foca intensamente nas coisas que importam e é cético em relação às coisas superficiais que não importam, isso não te transforma num autômato”, começa. “Na verdade, isso abraça e amplifica o que o torna humano. Pensar profundamente, por exemplo, é uma atividade profundamente humana.”

Veja a seguir 3 de seus conselhos para quem quer começar a ter mais domínio sobre seu próprio tempo e produtividade:

#1 Reserve tempo para o trabalho profundo

Abra seu calendário e, ao longo das próximas semanas, reserve blocos de tempo para fazer este trabalho profundo, como Newport se refere à habilidade de focar sem distrações em uma tarefa cognitivamente exigente. Ele recomenda algo como três ou quatro horas por semana, para começar.

“Se alguém tentar marcar algo durante este tempo, diga: ‘Estou ocupado nessa hora, mas eis aqui meus horários disponíveis.’” Essa mesma disciplina deve ser aplicada a si mesmo: tenha tolerância zero com suas distrações. Não use a internet e nem olhe para o telefone nesses momentos.

Leia também: Técnicas de mindfulness para treinar a concentração

#2 Busque sua “boa forma cognitiva”

Se você não consegue ou não quer sair das redes sociais como um todo, pode diminuir seu acesso a elas ao remover os ícones do celular. Segundo Newport, logar no Facebook ou no Twitter fica 10% mais difícil assim e só isso basta para que algumas pessoas parem de utilizá-las. Esta ação também vai ajudá-lo a ter uma visão mais realista de suas necessidades.

#3 Comece a agendar todo tipo de coisa, mesmo lazer

Utilize sua agenda para manter o controle sobre seu tempo como um todo. A ideia por trás desse exercício é praticar a resistência. Você quer ver um episódio daquela série? OK, mas não agora: há tempo para isso mais tarde. Um break para checar o feed do Instagram? Reserve 5 minutos na agenda.

E não é preciso ser espartano para ser produtivo. “Mesmo que você tenha marcado 25 blocos de tempo ao longo do dia para olhar coisas estimulantes, ainda há espaços entre eles em que você vai sentir vontade de checar as coisas – e vai poder dizer não”, explica. Toda vez que fizer isso, fortalecerá seu autocontrole.

 

Esta matéria foi originalmente publicada no blog da Udacity.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo