Estuda fora e quer trabalhar na Fundação Estudar? Seja um summer intern em 2017!

Organização busca alunos de graduação e de MBA no exterior para trabalhar por até dois meses em São Paulo durante as férias no hemisfério norte; inscrições vão até 27/3

Redação, do , em 20.03.2017
Equipe da Fundação Estudar [Fundação Estudar]

O verão brasileiro está chegando ao fim, mas as férias de verão no hemisfério norte, que acontecem entre julho e setembro, ainda são um sonho para estudantes no exterior.

Quando o último dia de aulas finalmente chegar, muitos optarão por um summer internship, ou estágio de verão, durante as férias no Brasil – e em 2017 podem fazê-lo na Fundação Estudar, trabalhando para impactar diretamente jovens brasileiros e ajudar a transformar o país.

Podem se inscrever no processo seletivo estudantes de graduação ou MBA no exterior, e que tenham disposição para trabalhar em São Paulo. 

bota-inscreva-mba

 bota-inscreva-undergrad

A experiência summer

Ser um summer intern é uma prática cada vez mais comum no Brasil e uma boa oportunidade para obter experiência profissional sem se preocupar em conciliar aulas e horários de trabalho.

A opção também é boa para as empresas, que conseguem aproveitar talentos no momento indisponíveis para vagas em tempo integral.

“Ficamos impressionados com quanta gente boa conseguimos ter aqui”, conta Marina Andrade, coordenadora de gente e gestão da Estudar, que organizou seu primeiro programa de estágio de verão no Brasil no início de 2017. “Os summers desenvolveram projetos que de fato criaram melhorias significativas para a organização e mostraram comprometimento na mesma medida que a equipe que trabalha aqui.”

A experiência durante os verões brasileiros foi tão boa que a organização decidiu então oferecer vagas a interessados que estudam no exterior, tanto alunos de graduação (conhecidos como undergrads) quanto alunos de MBA.

“Mesmo com uma sede em São Paulo, já conseguimos estudantes das melhores universidades do país – e agora queremos alunos das melhores do mundo”, afirma Marina.

Como funciona

Os summers, sejam eles undergrads ou alunos de MBA, serão responsáveis por um projeto estratégico da Fundação Estudar e terão autonomia para desenvolvê-lo.

Em 2017, os summer interns poderão atuar em cinco projetos, que vão do programa de preparatórios para estudo no exterior a construção de estratégias de marketing, divididos entre as áreas de educação, marketing, tecnologia da informação e gestão.

O que muda entre uma categoria e outra é o nível do desafio e complexidade do projeto em questão e alunos de MBA, por exemplo, atuarão em projetos mais estratégicos, como um planejamento trienal para a organização.

“Procuramos jovens com brilho no olho, protagonismo e que coloquem a mão na massa”, resume Marina Zafra, responsável pela seleção. 

Veja abaixo como é trabalhar na Fundação Estudar:

Isabella Ferraz, hoje aluna do segundo ano de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP, trabalhou como summer intern entre janeiro e fevereiro de 2017 na área de gestão.

“A ideia de passar as férias sem fazer algo produtivo não me agradava”, conta. “E a Fundação Estudar é uma ONG tão boa no que faz que eu acreditava que poderia aprender muito lá e trazer esses conhecimentos para a Poli Social, um grupo de consultoria para ONGs em que atuo.”

Entre os aprendizados, ela destaca, além de conhecimentos de liderança e lógica operacional, ter visto a importância da motivação para um trabalho bem feito. “Não é balela dos livros, é algo que  se vê nos olhos das pessoas e que te motiva a dar seu melhor em cada pequena tarefa.”

Desafios e cultura

A organização – que foi fundada há 26 anos pelos empresários Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira e tem uma cultura que alia impacto, mensuração de resultados e meritocracia – atualmente passa por um momento de transformação, visando um crescimento exponencial nos próximos anos.

Os summer interns poderão participar diretamente dessa construção, atuando com uma equipe altamente motivada e de olho no futuro. “O que não falta no summer é desafio”, destaca Marina Andrade.

Para participar, é preciso ter permissão legal para trabalhar no país, estar matriculado em um curso no exterior, falar português fluentemente e morar em São Paulo durante o programa, que dura de seis a oito semanas.

As inscrições para undergrads e alunos de MBA podem ser feitas online até 27/3.