Um Projeto: Fundação Estudar
Felipe Rigoni

Felipe Rigoni: o engenheiro e coach que se tornou o primeiro deputado federal cego do país

Por Suria Barbosa

Membro da rede de Líderes Estudar e o segundo mais votado em seu estado, Felipe Rigoni defende no Congresso Nacional pautas ligadas, principalmente, à educação básica e ao desenvolvimento sócio-econômico. Conheça sua trajetória de impacto.

Depois de nove anos de tratamentos médicos intensivos, Felipe Rigoni tornou-se completamente cego. Na época, tinha quinze anos. Eleito em 2018 pelo PSB (Partido Socialista Brasileiro), tornou-se o primeiro cego a ocupar o cargo de deputado federal no país. O marco fez com que a Câmara adaptasse sua estrutura para aumentar a acessibilidade ao político, engenheiro e coach que foi o segundo mais votado para a posição no estado onde se candidatou (e nasceu), Espírito Santo.

Natural da cidade da cidade Linhares, Rigoni já atuou como coach e é engenheiro de produção por formação. Sua primeira escolha de faculdade, no entanto, foi a Física. “Apesar das dificuldades que eu enfrentava com o material, causadas pela minha deficiência, tinha muita facilidade em aprender e gostava muito do curso”, relata. “Porém, já no fim do primeiro semestre percebi que tanto no curso como na profissão de Física, eu não trabalharia diretamente com pessoas e nem teria uma vivência empresarial — dois fatores que considero essenciais para minha vida.”

A constatação fez com que mudasse para o curso de Engenharia de Produção, na mesma faculdade (Universidade Federal de Ouro Preto, em Minas Gerais), no qual se formou como melhor aluno da turma.

Durante o curso, o atual político fez um intercâmbio de seis meses nos Estados Unidos. “Achei que precisava aprender inglês e ter uma vivência internacional”, afirma. A segunda experiência de estudos no exterior veio após a graduação, com um mestrado em Oxford realizado com apoio da Fundação Estudar por meio do programa Líderes Estudar. A iniciativa, além de suporte financeiro, oferece acesso a uma rede de alto potencial – Tabata Amaral, outra deputada federal eleita em 2018, também faz parte.

Conheça mais da trajetória do deputado federal Felipe Rigoni

Destaque em empresa júnior

A “vivência empresarial”, fator determinante na escolha do curso na faculdade, também o motivou a entrar para a empresa júnior de Engenharia de Produção da UFOP. Na hora de decidir, o estudante também avaliou que a organização, chamada de Projet, também o ajudaria a desenvolver habilidades de equipe, liderança e uma postura empreendedora “necessária para que consigamos transformar nosso país em um lugar melhor para se viver.”

Na EJ, Rigoni foi trainee, assessor de Recursos Humanos, diretor de Recursos Humanos e, finalmente, presidente. Sob sua liderança, a EJ dobrou o número de consultorias realizadas em um ano e aumentou o faturamento em 16 vezes (de 11.250 reais em 2012, para 178.300 reais em 2013). Em 2014, Rigoni foi eleito presidente do conselho da Federação de Empresas Juniores do Estado de Minas Gerais (FEJEMG).

Enquanto conselheiro, fez um curso de coaching e começou a atuar no ramo, inclusive dando palestras (uma delas, na Suíça).

 

Estudos em Oxford

Em 2017, Felipe Rigoni foi aprovado em três universidades na Inglaterra para mestrado. Entre elas, a de Oxford, uma das mais renomadas do mundo. Focada em Políticas Públicas, o engenheiro considerava que o curso lhe daria mais base para trabalhar com desenvolvimento econômico e educacional no Brasil.

Com apoio do programa de bolsas da Fundação Estudar (Líderes Estudar), ele concluiu os estudos no exterior já com a ideia de voltar ao seu país natal e se inserir na política como deputado federal. O primeiro passo a caminho do objetivo final de ser presidente da república.

Tabata Amaral: conheça a jovem da periferia que passou por Harvard e hoje está no Congresso Nacional

Carreira política 

Em 2016, o engenheiro foi candidato a vereador na cidade de Linhares, pelo PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira), obtendo 1156 votos. Mesmo sendo o 14º mais votado entre 277 candidatos, Rigoni não foi eleito por conta de sua coligação, que não atingiu o quociente eleitoral (quantos votos cada partido ou coligação precisa para eleger um deputado).

Nas eleições de 2018, assim como planejava desde antes do mestrado em Oxford, Rigoni se candidatou a deputado federal pelo PSB e venceu as eleições como o segundo mais bem votado do Espírito Santo. Entre suas principais pautas no Congresso Nacional, o político defende gestão eficiente e inovadora do Estado, promoção de igualdade, principalmente, através da educação básica e desenvolvimento sócio-econômico,

Rigoni é membro do Movimento Acredito e RenovaBR, iniciativas que busca a renovação política por meio da formação e eleição de novas lideranças.

 

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo