Conselho de Administração

O conselho de administração é uma estrutura comum na governança de empresas, órgãos do governo e até de organizações sem fins lucrativos. Trata-se de um grupo de profissionais experientes que acompanha o trabalho realizado pela diretoria. No caso de empresas de capital aberto, o conselho atua como “a voz dos acionistas” nas decisões mais importantes. 

Mas não são apenas empresas de grande porte que podem ter um conselho – a Endeavor, por exemplo, recomenda fortemente que seus empreendedores adotem Conselhos Administrativos ou Consultivos. A diferença entre esses dois é que, enquanto o Conselho Administrativo tem de fato uma atuação deliberativa, o Conselho Consultivo atua mais como um mentor para a organização, oferecendo pareceres e recomendações que podem ou não serem adotadas.

Mas o que faz, de fato, um conselheiro de uma empresa? E qual a rotina de um profissional que se dedica a essa função? Mario Mello, ex-diretor geral do PayPal Brasil e que hoje compõe o conselho de empresas como Construtora Tenda e Track & Field, explica que as principais responsabilidades estão relacionadas à visão estratégica da organização. “O planejamento dá o norte da agenda, e o conselho avança em temas a cada reunião para evoluir esta estratégia”.

 

 

Leia também: Desvendando o C-Level: CEO e os outros cargos do alto escalão executivo

No cenário ideal, ele diz, a diretoria envia os materiais a serem discutidos cerca de 3 dias antes. As reuniões, que podem ter uma frequência mensal ou superior, duram entre 2 e 8 horas. “Nessas reuniões, há muito de atualização, deliberações e decisões sobre investimentos – como por exemplo, no caso da construção de uma fábrica nova, a administração precisa convencer o board da necessidade”.

Também há casos, segundo ele, em que o conselheiro assume uma posição de suporte à administração – quase como um mentor. “Perguntamos para o CEO: o que está te fazendo perder o sono? E assumimos uma atuação bastante prática com relação às principais oportunidades”. 

Quem define o Conselho?

Tanto as atribuições do conselho quanto sua organização são geralmente determinadas por regulações governamentais e pelo estatuto da própria organização. Essas orientações especificam o número de membros do conselho, como eles devem ser escolhidos e a frequência das reuniões. A maior parte dos conselhos varia entre 3 e 30 membros, mas alguns analistas apontam que o número ideal é 7. 

A B3, por exemplo, explica em seu site que seu conselho de administração é responsável pela “definição de estratégia e orçamentos anuais, bem como decisão sobre quando chamar Reuniões de Acionistas e propor divisão de dividendos”. Lá, o Conselho também é responsável por eleger e supervisionar os diretores e escolher auditores externos. O conselho se reúne mensalmente e os 11 membros são eleitos nas Reuniões de Acionistas para um mandado de 2 anos. 

Principais atribuições do Conselho de Administração

  1. Acompanhar e orientar a estratégia da organização;
  2. Contratar e avaliar a performance do CEO/presidente da organização; 
  3. Acompanhar o orçamento anual da organização;
  4. Deliberar sobre investimentos e movimentos estratégicos.

Como se tornar um membro do Conselho?

Conselhos não são apenas compostos de executivos aposentados ou próximos do encerramento de suas carreiras. Mario Mello começou bastante jovem – aos 37 anos, quando assumiu o conselho da Visanet. No entanto, a essa altura ele já acumulava vasta experiência em posições de diretoria e gestão de pessoas. 

Este é o caminho para assumir uma posição de conselheiro – acumular experiência relevante no setor, com vivência em altos níveis de gestão e tomada de decisão. O WalMart, por exemplo, afirma que procura board members com “realizações profissionais relevantes, ampla experiência e sabedoria, integridade, experiência com e entendimento do ambiente de negócios”, além de algumas expertises específicas, como “experiência com e-commerce e tecnologia, marketing, finanças ou jurídico”. 

Leia também: 5 lições de carreira do executivo multidisciplinar que foi da presidência da Eli Lilly ao comitê da WWF

Ou seja, para se tornar um membro do Conselho de Administração, quanto mais qualificações forem trazidas à mesa, melhor. Pesquisar sobre a trajetória de conselheiros de empresas em que você desejaria atuar é outra forma de identificar o que ela estaria buscando em novos membros. 

Por fim, é importante que você estabeleça boas relações nas organizações pelas quais passar e nas suas interfaces profissionais, de forma a deixar portas abertas para uma possível recomendação.

Os melhores conteúdos para impulsionar seu desenvolvimento pessoal e na carreira.

Junte-se a mais de 1 milhão de jovens!
Casdastro realizado, fique ligado para os conteúdos exclusivos!
Seu cadastro não foi realizado, tente novamente!

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: