Um Projeto: Fundação Estudar
Claudio Haddad, presidente do Insper

O perfil de um jovem no mercado financeiro, segundo o fundador e presidente do conselho do Insper

Por Redação, do Na Prática

Em entrevista ao Na Prática, Claudio Haddad destaca um mercado cada vez mais analítico e garante: é importante ter garra, ética e sangue frio

Claudio Haddad fundou a faculdade Ibmec, hoje Insper, em São Paulo – instituição conhecida pela vocação em formar jovens para o mercado financeiro. Hoje presidente do conselho, ele tem experiência dos dois lados do balcão.

Formado em Engenharia Mecânica e Industrial pelo Instituto Militar de Engenharia, é doutor em Economia pela Universidade de Chicago e deu aulas de pós-graduação na Fundação Getulio Vargas (FGV-SP) por uma década. Além disso, nos anos 1980, passou pela direção do Banco Central do Brasil e pelo Banco Garantia, onde foi sócio e diretor superintendente, além de ter integrado diversos conselhos dentro e fora do Brasil.

Assista ao Bate-Papo do Na Prática com Claudio Haddad

Em uma conversa com o Na Prática, ele elaborou sobre o perfil ideal de um jovem talento do mercado financeiro atual. “A pessoa tem que ter garra, disciplina, ética”, fala. “E não pode se deixar levar muito pelas emoções. Alguns investidores vendem quando cai e compram quando sobe quando deveria ser o contrário.”

Isso vale especialmente para os profissionais de trading, que trocam ações diariamente. É importante, continua Haddad, manter o sangue frio e investigar a situação com calma e de maneira analítica – o que os outros dizem e o ânimo do mercado nem sempre são bons indicadores.

Apesar de enxergar um mercado financeiro cada vez mais analítico e qualitativo – o que dificulta, mas não impossibilita que pessoas de outras formações encontrem sucesso nesse tipo de carreira –, ele destaca a importância das habilidades interpessoais.

“Para fazer transações de M&A [fusões e aquisições], ele precisa entender as motivações para vender ou comprar, lidar com idiossincrasias e aparar as arestas para que as coisas aconteçam ajudando seu cliente”, exemplifica.

Ele garante que seus conselhos podem ir além do pregão e dos grandes bancos. “São características que valem para várias outras atividades, não só para o mercado financeiro.”

Leia também: O dia a dia da advogada que assessora fusões e aquisições bilionárias

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo