Um Projeto: Fundação Estudar
meninas com tinta no rosto em trote da faculdade

Conheça o programa que quer incluir empreendedorismo social nas escolas

Por Redação, do Na Prática

Criado pela cineasta Mara Mourão e pela rede Atados, o Sementes de Transformação quer engajar jovens desde cedo na temática de empreendedorismo social e torná-lo pauta de políticas públicas

Mara Mourão ainda se surpreende ao pensar na resposta obtida por seu documentário Quem se Importa?, que apresenta iniciativas de empreendedorismo social pelo mundo. De salas de aula em Harvard à Nova Zelândia, foi visto por (pelo menos) centenas de milhares de pessoas e inspirou boa parte a descobrir mais sobre a área.

“Muita gente começou seu projeto social depois de ver o filme”, disse Mara em um Bate-Papo com o Na Prática. “Para mim, isso é o mais importante.”

De volta ao Brasil, o documentário se desdobrou em um movimento homônimo de educação. E em junho de 2015, rendeu mais um fruto: o Sementes de Transformação, feito em parceria com a Rede Atados de voluntariado. O programa foi lançado oficialmente em 16 de fevereiro, em São Paulo, e quer estimular jovens com mais de 14 anos a se engajarem com empreendedorismo social e o terceiro setor – as “sementes” do título. Quem quiser, pode se disponibilizar como voluntário das atividades do projeto através do site oficial.

Conheça o Imersão Impacto Social, programa de decisão e preparação de carreira do Na Prática

Entre as opções já disponíveis para as escolas interessadas estão oficinas de dois dias e encontros semanais, com mais por vir. O último, inclusive, visa concluir os meses de trabalho com a elaboração de um projeto com potencial para ser incubado pela próprio Atados, que hoje conta com o envolvimento de mais de 40 mil pessoas.

Além de oferecer acampamentos intensivos sobre o assunto para estudantes do Ensino Médio (o primeiro aconteceu em junho passado e contou com 70 participantes), o programa quer atuar em escolas, formar mentores e, por fim, tornar-se política pública e parte do currículo educacional brasileiro.

O que achou do post? Deixe um comentário ou marque seu amigo