Um Projeto: Fundação Estudar
Homem ergue moedas pesadas em pilha

Os 5 passos para conseguir dinheiro para montar seu negócio

Por Rafael Carvalho

Especialista dá dicas sobre a escolha do modelo certo de investimento e o caminho até a assinatura do contrato

Pense bem: se hoje exitem muitos jovens que estão revolucionando o mercado e desbancando as grandes empresas, também existe gente interessada em investir dinheiro nessa pessoas. Mas não se iluda: a concorrência está cada vez mais forte e você deve se preparar corretamente antes de sair por aí pedindo contribuições para seu negócio.

Para ajudar quem está pensando em bater na porta de algum investidor, organizamos um guia com a ajuda do empreendedor e especialista no assunto, Alessandro Saade. “Um investidor pode existir dentro da sua casa ou estar em instituições governamentais e financeiras dispostas a colocar milhões nas iniciativas. Isso depende do que você quer montar e do tamanho do negócio. Saber desses pressupostos é fundamental para procurar o investidor certo”, afirma Saade, organizador dos “Empreendedores Compulsivos”.

Esse processo poderia ser dividido em cinco etapas: Preparação, Escolha do modelo de investimento, Apresentação, Explicação e Negociação. Obviamente, nem sempre todas elas estão presentes na busca por um investimento ou então se apresentam simultaneamente na prática, mas os passos a seguir podem ser um bom referencial.

1. Preparação

É o começo do caminho, quando você delimita seu negócio, a área de atuação, o mercado e o tamanho do investimento que será necessário. Um plano de negócios é fundamental para reunir essas informações e você pode encontrar um modelo no site do Sebrae. Com essa etapa bem cumprida, você saberá o que precisa e convencer o investidor será tarefa mais factível. Imagine-se do outro lado da mesa e responda: você colocaria dinheiro em um negócio que nem mesmo os responsáveis sabem do que se trata?

2. Escolha do modelo de investimento

Definido o plano de negócios, tente encaixa-lo diante das oportunidades de investimentos oferecidas no mercado. De forma geral, podemos destacar três: Investidor-anjo (de 10 mil reais a 500 mil reais):  pessoas físicas que possuem algum capital guardado e estão dispostas a aplica-lo em negócios que podem crescer. Pode ser desde um amigo bem sucedido do seu pai até empresários dispostos a te ajudar no empreendimento. Clubes de investidores (de 500 mil reais a um milhão de reais): geralmente trata-se de um grupo de pessoas que buscam negócios que possam render bem. Algum deles traz uma ideia e ele buscam as pessoas que vão investir no negócio. Aqui ainda existe um lado romântico, de paixão, por ver pequenas empresas arrebentando no mercado com o investimento alocado. Fundos de investimentos (acima de um milhão de reais):  essa é a escolha de quem realmente sabe o que quer e está preparado para chegar lá. Trata-se de uma pessoa jurídica que reúne um conjunto de investidores (cotistas) com o objetivo de obter ganhos financeiros a partir da aquisição de uma carteira de investimentos. Nada de romantismo, aqui o cenário é para big players.

3. Apresentação

É a hora que você vai “vender o seu peixe”. Investidores costumam dizer que o empreendedor deve ser capaz de convencê-los em 5 minutos de conversa. Para facilitar nisso, montamos uma apresentação com 5 slides: 1º) o que é a empresa e para que serve; 2º) qual o modelo de negócios (como você ganhará dinheiro com aquela empresa), 3º) qual o tamanho do mercado e pessoas atingidas (fundamental para mostrar as potencialidades do negócio), 4º) para alcançar esse mercado, preciso de tal infra-estrutura e o valor correspondente (apresentação dos valores de investimento), 5º) como funcionará o negócio (entrada e saída de dinheiro, inclusive do investidor, e projeções de metas).

4. Explicação

Se o investidor gostar do que viu na apresentação, ele te chamará para uma conversa mais detalhada. Portanto, prepare-se para uma bateria de perguntas, já que surgirão todas as dúvidas possíveis sobre aquela atividade.  Procure demonstrar confiança, mas não pareça arrogante caso esteja diante de algum fator que ainda não havia sido pensado para esse negócio.

5. Negociação

Perguntas respondidas, o investidor parece estar convencido de que aquela é uma boa oportunidade para ele colocar seu dinheiro. Mas fique calmo, chegou a hora mais delicada: a negociação do modelo de contrato, os valores e periodicidade de retirada, etc. Provavelmente ambas as partes terão que ceder para que haja um acordo. Cabe a você avaliar se vale a pena aceitar a contra-proposta ou procurar um novo investidor para o negócio.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo