Foto de Sora Shimazaki: https://www.pexels.com/pt-br/foto/cortar-desenvolvedor-irreconhecivel-usando-laptop-e-smartphone-5926389/
Foto de Sora Shimazaki via Pexels

Em qualquer aplicação web, há necessariamente uma estrutura (da mais simples à mais complexa) que possibilita o funcionamento, de fato, da operação. Em linhas gerais, esta estrutura é chamada de back-end, enquanto a parte visível é, ao contrário, front-end. 

O desenvolvedor responsável pelo que está “por trás” da operação precisa ordenar o direcionamento ou a regra da programação. A seguir, falaremos sobre a dinâmica do back-end e com se aprimorar na carreira.

Afinal, o que faz um desenvolvedor back-end?

De maneira prática, o profissional de back-end precisa pensar em soluções para uma operação. O leque de opções é grande, portanto, uma aplicação pode ser um software, site, aplicativo etc. É importante destacar que o desenvolvedor back-end está conectado à experiência do usuário (UX), mas no sentido de proporcionar uma navegação ágil e intuitiva. Quem trabalha nesta etapa da programação precisa ter uma noção clara dos objetivos do projeto e deve ser capaz de manter a segurança das informações, principalmente com o aumento constante de dados. 

Algumas atribuições da pessoa desenvolvedora back-end são conhecimento de linguagens de programação web (tais como Python e JavaScript), integração de aplicações e domínio do banco de dados. Assim como para trabalhar com qualquer etapa do desenvolvimento, é fundamental ter raciocínio lógico para compreender códigos e comandos, além de uma visão ampla da Tecnologia da Informação.

Como se aperfeiçõar na área?

Não há um curso superior específico para quem quer se formar programador e, no caso do desenvolvedor back-end, em geral a formação é sustentada por um curso técnico. Normalmente, o caminho é uma formação superior em faculdades como de Ciência da Computação, TI ou Análise de Sistemas, além de um estudo mais voltado para esta competência, como o curso técnico em Back-end do Senac

 Também é possível complementar o currículo com uma aprendizagem das linguagens específicas com que irá trabalhar, como é o caso do curso Desenvolvedor Back-end Python, da EBAC

Contudo, quem deseja se aperfeiçoar nesta área precisa ter conhecimentos em inglês, para compreender a fundo as linguagens de programação.

Possibilidades de carreira em back-end

Não são poucas as possibilidades para trabalhar com desenvolvimento em back-end, já que, como dissemos, um profissional pode atuar em diversas aplicações digitais. Com o crescimento acelerado do e-commerce, principalmente na pandemia, as chances de colocação aumentam por uma questão de demanda de mercado, seja para trabalhar “por trás” de marketplaces ou de outros dispositivos de venda de produto. Há, ainda, a profusão de aplicativos para dispositivos móveis que requerem programação back-end, além dos jogos, que são outro caminho possível e bastante aquecido no universo da tecnologia.

Os melhores conteúdos para impulsionar seu desenvolvimento pessoal e na carreira.

Junte-se a mais de 1 milhão de jovens!
Casdastro realizado, fique ligado para os conteúdos exclusivos!
Seu cadastro não foi realizado, tente novamente!

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: