Foto por Karolina Grabowksa

Muito se fala sobre quais são as soft skills que os profissionais devem cultivar para ter sucesso em suas carreiras – e, hoje, vamos falar de uma delas: a adaptabilidade. Trata-se de uma habilidade de se ajustar a diferentes situações e, na prática, buscar soluções diante de imprevistos. Um sinônimo possível é a flexibilidade. Em um mundo de transformações constantes, sobretudo no pós-pandemia, saber se adaptar significa ficar confortável com a mudança – e isto é muito valioso. 

Uma característica comum de profissionais adaptáveis é a capacidade de se preparar para desafios, munidos de informação. Esta é a chamada “adaptabilidade proativa”. E, vale dizer: não é algo que só determinadas pessoas têm. Qualquer um pode treinar esta habilidade sociocomportamental. 

Adaptabilidade no mundo corporativo, segundo pesquisas

Dez anos atrás, uma pesquisa da PwC já dizia que os mercados que dispunham de talentos adaptáveis eram mais eficientes e produtivos. 

Mais recentemente, a Deloitte fez um levantamento sobre adaptabilidade empresarial no pós-pandemia, tendo como gancho a ideia de que “o futuro é um movimento arriscado”. Embora o foco da pesquisa sejam as empresas adaptáveis, o material traz recomendações para as equipes. Por exemplo, ao mencionar que os times não devem ser definidos por funções desempenhadas, mas pelas “missões adaptáveis”, ou seja, pelo que entregam (com margem para se adaptar a uma possível correção de rota).

Exemplos de adaptabilidade no trabalho

Alguns exemplos práticos de adaptabilidade no dia a dia profissional ocorrem quando as empresas anunciam mudanças e parte dos funcionários (a parcela adaptável) logo se empolga com elas e as implementa. E, sabe aquela pessoa que tem orgulho de dizer que “pensa fora da caixa”? Provavelmente, ela é altamente adaptável, já que a soft skill tangem costuma ser associada à criatividade e disrupção.

Adaptabilidade proativa: como desenvolver

O Na Prática tem um artigo só sobre adaptabilidade proativa, com dicas do especialista em gestão de mudanças e inovação, Marcelo Elias. Ele usa o conceito para definir a adaptabilidade corporativa como a habilidade de reconhecer oportunidades e desafios futuros a partir da análise de tendências, dados e informações. 

O contrário disso é a adaptabilidade reativa, em que a reação só acontece depois que as coisas mudam (e a proativa antecipa transformações). Ainda segundo o especialista, estruturas organizacionais mais fluidas e descentralizadas permitem que pessoas com maior probabilidade de detectar mudanças no ambiente consigam responder de forma proativa.  Isto significa que ambientes pautados por trabalhos flexíveis (e em que as pessoas tenham mais economia) tendem a prosperar, desde que tenham ambientes que estimulem o fluxo de conhecimento e a autonomia. 

 

 

Os melhores conteúdos para impulsionar seu desenvolvimento pessoal e na carreira.

Junte-se a mais de 1 milhão de jovens!
Casdastro realizado, fique ligado para os conteúdos exclusivos!
Seu cadastro não foi realizado, tente novamente!

O que você achou desse post? Deixe um comentário ou marque seu amigo: