Um Projeto: Fundação Estudar
cofre de porco rosa

Veja as formas de conseguir bolsas para faculdade (graduação e pós) no Brasil

Por diogo.vinicius@mestreseo.com.br

Programas oferecem bolsas para faculdade no Brasil nos cursos de graduação e pós. Mérito e condições socioeconômicas são os principais requisitos para conseguir uma oportunidade.

Embora o Brasil tenha uma educação superior pública de qualidade, as vagas disponíveis nessas instituições não dão conta de toda a demanda que existe no país. Além disso, o topo do ranking de melhores cursos, em muitas áreas, costuma ficar com faculdades particulares de ponta.

Assim, não são poucos os estudantes diante do desafio (muitas vezes familiar) de arcar com as altas mensalidades de um bom curso, e ainda dar conta do aumento de gastos quando o estudo também envolve mudança de cidade. Soma-se a isso a situação econômica pouco favorável no país, e a necessidade de apoio financeiro e bolsas de estudos fica ainda maior.

Você também está no grupo de pessoas que buscam auxílio financeiro para conquistar seu diploma? Nesta lista, o Na Prática separou algumas fundações que oferecem bolsas para faculdade e outros recursos para ajudar quem está em busca desse tipo de apoio, assim como algumas faculdades e universidades particulares que também oferecem internamente bolsas para seus alunos.

Bolsas para Graduação

 

Fundação Getúlio Vargas

A FGV, tanto da unidade do Rio de Janeiro como na de São Paulo, oferece modalidades específicas de bolsas para se adequar à necessidade dos seus alunos. Na bolsa por mérito, os aprovados nos primeiros lugares (tanto pelo Enem como pelo vestibular) para qualquer um dos cursos graduação oferecidos pela faculdade – Administração, Administração Pública, Direito, Economia, Matemática Aplicada, Ciências Econômicas, Ciências Sociais – ganham entre 50% e 100% de bolsa, sem a necessidade de comprovação socioeconômica.

A universidade também oferece bolsas por demanda social, concedidas de acordo com a necessidade financeira e social do aluno. Essa modalidade possui bolsas semestralmente renováveis de acordo com critérios estipulados por cada curso. Existe também a possibilidade de conseguir uma bolsa restituível, que funciona como um financiamento realizado pelo Fundo de Bolsas da faculdade e que deve ser pago de volta pelo aluno no futuro, com condições facilitadas.

Saiba mais aqui sobre as bolsas da FGV

Insper 

O programa de bolsas do Insper, em São Paulo, foi criado em 2004 por meio de um Fundo de Bolsas. Atualmente, a instituição possui 214 alunos bolsistas e outros 234 já graduados. Dos alunos de graduação, 11% são bolsistas. Como parte do processo de concessão das bolsas de estudos, são realizadas entrevistas coletivas com os candidatos que solicitarem esse benefício, no momento da inscrição no vestibular.

Na seleção dos bolsistas, são considerados tanto a análise de renda do candidato como alinhamento aos valores do Insper e a performance no vestibular. O programa possui tanto bolsas integrais não-restituíveis (que não precisam ser pagas), como bolsas parciais restituíveis (espécie de financiamento, que depois de um ano de formado o aluno começa a devolver em condições facilitadas de pagamento). O Insper possui os seguintes cursos de graduação: Administração, Economia e Engenharia.

Saiba mais aqui sobre as bolsas do Insper

PUC-SP

A Pontifícia Universidade Católica de São Paulo mantém uma política consolidada para a concessão de Bolsas de Estudo aos alunos da graduação. A modalidade por mérito oferece 100% de bolsa ao primeiro classificado no vestibular. Essa bolsa é pessoal e intransferível, e a renovação depende de bom rendimento acadêmico. Também existem bolsas institucionais de caráter social, baseadas na condição econômica do aluno, que são ofertadas semestralmente através de editais publicados pela universidade, e podem ser integrais ou parciais (50%). De Filosofia à Engenharia de Produção, a PUC possui diversos cursos. Veja a lista completa aqui.

Saiba mais aqui sobre as bolsas da PUC SP

Fundação Cásper Líbero

A tradicional escola de comunicação, em São Paulo, oferece bolsas por mérito aos três melhores colocados no vestibular, que vão de 20% a 70% e valem durante o primeiro ano letivo. Também existe a possibilidade de bolsa socioeconômica (que só pode ser pedida a partir do segundo semestre e cobre 25% e 70% do valor do curso) e por estágio e monitoria, que fornece 100% de bolsa ao aluno que trabalhar em um dos departamentos da fundação. Estudantes envolvidos em iniciação científica ganham 25% de bolsa.

Saiba mais sobre o programa de bolsas da Cásper Líbero

ESPM 

A Escola Superior de Propaganda e Marketing, em São Paulo, oferece 5 bolsas de estudo para cada um de seus cursos, sendo 3 para os estudantes provenientes de escolas públicas e 2 para os provenientes de escolas particulares, contemplando os mais bem classificados no vestibular. Os descontos vão de 75% a 90%.

A ESPM também oferece uma modalidade de bolsa de estudo baseada no critério socioeconômico familiar, entre 50% e 75%, mas que também leva em consideração o desempenho no vestibular.

Saiba mais aqui sobre as bolsas da ESPM

PUC-RJ

A PUC carioca possui bolsas por mérito (distribuídas aos melhores colocados nos processos de seleção, tanto do vestibular como do ENEM e que demandam bom rendimento acadêmico para serem mantidas), bolsas para alunos que trabalharem como monitores de disciplinas ou realizarem iniciação científica, além de descontos para os alunos com melhor performance acadêmica. Também existem bolsas filantrópicas (integrais ou parciais) e possibilidades de financiamento para alunos de baixa renda e que estejam na primeira graduação.

Saiba mais aqui e aqui sobre as bolsas da PUC RJ

PUC-MG

A PUC de Minas Gerais oferece bolsa de destaque acadêmico, com benefício de 50% concedido ao aluno que obtiver o melhor rendimento acadêmico semestral por curso, turno e unidade. O benefício será adquirido no semestre imediatamente posterior. A universidade também possui uma modalidade de bolsa bastante específica, a CSM, benefício de 50% concedido aos 30 alunos que estudaram os três anos do Ensino Médio em qualquer Unidade do Colégio Santa Maria e obtiveram as melhores notas, prestaram ENEM e ingressaram na PUC Minas.

Saiba mais sobre as bolsas da PUC-MG

Estas são apenas algumas das universidades que oferecem bolsas de estudo a seus alunos. Se você tem outra universidade em mente, procure no site da instituição quais as formas de apoio financeiro oferecidas. Para a graduação, também existe a possibilidade de conseguir auxílio via programas do governo, como Prouni ou Fies. Entenda a seguir:

Prouni

É, de longe, o programa de democratização do ensino superior com o maior alcance. Em sua primeira edição de 2016, ofereceu mais de 263 mil bolsas, segundo dados do Ministério da Educação (MEC). O Programa Universidade para Todos (ProUni), iniciativa do Governo Federal, oferece bolsas de estudos integrais e parciais (50%) para pessoas de baixa renda que foram bem no Enem mais recente e se encaixam nos critérios de escolaridade. As bolsas são bancadas pelo governo por meio de renúncia fiscal de tributos que deveriam ser pagos pelas universidades.

Podem participar estudantes egressos do ensino médio da rede pública; estudantes egressos da rede particular, na condição de bolsistas integrais da própria escola; estudantes com deficiência e professores da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica, integrantes de quadro de pessoal permanente de instituição pública.

Saiba mais sobre o ProUni aqui

FIES

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é outra iniciativa do Governo federal. É importante destacar que não oferece bolsas e sim contratos de financiamentos para estudantes de baixa renda, com juros baixos e prazos a perder de vista. Para se inscrever no Fies é preciso ter obtido uma nota mínima no Enem e comprovar renda familiar mensal baixa.

Saiba mais sobre o FIES aqui

Também existem organizações do terceiro setor que apoiam financeiramente o estudo na graduação:

Instituto Semear

O Instituto Semear oferece apoio financeiro para estudantes de baixa renda que passaram no vestibular em outra cidade, mas não dispõem de recursos financeiros para iniciar os seus estudos. Para participar, é necessário ter estudado em escola pública ou particular com bolsa, e estar na lista de aprovados de alguma universidade pública (ou particular com bolsa integral do ProUni, no caso da Unidade São José dos Campos). Quem estiver dentro desses requisitos deve se inscrever no próximo processo seletivo da ONG.

Saiba mais sobre as bolsas do Instituto Semear

Bolsas para faculdade da Fundação Estudar

A Fundação Estudar seleciona jovens talentosos na faixa dos 16 e 34 anos para estudar nas melhores universidades do Brasil e do mundo. Um dos critério de seleção é o desejo de trazer mudanças positivas em áreas chave para o país. Durante todo o curso, os bolsistas são acompanhados e orientados por meio de técnicas de coaching e mentoring para aproveitar sua formação e conquistar melhores oportunidades de trabalho.

Saiba mais sobre as bolsas da Fundação Estudar

Bolsas para Pós-Graduação

 

Se a sua intenção é realizar um curso de pós-graduação em uma instituição particular no Brasil, vale conferir as políticas institucionais da faculdade que você tem em mente – grande parte delas, inclusive, dispõe de fundos próprios que podem ajudar no financiamento. Também existem órgãos público que fornecem apoio. Veja a seguir:

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)

Se você tem adiado sua pós-graduação por falta de dinheiro, saiba que o próprio governo oferece bolsas para faculdade nesse nível acadêmico. O CNPq concede bolsas para alunos de pesquisa científica e tecnológica no Brasil e no exterior. Para pós-graduandos, as ofertas vão do mestrado (R$ 1.500) ao doutorado pleno e doutorado sanduíche dentro do Brasil (R$ 2.200 cada). A seleção é feita diretamente pelo CNPq ou pelas instituições de ensino que recebem as bolsas.

Saiba mais sobre o CNPq aqui

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes)

Sob a tutela do Ministério da Educação, o CAPES oferece bolsas para mestrado (R$ 1.500), doutorado (R$ 2.200) e pós-doutorado (R$ 4.100). As exigências variam de acordo com cada programa disponível e a seleção costuma ser feita pelos cursos e instituições do bolsista.

Saiba mais sobre a Capes aqui

Fundações de Amparo à Pesquisa (FAP)
As fundações estaduais oferecem diversos tipos de bolsas, do mestrado (R$ 1.701,90 por mês pela FAPESP, por exemplo) ao pós-doutorado (R$ 6.143,40). A seleção acontece através da análise de propostas e é voltada para alunos que desenvolvem projetos de pesquisa e estão regularmente matriculados em instituições privadas ou públicas em seus respectivos estados.

Saiba mais sobre a FAP aqui

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo