‘Ensina Brasil’ busca jovens promissores que queiram ajudar a transformar a educação brasileira

Programa de formação de lideranças visa empoderar alunos de escolas vulneráveis ao mesmo tempo em que prepara os jovens participantes para serem agentes de transformação; inscrições vão até 19/9

Ana Pinho, do , em 16.08.2016
crianca olha para globo [divulgação]

Já ouviu falar da organização Ensina Brasil? É uma iniciativa brasileira parceira da rede Teach for All, que está presente em 40 países e é famosa por recrutar jovens de alto potencial em todo o mundo para assumir o compromisso de melhorar a educação em seus países, dando aulas em escolas vulneráveis e formando uma rede global de jovens de jovens líderes que, independente da área de atuação, segue engajada na transformação do país.

No mundo todo (e principalmente nos Estados Unidos, onde nasceu) o programa é conhecido por atrair candidatos das melhores universidades, dividindo espaço com outros “dream jobs” que se apresentam para quem se forma em uma instituição de excelência.

No Brasil, o programa está em fase inicial; foi criado este ano e recebe inscrições para a primeira turma por aqui até 19 de setembro. Trata-se da escolha dos “ensinas”, como são chamados os futuros professores por aqui.

São elegíveis brasileiros graduados em qualquer área ou em vias de concluir seus estudos até dezembro de 2016. Quem estiver com atraso de até um semestre devido às greves, que são frequentes em universidades públicas, também pode se inscrever. Não há limite máximo de idade.

“Antes de se perguntar no que trabalhar, se pergunte qual problema você quer resolver”, resume Erica Butow, cofundadora da organização e com quem o Na Prática já conversou sobre o assunto. “Se você é motivado por desafios, busca uma carreira com propósito com muitas oportunidades de desenvolvimento e quer colocar a mão na massa para ajudar a transformar a educação e o país, esse programa é para você.”

Como funciona Existe uma crise em nossos sistema educacional. Brasileiros de baixa renda estudam apenas cinco anos, em média, e só um em cada 10 alunos de baixa renda que conclui o ensino médio aprendeu o necessário em matemática. Esses são apenas alguns exemplos de uma situação de fato difícil, que envolve milhões de pessoas e que organizações como o Ensina Brasil pretendem enfrentar.

No programa, os participantes darão aulas em uma escola vulnerável por dois anos e viverão na pele o que é ter impacto. Não é preciso ter experiência pedagógica anterior: a ONG oferece duas formações, uma intensiva antes de entrar em sala de aula e outra contínua, ao longo de dois anos, para prepará-los para os desafios didáticos e desenvolver suas habilidades de liderança.

Há também parceria com universidades para a habilitação e a mentoria de professores experientes e profissionais de diversas carreiras, de acordo com o interesse dos jovens.

Baixe o Ebook: 8 Mitos sobre a carreira em Educação

ensina brasil fundacao estudar
Ensina Brasil participa do programa Imersão, do Na Prática

Contratado em tempo integral como professor temporário pelo governo que administra a escola em questão – que pode ser tanto de ensino fundamental quanto médio –, o participante ganha salário e precisa estar disponível para mudar para outras cidades, assim como ter flexibilidade em relação à disciplina que lecionará (Mas calma… Ainda assim a disciplina será sempre relacionada à graduação que você cursou!). 

O processo seletivo – totalmente conduzido pela internet – também envolve questionário de motivações, entrevistas, dinâmica de grupo e resolução de cases.

Para se preparar, a equipe da organização sugere não deixar nada para a última hora. “É uma seleção que demanda autoconhecimento e autoreflexão consideráveis”, diz Mariane Tonello, head de recrutamento e seleção da organização.

“E sabemos que apenas as conquistas não são suficientes para analisar um candidato, então olhamos também para sua trajetória”, complementa Erica. A dica é apresentar um panorama abrangente de sua vida até agora e o que quer viver no futuro.

Leia também: 6 oportunidades promissoras para quem quer empreender em educação

Cotidiano Uma vez selecionados, os novos professores têm como principal responsabilidade seus alunos. Além de ensinar o conteúdo no horário regular e contribuir para a melhoria do aprendizado, espera-se que eles desenvolvam o protagonismo dos estudantes e realmente gerem impacto naquela realidade. “O resultado mais importante é o aluno”, resume Erica.

É importante ressaltar que o Ensina Brasil não busca apenas os apaixonados por educação ou quem quer trabalhar especificamente com a área, mas pessoas que queiram impactar a realidade brasileira e crescer no processo.

Na visão da organização, as competências de um excelente líder e de um excelente professor são as mesmas – e desenvolvê-las só rende pontos positivos. Após a conclusão do programa, o participante passa a integrar a rede do Ensina Brasil, que inclui apoiadores como a Fundação Estudar, e recebe apoio para acelerar profissionalmente.

Segundo os organizadores, mesmo aqueles que deixam de ser professores costumam seguir atuando como agentes de transformação nas mais diversas áreas. É algo coerente com o perfil proativo e empreendedor buscado pela Ensina Brasil para as escolas do país.

“Queremos pessoas comprometidas com a transformação social”, conclui Erica. “O desafio é complexo e precisamos de gente boa para resolvê-lo.”

O resultado será divulgado em novembro de 2016 e o programa começa em janeiro.

Faça sua inscrição aqui!